DNG – Capítulo 225

A Fusão das Almas

A areia no Demônio de Areia começou a se remoldar e, enquanto Han estava desatento, foi engolido para dentro do corpo do demônio. Agora, Han estava sendo comprimido por aquele enorme monte de areia negra, e a forte pressão o sufocava, como se estivesse sendo estrangulado por uma cobra mortal.

Ao mesmo tempo, o Demônio de Areia começou a lançar seu ataque mais poderoso contra o monstro de areia criado por Han. O monstro de areia foi rapidamente cercado pela areia preta e suprimido. Ele soltou rugidos, revoltado, mas infelizmente qualquer pessoa experiente sabia o quão aterradora era aquela areia movediça. Uma vez pego, quanto mais se lutava, mais fundo se afundava.

A situação agora era muito semelhante à um poço de areia movediça. O Demônio de Areia recebeu um ataque crítico de Han e ficou louco, querendo engolir tanto o monstro de areia quanto Han.

*Bang*

Uma perna do monstro de areia se despedaçou, reduzida a uma pasta disforme pela areia movediça preta, e logo os outros quatro membros e órgãos não puderam suportar o ataque do Demônio de Areia e começaram a cair em pedaços.

Han entendia a dificuldade da situação atual. O poder do Demônio de Areia ia além da imaginação dele, e apenas uma tentativa desesperada poderia conceder a eles uma pequena chance de sobrevivência. Caso contrário, não demoraria muito até que o traje de batalha Matriz Elíptica deixasse de fornecer qualquer proteção e fosse esmagado pelo poderoso Demônio de Areia.

Dez Mil Bestas Infindáveis!

Han praticamente gritou em sua mente e, ao mesmo tempo, começou a usar sua técnica de fusão!

Embora a forma arenosa do Demônio de Areia fosse realmente aterrorizante, ele parecia ter esquecido que, enquanto estivesse na forma de areia, Han poderia fundir aquilo para criar um monstro!

*Vrrrrrrrrrrrrrrr*

A poderosa técnica de sincronização começou. O monstro de areia parcialmente despedaçado e o Demônio de Areia fragmentado começaram a se mesclar.

Ficava claro quando se observava isso do lado de fora. A pilha de areia negra parecida com uma montanha começou a rolar e tremer violentamente, como uma massa sendo batida, e foi gradualmente assumindo uma forma estranha, como o embrião de um monstro. Quanto ao que o embrião seria quando ganhasse vida, ninguém sabia.

— Garra do Demônio!

Por favor! — Han clamou internamente, com um pouco de pesar. Ele abriu a Marca Lunar e liberou a Garra do Demônio, permitindo que ela se juntasse a esse processo de fusão. Não havia outra maneira. Han sabia muito bem que, mesmo que ele terminasse a sincronização entre o demônio e monstro de areia, isso só iria criar um novo monstro que ainda representaria uma ameaça para ele, e iria matá-lo a qualquer momento.

Então, Han tinha que garantir que essa nova besta de fusão não o atacaria. É por isso que ele pensou na Garra do Demônio. Ele fez com que sua parceira fiel se juntasse ao processo de fusão para que pudesse dar a esse novo monstro de fusão um traço de lealdade.

Só que assim a Garra do Demônio não existiria mais.

Se não fosse como um último recurso, Han não faria essa escolha. Ele realmente gostava da tola e simpática Garra do Demônio, caso contrário, ele não iria gastar tanto esforço para salvá-la do estado moribundo em que se encontrava, para começo de conversa.

A Garra do Demônio, por sua vez, claramente entendia os pensamentos de Han. A companheira tola e leal imediatamente se tornou uma força significativa depois de entrar no processo de fusão.

Han também podia sentir claramente que o monstro de areia que ele criou queria participar daquela sincronização, pois esse safado ganancioso queria obter para si o poder do Demônio de Areia.

A Garra do Demônio também queria fazer parte daquela sincronização, porque era isso que o mestre queria. Era como se fosse sua missão!

Apenas o Demônio de Areia não queria ser fundido, devido ao seu instinto básico de sobrevivência. Então, nessa fusão, ocorreu uma situação de 3 contra 1. Han, o monstro de areia e a Garra do Demônio queriam fazer de tudo para devorar esse Demônio de Areia e, para fazer isso, até mesmo o monstro estava disposto a apoiar Han com seu poder.

*Shua*

Han sentiu as duas consciências entrando naquela fusão para acelerar o processo de sincronização, e a consciência que pertencia ao Demônio de Areia estava resistindo desesperadamente. Sob o reforço da Garra do Demônio e do monstro de areia, o processo de fusão começou a se acelerar, e esse deserto negro tornou-se um ovo enorme, com mais de 1.500 metros de altura, como se fosse uma montanha negra ovalada, ainda rolando e se batendo no deserto amarelado.

Embora parecesse fácil, o processo real era extremamente difícil, e para completar aquela super fusão, Han quase esgotou toda a energia armazenada em sua ROC Zero. Se não fosse pela Garra do Demônio e pelo apoio do monstro de areia, ele não conseguiria fazer isso.

