Arifureta Zero – Volume 1 – Capítulo 2 (Parte 1 de 22)

Para Miledi Reisen, o mundo estava repleto de absolutos.

A lei era absoluta. O país que decidia a lei era absoluto. A Santa Igreja que controlava o país era absoluta. O deus que eles adoravam era absoluto. Seus ensinamentos e doutrinas eram absolutos. As convenções de suas famílias eram absolutas. Tudo desde que ela se levantava de manhã, o que seus tutores lhe diziam, o que seu pai lhe pedia, o seu papel na família, era absoluto.

A influência do Império Grandort era enorme. Se estendia da parte central do continente até o leste, e dentro ficava o Desfiladeiro Reisen. Era o país mais famoso por suas proezas mágicas, e apesar da maior parte de seus magos não serem tão fortes quanto os demônios, eles ainda eram os mais fortes dentre os humanos.

Como a magia era o forte da maioria dos cidadãos, todos eles consideravam o Desfiladeiro Reisen — que dispersava mana — um campo de execução. Sem a ajuda de seus feitiços, nenhum grandortiano esperaria sobreviver em um lugar como esse, repleto de monstros poderosos como era.

Presos políticos, criminosos, testemunhas… Qualquer um que fosse enviado para essa fenda infernal na terra nunca retornava. Um campo de execução era um termo adequado para isso.

Como o desfiladeiro era conhecido no mundo todo, a família nobre que geria as terras dela também era.

Essa era a família Reisen.

Eles também eram conhecidos como uma família de executores. A família operava e mantinha a enorme prisão que era o Desfiladeiro Reisen. Eles não lidavam só com criminosos que o império enviava, mas aqueles da Santa Igreja ou de outros países também.

A família datava de tantas gerações que alguns estudiosos acreditavam que eles existiam mesmo antes da fundação do Império Grandort. Ninguém sabia ao certo se o desfiladeiro recebeu o nome da família que o geria, ou se a família que o geria havia adquirido o nome do desfiladeiro.

Independentemente disso, a família era conhecida por ser extremamente cruel. Eles não eram chamados de uma família de executores só por causa do trabalho que faziam, mas também por causa do medo que o seu nome infligia no coração dos outros.

E Miledi era filha desse conde cruel e assustador.

Dado que ela podia usar magia gravitacional e controlar mana diretamente sem qualquer necessidade de círculo mágico, ela foi aclamada como um gênio Atavista.

Geralmente, ela teria sido levada pela tutela da Santa Igreja e criada como uma das descendentes de Ehit, mas devido a influência que a família Reisen carregava, ela foi autorizada a permanecer em casa. Segundo a história, o primeiro Reisen foi capaz de usar magia antiga também. Registros alegavam que ele tinha usado ela para tornar o desfiladeiro em um campo de execução selador de magia. Por causa dessa lenda, Miledi foi autorizada a se manter como parte da família.

As únicas pessoas que Miledi já havia visto na vida eram seu avô, seus pais, seu tio, seu primo, os servos que agiam como bonecos, seus tutores, os soldados de seu pai e os criminosos que vinham para serem executados.

Ela estivera completamente isolada do mundo exterior e passava os dias aprendendo como ser um membro exemplar da família Reisen.

Isso era tudo o que se esperava dela, e tudo que lhe foi garantido. Nada mais, nada menos.

Para o resto do mundo, a família de Miledi pareceria fria e desumana. Contudo, para o bem ou para o mal, Miledi não tinha nada para comparar sua própria situação, então ela não via dessa forma.

Quando fez oito anos, ela começou a ajudar com os negócios da família.

Sempre que se sentava com um criminoso, ela era recebida com xingamentos, súplicas e desespero. Ainda assim, eles eram criminosos. Alguém tinha que assumir o trabalho de executá-los. A lei era absoluta, e a lei dizia que eles deveriam ser jogados no desfiladeiro.

E assim, Miledi fazia seu trabalho. Ela lia as acusações para os condenados e observava quando eles eram lançados no desfiladeiro.

Aqueles que tentavam fugir morriam pelas suas mãos.

Aqueles que tentavam escalar eram empurrados de volta.

