TA – Capítulo 301

O Último Sorriso

Em sua própria sala de estudos, Visconde Klein estava amarrado a uma cadeira e seu cabelo preto parecia bagunçado. Seus olhos verdes encaravam o homem que usava uma máscara de palhaço ridícula na frente dele.

— Você deve ser o tal palhaço insano! Assim como a princesa disse, você está fora de si! — Klein, o arconte da prefeitura de Aalto, repreendeu Bufão por medo.

Bufão riu.

— Sr. Visconde, por favor, não me diga que o feitiço que você lançou agora era de um item mágico. Não vejo nada errado em um patrulheiro noturno pegar um feiticeiro cruel, ou você quer que eu te chame de… Sr. Filósofo?

Klein ficou chocado.

— Como você…

Ele não terminou a frase. Em vez disso, se deteve muito rapidamente. Ele pensou que isso poderia ser um truque.

— Nós estivemos observando você todo esse tempo, Sr. Visconde, mas nunca realmente fizemos nada contra você porque estávamos esperando que confessasse e percebesse que o que você fez está completamente errado. Afinal, você é um nobre. Mas infelizmente você não o fez, no entanto, você ainda tem mais uma chance. Contanto que você me diga onde o Professor está, você pode manter seu status como nobre e arconte… e só precisa se juntar secretamente à Patrulha Noturna, — disse Bufão. Enquanto falava, ele olhou pela janela, sentindo um pouco de preocupação que o resto dos patrulheiros noturnos chegassem ali a qualquer hora.

Klein percebeu que não era o alvo real dele, então zombou:

— Entendo. Você está aqui atrás do Professor. Com certeza, estar na Lista de Purificação representa um grande risco. Mas eu não confio em você, Bufão. Você não é mais parte da Patrulha Noturna, e os patrulheiros também estão atrás de você. Eu prefiro esperar até que os verdadeiros chegarem.

Como Bufão esperava, embora Klein não tivesse planos de manter o segredo à custa de sua vida, ele era tão traiçoeiro quanto muitos outros nobres. Se a recompensa fosse tentadora o suficiente, eles poderiam até trabalhar com demônios! Pessoas como Klein sabiam como tomar decisões nesse tipo de situação.

Klein estava tentando conseguir uma oferta melhor!

O rosto de Bufão aproximou-se do dele e ele disse:

— Boa tentativa, Sr. Visconde, mas você está negociando só comigo e estou com pressa, então não estou afim de negociar.

A expressão facial de Klein mudou de repente, e os dez dedos de Bufão começaram a se mover. Os dedos do patrulheiro controlavam os músculos do rosto de Klein e de todo o corpo, e seus olhos e boca começaram a abrir e a fechar, seguindo o movimento de Bufão.

Gradualmente, a vontade e a alma de Klein também foram controladas. Ao contrário de outros patrulheiros noturnos, Bufão conseguia a informação que queria mesmo sem usar qualquer poder divino.

— Qual é o seu pseudônimo? Você é um feiticeiro? De qual escola? — Bufão primeiro usou algumas perguntas simples para ver se seu poder estava funcionando.

Os olhos de Klein finalmente encontraram foco, e ele parecia o mesmo, exceto pelo sorriso no rosto.

— Senhor Bufão, eu sou um feiticeiro. Meu pseudônimo é Filósofo, focado principalmente na escola de Astrologia. Lá atrás eu falhei ao despertar minha Bênção, e eu não tinha poções que poderia usar, então encontrei os livros mágicos deixados pelos feiticeiros que foram mortos por meus ancestrais para ver se havia algo que pudesse fazer para despertar minha Bênção, mas depois me interessei Escola de Astrologia, e não pude mais parar.

Bufão não estava interessado em Klein, então ele perguntou diretamente:

— Como você conheceu o Professor? Como posso encontrá-lo?

