Arifureta Zero – Volume 1 – Capítulo 1 (Parte 2 de 11)

As pessoas continuavam a provocar Oscar, mas ele apenas sorria e curvava a cabeça. Ele estendeu calmamente a caixa que continha a fivela que Ping pediu.

— Por que você não diz nada, hein? — Ping abriu a caixa e franziu a testa. Apesar do fato de que Oscar havia feito como ele pediu, ele parecia descontente.

— É como você disse. Ainda sou um artesão inexperiente, aproveitando a generosidade do mestre.

— Se sabe disso, então você deveria apenas dar o fora daqui. Você é uma vergonha para o nome Orcus! O fato de o ter aqui é um insulto!

Mesmo um pedido de desculpa não foi o suficiente para apaziguar Ping. Na verdade, só parecia o ter deixado mais irado. Seus gritos zangados o transformaram o centro das atenções em vez de Oscar.

Ping não era só baixo e gordo, mas também mesquinho. Ele era o tipo de pessoa que insulta os outros pelas costas e intimida qualquer um mais fraco que ele.

Ainda assim, ele raramente perdia a cabeça, pelo menos não o suficiente para gritar.

Parece que o verme está mais zangado do que o normal hoje… Ele se ferrou com alguma coisa mais cedo ou algo assim? Ainda sorrindo exteriormente, Oscar pensava desesperadamente em uma maneira de acalmar Ping. Contudo, antes que pudesse, Ping continuou:

— Sério, eu não posso acreditar que o mestre chamou você de gênio. Acho que ele pode cometer erros às vezes também.

Ping estava tão nervoso que não notou que insultou o Mestre, fazendo mudar o comportamento de todo mundo. O desprezo dos artesãos agora estava direcionado a Ping, e não a Oscar. Até mesmo os seus dois comparsas estavam fazendo uma careta enquanto sussurravam um ao outro.

Oscar sabia que tinha que neutralizar a situação antes dos artesãos lincharem Ping. O atual chefe da Oficina Orcus era muito respeitado por todos, e eles não iriam suportar ver ele ser caluniado.

Contudo, antes que pudesse fazer alguma coisa…

— Oh, acha que estou senil, é? Está me dizendo que eu, Orcus, cometi um erro, Ping? Alguém parece muito cheio de si.

— Oooi!? — gritou Ping feito um porco.

A voz de Orcus não estava particularmente zangada, mas Ping recuou mesmo assim. Seu rosto estava pálido de medo. Torpa e Raul pareciam piores ainda.

Orcus era um homem de grande porte. Ele não só era enorme, mas todo o seu corpo era coberto de pelos grossos. Suas coxas eram grandes o bastante para esmagar um homem entre elas.

De fato, ele era confundido frequentemente com um guerreiro homem-urso da Comunidade Haltina, apesar de ele ser humano da cabeça aos pés. Ele não possuía orelhas de urso ou cauda.

Ping sorriu culpadamente e tentou amenizar seu erro:

— M-Mestre… O-o que está fazendo aqui?

— É a minha oficina. Qual é o problema em eu estar aqui?

— H-hmm, nenhum! É só que, ouvi dizer que você tinha negócios no palácio hoje.

Topp Karg D. Orcus, o atual chefe da Oficina Orcus, bufou e espiou a caixa de Oscar. Ele não se preocupou em responder à pergunta de Ping.

Então, ele pegou algo dela e examinou cuidadosamente.

O silêncio que se seguiu foi tão opressivo que os outros artesãos pararam de trabalhar e esperaram segurando a respiração.

Uma vez que acabou de observar, ele olhou de volta para Ping.

— Esse deveria ser o seu trabalho, Ping… Por que é que Oscar foi quem o fez?

— Is-isso é um mal-entendido, Chefe. Ele estava passando o tempo todo fazendo tralhas, então pensei que se ele estava livre, poderia me ajudar um pouco. Ainda continuo sendo aquele que fez isso. — Ping se prostrou diante de Karg.

Contudo, Karg nem se deu ao trabalho de ouvir sua resposta e se virou para Oscar. Oscar estaca com o mesmo sorriso desajeitado de sempre, e não disse nada.

Karg suspirou e abordou Ping:

— Entendi. Creio que isso quer dizer que posso esperar esse nível de qualidade do seu próximo trabalho também?

— Hã? O quê?

Karg sorriu maliciosamente e mostrou a Ping o objeto em sua mão.

— Essa fivela de armadura está excepcionalmente bem-feita. É flexível em todos os lugares certos, assim ela absorve bem os impactos. Além disso, foi elaborada de tal forma que um Sinergista pudesse reparar facilmente se quebrasse em batalha.

