API – Capítulo 46

Assassinato na rua

Alguém o seguia. Kieran franziu a testa, mas ele não parou de andar, pois ele estava certo disso. Sua [Percepção] no Rank E+ dava a ele uma visão e audição extraordinárias. Ele podia prever todo o perigo, especialmente quando alguém com intenção maliciosa passava. Sabendo que estava sendo seguido, Kieran ficou arrepiado.

Além disso, sua habilidade [Furtividade] no nível Mestre já lhe permitia se familiarizar com as maneiras de se aproximar dos inimigos sem ser detectado. Não era difícil para Kieran saber se alguém o seguia. Ele poderia dizer apenas pelo caminho que ele tinha passado e facilmente localizar seu perseguidor.

Embora ele estivesse sendo seguido, ele não se virou para inspecionar a situação. Ele não queria nenhum problema indesejado. Em vez disso, ele seguiu seu plano original e se dirigiu para o restaurante não muito longe de seu local atual.

Sua mente começou a trabalhar enquanto ele andava rapidamente. Quem estava seguindo ele? Era uma das pessoas que querem o tesouro da Igreja do Amanhecer? Ou era um novo inimigo que sua identidade havia trazido?

A fim de ganhar o título de melhor detetive da cidade, ele deve ter resolvido inúmeros casos. Com base nas breves lembranças que lhe foram fornecidas, os companheiros que acabaram atrás das grades por causa dele eram de pelo menos dois dígitos, e aqueles que o queriam morto também não era menor.

Quanto aos caçadores de tesouros? Também tem uma grande possibilidade. Eles poderiam ter enviado alguém para ficar de olho na escola. Afinal, tudo isso é sobre o tesouro de uma organização com mais de mil anos. Apenas o pensamento em si seria capaz de seduzir alguém.

Kieran não era exceção. Quando ele ouviu sobre o tesouro, ele também ficou interessado. Foi o bom senso que o deteve. Ele sabia muito bem que o tesouro não seria fácil de obter. Guntherson, o Último Cavaleiro, não permitiria que o tesouro caísse nas mãos de homens malignos, e pior, mais partidos e facções se envolveriam eventualmente.

Não havia muro no mundo sem uma rachadura. Considerando que já havia um monte de pessoas com informações sobre o tesouro, poderia eventualmente haver um segundo grupo, um terceiro e assim por diante. Afinal, quem poderia garantir que as pessoas que estavam atrás do tesouro guardariam essa informação para si?

Enquanto o tempo voava, as mudanças em São Paolo definitivamente atrairiam mais atenção. Se o caso não fosse resolvido dentro de um curto período de tempo, Kieran pensava que haveria um redemoinho gigante e perigoso e formando em torno de São Paolo, arrastando mais e mais pessoas e facções, e misturando todos juntos em uma grande confusão.

A Irmã Mony havia previsto isso, mas foi Guntherson que percebeu como seria assustador. Foi por isso que ele persuadiu Irmã Mony a aceitar a oferta de Kieran para resolver o caso antes que a catástrofe que poderia destruir a Escola São Paolo ocorresse.

Se ele não estivesse preocupado, Guntherson nunca teria discutido abertamente o assunto com Kieran.

Embora ele tivesse sua nova identidade, a carta de John e suas habilidades aumentaram seu apelo. No entanto, Kieran pensou que foram suas habilidades que haviam convencido Guntherson. Se ele não tivesse sido capaz de evitar o ataque e aguentar a barra até a interferência da Irmã Mony, a Missão Secundária não teria sido desbloqueada.

Sem dúvida, outros jogadores não seriam capazes de acionar esta Missão Secundária, considerando que ela já excedeu o nível de dificuldade da primeira masmorra. A julgar pelo progresso normal dos jogadores e suas habilidades, eles nem sequer teriam durado um segundo contra Guntherson.

Talvez nem sequer conhecessem Guntherson pessoalmente.

Kieran achou o segurança um pouco fraco, visto que ele teve um ponto de partida muito melhor, mas isso não significava que outros jogadores que haviam terminado a masmorra iniciante também achassem que ele era fraco.

De fato, Kieran tinha certeza que não. Ele não se queixaria da dificuldade desta missão. Ele sabia muito bem que quanto mais difícil a missão, melhores seriam as recompensas. Eram as recompensas que ele buscava.

Ele não tinha tempo suficiente, então ele só podia confiar na dificuldade da missão para compensar isso. Apesar de todos esses pensamentos, a atenção de Kieran ainda estava no perseguidor atrás dele.

De repente, ele sentiu um arrepio na espinha. Era uma sensação viciosa vindo de algum lugar à frente. Embora fosse apenas um instante, a frieza fez Kieran se sentir como se tivesse sido mordido por uma cobra venenosa.

Esse sentimento não era estranho. Era a sensação da intenção de um assassino. Na masmorra iniciante, tanto os bandidos armados quanto os rebeldes exalavam aquela mesma sensação viciosa.

Kieran olhou para frente e viu três figuras em um instante. Um deles estava andando na mesma direção que ele. Obviamente, esse não era o único a exalar a sensação de morte.