Ao longo de um ano, o rosto de Miledi perdeu toda a emoção. Seus desesperos, rancores e lamentações já não a comoviam mais. Afinal, o que isso importava? Eles estavam ali porque tentavam ir contra um absoluto. Que eles enfrentariam retribuição por isso, também era um absoluto. Seus destinos já haviam sido decididos.

No fim, era tudo inútil, então Miledi achava mais fácil não sentir nada.

Aos dez anos, Miledi se tornou a filha Reisen perfeita. Ela era taciturna, inexpressiva e insensível.

Um dia, seu pai, Colt, a chamou ao seu escritório.

— Pai, sou eu, Miledi.

— Entre. — A mesma voz inorgânica a recebeu depois que ela bateu na porta. Mas ela não se importou e entrou na sala.

— Essa é a próxima pessoa a ser condenada.

— Entendi. — Miledi pegou os documentos que seu pai lhe deu.

Interiormente, ela estava um pouco confusa. Embora fosse dada a cada criminoso a oportunidade de pleitear sua defesa ou se arrepender de seus pecados, isso não passava de uma fachada que a família usava para parecer justa. Em verdade, todos que passavam pelos portões da propriedade estavam condenados a execução, então por que seu pai se incomodaria em lhe dar os detalhes de um dos condenados?

— A pena dele é a morte. A execução procederá na hora marcada. Mas antes que aconteça, quero que pergunte algo a ele.

— O que seria? — Miledi olhou para os documentos.

— O condenado é um herege, mas há uma grande possibilidade de ele não estar trabalhando sozinho. Pode haver uma organização a qual ele pertence.

— Pode?

— Foi a Santa Igreja quem o capturou. Eles tentaram interrogar o herege, mas não conseguiram nada. Foi um dos descendentes de Ehit que supervisionou o interrogatório, então não há razões para crer que eles foram enganados pelo seu interrogador. É por isso que ainda estão inseguros.

— …… — Os lábios de Miledi se contraíram com a menção da palavra “interrogatório”. Ela sabia que o que a Santa Igreja conduzia não era interrogatório, mas sim tortura. Ela imaginava em que estado o criminoso chegaria a ela. Colt tinha sido o responsável por esse criminoso em particular, então Miledi não o viu antes. Provavelmente ele já estaria à beira da morte.

— Como quer que eu faça essa pergunta? — Ela não perguntou por que Colt queria que ela fizesse isso. Uma ordem do seu pai era absoluta. Questionar não era permitido. Ela só precisava cumprir o seu dever enquanto Reisen.

— Como se fosse uma criança.

As palavras de seu pai foram tão surpreendentes que Miledi quase riu. Ela sabia o que os servos diziam sobre ela. Ela era provavelmente a criança de dez anos mais adulta que existia.

Tudo graças à educação Reisen. Embora agir como uma criança seria… Creio que ainda pareço uma. Existe certamente uma possibilidade de ele se mostrar mais disposto a se abrir para uma criança.

— Não estou te pedindo para fazer uma atuação perfeita. Apenas faça o que puder.

— Sim, senhor. — Miledi curvou rapidamente a cabeça. Modos também faziam parte da educação Reisen.

Quando deixou a sala, ela retirou da mente o homem que executaria e começou a pensar em como agir como uma criança.

Naquela noite, Miledi compareceu diante de um homem vestido com trapos. Ele estava ladeado por dois guardas e parado na plataforma de execução que dava para o desfiladeiro.

Um empurrão e seu destino estaria selado. Sem magia, a sobrevivência era praticamente impossível. Até mesmo os restos do homem seriam comidos pelos monstros que espreitavam abaixo. Na prática, a execução era simples.

O criminoso estava deitado no palco, sem sequer se mexer. Ele já estava à beira da morte. De fato, ele provavelmente morreria antes de Miledi ter a chance de empurrá-lo.

Contudo, trabalho era trabalho. As regras eram absolutas. Tenha o condenado falecido ou não, ela o empurraria na ravina.

— Davy Consman. Você foi acusado de heresia. Seus crimes incluem condenar a doutrina de Ehit e atacar um sacerdote. Você se rebelou contra o nosso senhor, e portanto será executado. — Miledi falou sem emoção, lendo o documento que lhe foi dado.

Não houve resposta. Normalmente, esse era o momento em que eles começariam a lançar xingamentos a Miledi.

KakaSplatT
☦ Death To The World ☦

3 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!