— Senhor Bufão, foi o Professor que me encontrou depois que eu voltei do concerto. Para ser mais específico, ele usou o feitiço do quarto círculo, Figura no Espelho, para falar comigo. Ele queria comparecer ao nosso próximo encontro para nos contar as informações sobre o Congresso de Magia, — Klein contou tudo a Bufão. — Depois que eu concordei em ajudar, nos encontramos uma vez. Foi ao lado de uma mansão em Gesu, nº 116. E nós usamos o código secreto… Mas eu não sei onde ele está agora. Foi ele que decidiu o local onde nos encontraríamos.

Claro, o Professor era muito cauteloso e esperto, e Bufão sabia bem disso. De repente, porém, ele se tocou que aquele endereço pertencia a Lucien Evans! A casa ficava num canto remoto e ainda não fora alugada. Apenas um antigo criado mantinha a casa. Então, era um lugar perfeito para o Professor se esconder.

O sangue de Bufão estava fervendo e seu corpo tremia de emoção. Ele estava feliz por ter prestado atenção nos detalhes.

No entanto, sabendo o quão astuto Professor era, Bufão se forçou a se acalmar e pensou:

“Lucien Evans está descansando em sua casa no bairro nobre agora, e diz-se que Natasha está ocupada com diversas coisas no Palácio Ratácia hoje, e não vai sair de lá. Se ambos de repente aparecessem na casa vazia, as pessoas poderiam facilmente dizer que isso é uma conspiração.”

Ele também considerou se o Professor seria astuto para atraí-lo a outro feiticeiro poderoso e os faria lutar, mas não era muito provável que acontecesse. Afinal, eles estavam em Aalto. Se uma briga grande acontecesse ali, os cardeais chegariam em pouquíssimo tempo.

Embora Bufão soubesse que a melhor opção era esperar que Juliana e os outros patrulheiros noturnos lidassem com isso, a raiva e o desejo de se vingar estavam queimando suas entranhas. Além disso, ele estava confiante em seu próprio poder também.

Depois de fazer uma análise rápida, Bufão decidiu ir até lá. Sabia que devia ter muito cuidado e, se houvesse alguma coisa fora de seu controle, ele se esconderia e deixaria o Professor para o resto dos patrulheiros noturnos.

Depois de selar o poder espiritual de Klein usando sua Bênção especial, Bufão anotou as informações que ele recebeu de Klein para economizar algum tempo para os vigias noturnos.

Então, Bufão deixou o distrito nobre e chegou à casa número 116, no distrito de Gesu. A mansão estava coberta pela escuridão, como um monstro aterrorizante à espreita.

Depois de verificar os arredores, Bufão não achou nenhuma armadilha mágica. Sentindo-se um pouco aliviado, ele decidiu dar mais um passo adiante. Rápido como uma sombra, ele entrou furtivamente na mansão.

Havia apenas um velho criado ali na vila. Depois de fazer o criado adormecer, Bufão verificou cuidadosamente os quartos, um a um, tentando encontrar algumas pistas.

Logo, Bufão havia terminado de procurar no porão e no térreo. Com muita cautela, ele subiu as escadas.

No casa do Visconde Klein.

Waldo, o executor, conduziu secretamente uma equipe de patrulheiros noturnos ao segundo andar. Eles ainda estavam procurando o visconde. Eles estavam evitando fazer alarde, para que o Professor não notasse e fugisse.

Assim que chegaram ao segundo andar, Waldo sentiu o cheiro de sangue.

Juliana ficou de repente preocupada. Ela estava com medo de que Bufão tivesse perdido o controle.

O rosto de Waldo estava parcialmente coberto pela barba, mas seu nariz era muito sensível aos cheiros. Ele disse seriamente em frente à porta do escritório:

— Há apenas uma pessoa morta ali. É o cheiro da Família Millstone.

O visconde era da família.

Enquanto falava, Waldo abriu a porta. O forte cheiro de sangue o assolou de uma vez.

Quando os patrulheiros noturnos entraram na sala, embora estivessem muito acostumados ao sangue e à morte, diante do que viram, todos franziram a testa.