— E-entendo…

Todos os outros artesãos se viraram para Oscar com surpresa. Suas expressões eram difíceis de entender.

Foi apenas Ping quem falhou em compreender a insinuação por trás das palavras de Karg. Ele não entendia por que todos estavam olhando para Oscar.

Vendo a sua confusão, Karg explicou de forma mais clara:

— Em vez de tentar mostrar sua habilidade, você elaborou essa fivela para servir as necessidades do seu portador perfeitamente. Pode parecer simples, mas essa é claramente uma fivela de primeira classe. Por isso te pergunto, Ping, posso esperar de você esse tipo de trabalho de alta qualidade no futuro? Hein?

— …… — Suor frio escorreu pelas costas de Ping. Karg estava pedindo mais do que ele podia eventualmente cumprir. Ele não possuía as habilidades para criar habilmente coisas como essa fivela.

— Es-estou honrado com seu elogio, Chefe. No entanto, mesmo eu estou surpreso com o quão bem isso ficou. Para ser honesto, hum, não posso dizer com segurança que posso fazer de novo. Além do mais, pôr tanto esforço em todos os meus projetos me atrasaria demais.

— Entendi. Nesse caso, faça sua própria tarefa. Trabalhe duro até que seja bom o suficiente para fazer esses tipos de produtos de qualidade regularmente.

O olhar de Karg foi tão intenso que até um dragão teria se encolhido perante ele.

— Oooi!? S-sim, senhor! Sinto muito, senhor! — Ping aceitou a caixa que Oscar lhe deu e quase tropeçou sozinho com a pressa de fugir. Torpa e Raul seguiram atrás dele apressadamente. Os outros artesãos perderam o interesse na confusão e voltaram aos seus afazeres.

— Hmm… Chefe? Obrigado pela aju…

— Venha ao meu escritório. — Karg deu meia volta e saiu andando. Ele indicou com um aceno com a cabeça que queria que Oscar o seguisse.

Suspirando, Oscar foi atrás de Karg. Seu sorriso desajeitado ainda não havia deixado seu rosto.

— Que diabos pensa que está fazendo, Oscar? — Assim que eles entraram no escritório de Karg, ele começou a gritar com Oscar.

Karg se jogou no sofá antigo da sua sala. As molas rangeram sob seu peso enorme.

— Não sei o que quer dizer exatamente, senhor…

— Somos os únicos aqui, então me poupe das sutilezas. E tire esse sorriso idiota da cara. Ele me enoja.

— Isso é muito maldoso, velhote. — Oscar largou sua atuação de cara legal, mas não parou de sorrir. Ele havia ficado tão acostumado em usá-la para sair de situações desagradáveis que tinha dificuldade em não usar a expressão.

— Me lembro de você dizer antes que só causaria problemas se ficasse na oficina. Eu também lembro claramente de te dizer para ficar mesmo assim. Eu não me esforço tanto para mantê-lo aqui para poder passar seu tempo fazendo o serviço daquele filho idiota do visconde.

— Eu sei. Mesmo assim, posso terminar algo como aquilo entre as pausas. Se isso é o suficiente para manter Waress-san quieto, então eu não me importo de ser o seu faz-tudo.

— Tolo. Caras como ele nunca estarão satisfeitos. Se você ceder a eles assim, eles irão continuar voltando querendo mais. Se ele está te causando tanto problema assim, então posso expulsá-lo.

Ping, Torpa e Raul entraram na Oficina Orcus por causa das ligações que a família de Ping possuía. Embora todos os três fossem Sinergistas, eles não eram qualificados para fazer parte da estimada Oficina Orcus. Karg deixara eles se juntarem inicialmente só porque não queria tratar de insultar um bando de nobres mesquinhos, mas…

— Vou dizer isso quantas vezes for preciso. Oscar, você vai ser o Orcus da próxima geração, então…

— Vovô. — A voz de Oscar era calma, mas firme.

Karg suspirou, percebendo que Oscar ainda não mudara de ideia. Herdar o nome de Orcus significava se tornar o líder da Oficina Orcus.

Era tradição que o atual Orcus transmitisse seu título assim que encontrasse alguém que o superasse em capacidade.

O fato de que Karg queria que Oscar fosse o próximo Orcus significava que ele reconhecia que Oscar era um Sinergista mais habilidoso que ele.

KakaSplatT
☦ Death To The World ☦

3 Comentários

  1. Hohohoho… Esse garoto não é tão bobo como parece!

    Muito obrigado pelo capítulo 🙇🏻‍♂️😁

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!