O segundo era um cavalheiro bem vestido com um par de óculos, que parecia um funcionário de escritório que tinha encerrado seu expediente. Ele estava andando com pressa.

O último era um bêbado com roupas rasgadas. Ele estava andando de uma maneira vacilante, cheirando a álcool. Bêbados eram uma visão comum na cidade, especialmente depois do anoitecer. Eles causavam muitos problemas para a polícia.

Nenhum deles parecia suspeito, mas Kieran tinha certeza de que um deles era o assassino.

Qual deles? Kieran os inspecionou com cuidado, mas ele não pôde fazer um julgamento preciso. O assassino era sem dúvida muito bom em esconder sua identidade. Se não fosse pela rápida intenção do assassino, Kieran não teria sido capaz de dizer algo.

E agora?

Embora Kieran não pudesse diferenciá-los, ele ainda permanecia em alerta. Ele continuou andando e os homens também, gradualmente se aproximando dele.

Quando Kieran estava a três passos do homem que parecia um funcionário de escritório, ele tirou o cachimbo do bolso. Ele fez parecer que o seu vício tinha conseguido o melhor dele, mas ele também acidentalmente deixou cair algumas moedas que havia sobrado da viagem de carruagem mais cedo.

— Droga. — Kieran amaldiçoou em voz baixa enquanto se abaixava para pegar as moedas.

Seus olhos ainda estavam trancados nos dois alvos que se aproximavam.

O bêbado assistiu a cena e parou por um momento antes de continuar sem qualquer cuidado.

O homem bem vestido agiu como se nada tivesse acontecido e continuou andando em seu ritmo acelerado.

Quando ele se aproximou, Kieran terminou de pegar as moedas e endireitou o corpo.

Assim que Kieran estava pronto para colocar as moedas de volta no bolso, o funcionário de escritório passou ao lado de Kieran com uma pequena adaga na mão direita.

Ele se virou, levantou e apunhalou em um movimento suave. A apunhalada se transformou em um raio frio de luz apontado para a cintura de Kieran. Kieran estava um passo à frente. Sua perna direita era como uma mola. Ele chutou a mão do assassino, seu pé apontou para o pulso e chutou com força, seguido de um chute no rosto do assassino.

Com dois sons altos e claros, a adaga do assassino caiu e Kieran chutou o homem para o chão, deixando o assassino rolar no chão. Metade dos seus dentes desapareceram e seu rosto parecia torto. Ele parecia estar sem fôlego quando olhou para Kieran com uma expressão incrédula.

Sem dúvida, ele ficou surpreso por ser descoberto. Ele achava que seu disfarce era perfeito.

— Sua intenção era óbvia demais. Você nem exibiu a curiosidade básica. Pelo menos o bêbado se importou o suficiente para olhar o que tinha caído do meu bolso. — Kieran disse suavemente.

É claro que ele nunca diria ao homem o verdadeiro motivo. Nem mesmo se ele fosse morto.

[Chute: Infligiu 30 de dano ao alvo, articulações deslocadas…]

[Chute: Ataque letal, infligiu 120 de dano ao alvo, (Combate corpo a corpo, Mestre dos Chutes), alvo morreu…]

O registro de batalha afirmou que o assassino estava morto. Depois da lição que ele aprendeu na masmorra iniciante, Kieran estava mais vigilante.

Ele se virou e olhou em volta. A pessoa que o seguia havia a muito tempo ido embora. Ele não pôde deixar de franzir a testa. Ele não foi capaz de confirmar se o assassino e o perseguidor eram parceiros no crime.

Um total de 150 PV! Grande, rápido, forte, bom em se disfarçar… Ele deveria ser um assassino ou um assassino de aluguel! — Kieran adivinhou a identidade do homem morto, na esperança de que ele pudesse resolver o mistério em mãos.

Se ele pudesse, ele preferiria mantê-lo vivo. Sua aparição repentina foi inesperada, e sua habilidade de disfarce fez Kieran se preocupar.

Ele pensou que não deveria mostrar misericórdia contra alguém que era bom em disfarce. Mesmo que as habilidades do assassino não fossem páreo para ele, se ele tivesse fugido, Kieran teria que estar à procura de um assassino disfarçado.

Portanto, quando ele atacou, ele tinha certeza de matar o homem. Embora a morte dele pudesse atrair atenção, não era nada comparado a ter que se proteger contra um assassino disfarçado.

— Assassino! Assassino!

A rua tranquila lentamente se encheu de barulho.

Um par de policiais assobiou enquanto cercavam Kieran com seus cassetetes. Kieran cooperou, levantando as mãos. Ele segurava a carta na mão direita. Ele nunca ficara mais feliz por ter a carta do que naquele momento.

— Eu sou um Consultor Oficial da Polícia, eu gostaria de ver o Delegado John!

Erudhir
"Se olhar ao redor e não souber quem é o alvo, então o alvo é você."

5 Comentários

  1. Essa investigação vai longe pelo jeito, ele está mais focado nas missões secundárias que na principal huauauha

  2. Sebeu fosse ele eu teria ido atrás do perseguidor depois de ter matado o assassino
    Valeu pelo capítulo

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!