A sala parecia um matadouro. Pequenos pedaços de carne e sangue estavam por toda parte, do teto ao chão, não deixando nem mesmo um osso ou pedaço de órgão inteiro. Toda essa cena estava absurdamente nojenta e cruel.

— Isso parece… familiar… — murmurou um patrulheiro noturno.

O resto dos patrulheiros noturnos sabiam do que ele estava falando — quase todos aqueles que foram pegos pelos fios de Bufão acabaram assim.

— Impossível… Bufão não mataria o visconde… — O rosto de Juliana ficou pálido.

Pisando nos pedaços de carne e nas poças de sangue, Waldo caminhou diretamente até a escrivaninha e pegou o pedaço de papel sob o frasco de tinta. Depois de dar uma olhada rápida, ele disse para o resto dos patrulheiros noturnos:

— Isso foi deixado por Bufão. Ele deixou o código secreto que ninguém conseguiria imitar. Ele confirmou que o Visconde Klein é Filósofo e, de acordo com ele, o Professor pode estar na casa de número 116 no distrito de Gesu.

Ouvindo isso, Juliana respirou fundo. Ela começou a pensar que poderia realmente ser Bufão quem havia feito tudo aquilo. Quando conseguia a informação que queria, poderia ficar empolgado demais para se controlar. Como o visconde tinha sido confirmado como um feiticeiro cruel, sua morte não importava muito.

— Deixem o visconde para a Inquisição. Agora devemos chegar ao Distrito de Gesu o mais rápido possível! — Waldo disse ao resto dos patrulheiros noturnos. Em seu coração, ele ainda estava do lado de Bufão.

— Entendido! — Respondeu o restante dos patrulheiros de uma só vez. Eles não se importavam com a morte de um feiticeiro cruel.

Bufão vasculhou a maior parte do segundo andar, mas não encontrou nada de especial. Um quarto após o outro, sua agonia aumentava… Quando Bufão estava se sentindo desapontado, de repente percebeu que havia alguém no escritório! Como um grão-cavaleiro, Bufão sentiu que um homem estava de pé ao lado da janela, aproveitando o vento fresco da noite.

Bufão ficou muito surpreso. Ele não esperava que fosse tão fácil para ele encontrar o Professor, e, mais importante, parecia que o Professor não havia sequer notado sua presença!

Apesar de ter muitas perguntas e pensamentos em sua mente, encarando um feiticeiro malvado e poderoso de nível intermediário, Bufão não queria perder nem um segundo. Imediatamente, ele bruscamente lançou seus fios letais de marionete em direção ao homem ao lado da janela.

Depois de liberar todo o seu poder, Bufão destruiu a porta quase que ao mesmo tempo. No entanto, para seu choque, ele viu Lucien Evans parado ao lado da janela.

Estando firmemente preso aos fios, a maneira como Lucien Evans permaneceu de pé foi estranha e distorcida. E havia um falso sorriso de dar arrepios em seu belo rosto. Sob o ataque do poder misterioso de Bufão, seu corpo caiu rigidamente para trás, como um cisne acertado por uma flecha.

O terno preto bagunçado que Lucien Evans estava usando, o sorriso assustador em seu rosto, e o momento em que ele caiu para trás como uma boneca inútil… se tornariam uma pintura eterna e misteriosa na memória de Bufão.

Para enquadrá-lo, o Professor escolheu sacrificar Lucien Evans?

Bufão não esperava isso nem em seus devaneios mais ousados.

Antes de bater no chão, o corpo de Lucien Evans explodiu como uma flor desabrochando. Sua carne e sangue se espalharam por toda parte.

Vermillion
Primeiro de seu nome, Nascido do Caos, o Que a Tudo Lê, Spymaster nas horas vagas, Father of Fakes, Professor de Inglês, Um dos Três, Editor do Qidian, Tradutor de TA, Soberania e DNG, Marido Raiz.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!