O tempo passou hora após hora e, finalmente, o ovo preto gigante parou de girar. A fusão genética já havia terminado, e foi substituída pela luta pelo controle desse novo corpo.

Afinal de contas, havia três almas nesse novo ser, e todas elas queriam se tornar o líder desta besta genética suprema, de modo que uma batalha brutal era inevitável.

Como o mediador daquela fusão, Han sentia aquela batalha desesperada, mas não tinha como oferecer qualquer ajuda para a Garra do Demônio. Ele apenas podia sentir que ao seu redor haviam três almas que estavam se mordendo como loucas.

Agora, Han não podia dizer qual era a alma do monstro de areia e qual pertencia ao Demônio de Areia, mas ele sabia claramente qual era a alma da Garra do Demônio. Afinal, ela era muito tola, só sabendo atacar e jamais recuar! Ele viu a Garra do Demônio atacar de novo e de novo, mordendo o tanto o demônio quanto o monstro de areia. Esta foi uma missão dada por Han, e ela decidiria sua vida ou morte, então a Garra do Demônio queria completá-la a todo custo!

Aquela batalha de almas foi muito excêntrica. A alma do Demônio de Areia não seria mais forte apenas porque sua forma física era mais forte. A alma era uma força espiritual relacionada à força de vontade de um ser vivo. Claramente, a força de vontade da Garra do Demônio era incrível, já que nunca tinha nenhuma distração em mente e era uma criatura muito simples. Ela não sabia o que era esperteza ou sequer era muito inteligente. Só sabia de uma coisa em toda a sua vida: ouvir as ordens de Han. Se Han dissesse à Garra do Demônio para morrer, ela realmente cometeria suicídio.

A Garra do Demônio, com uma alma tão simples, estava agora fazendo um único processo, que consistia em avançar, arrancar um pedaço das outras, e então repetir. Era como um cachorro louco e leal. Ninguém poderia abalar sua única convicção em seu coração.

Gradualmente, o Demônio de Areia e o monstro de areia começaram a sentir a pressão trazida pela Garra do Demônio. Aquela criatura não sabia fazer nada de diferente, mas era muito feroz. Assim, o astuto Demônio de Areia e monstro da areia decidiram tacitamente matar a Garra do Demônio primeiro, e só então os dois lutariam para ver quem seria o vencedor.

A batalha das almas entrou no seu estágio mais brutal, onde os dois monstros começaram a cooperar para atacar a Garra do Demônio!

Pelo mestre, eu não posso perder!

Pelo mestre! Não posso perder!

Pelo mestre! Não vou perder!

Essa criatura idiota, do começo ao fim, só tinha um pensamento em mente, apenas uma crença. Uma alma tão simples, só sabia avançar de novo e de novo. Seja derrubado, se levante e avance novamente! Seja derrubado novamente, levante-se e avance novamente!

Han viu a batalha da Garra do Demônio naquele nível espiritual, e sentiu como se se seu coração estivesse se despedaçando. A tola besta não estava lutando desesperadamente por si mesmo, mas sim por Han!

Porém, o poder do Demônio de Areia e do monstro de areia combinados ainda era maior. Han podia sentir que a alma da Garra do Demônio estava morrendo, mas a idiota ainda se levantava com dificuldade, como se cambaleasse, e continuava atacando!

Quem disse que não poderia haver sentimentos entre humanos e bestas?

Os fatos provavam que o relacionamento entre Han e a Garra do Demônio eram incomparáveis! Han criou a Garra do Demônio, adorou o que fez, e a salvou vez após vez. Agora, a Garra do Demônio estava retribuindo o favor com sua vida! Era provável que morresse, e a morte de uma alma era o verdadeiro fim daquela vida, uma morte verdadeira.

Porém, a Garra do Demônio não se importou nem um pouco!

— Aaaaaahh!

Han não conseguiu mais segurar, soltando um grito de agonia. Ele não queria continuar assistindo, e preferia ser o que estava lutando agora, no lugar da Garra do Demônio.

*Crack*

De repente, Han ouviu o som de um cristal se quebrando. Logo, uma energia poderosa foi emanada da Garra do Demônio.

Han supôs que aquele era o cristal muito especial que ele obteve na relíquia de classe A quando, em sua primeira experiência com bestas de fusão, uma Garra da Terra morreu ajudando Han. Depois que ela morreu, Han enterrou seus restos perto de um esqueleto gigante, sem saber a qual criatura aquilo pertencia. Depois de alguns dias, quando passou pela sepultura novamente, notou que uma linda flor desabrochou e o corpo da Garra da Terra desapareceu, substituído por um estranho cristal.

Então, tempos depois, ao fazer Garra do Demônio, Han teve a estranha ideia de integrar o cristal no corpo da Garra do Demônio. A partir de então, a Garra do Demônio apresentou uma vitalidade surpreendentemente alta, como uma barata que não podia ser morta. Han supôs que a razão por trás da vitalidade da Garra do Demônio fosse aquele estranho cristal, que tinha sumido no interior do corpo da criatura.

O cristal provavelmente havia absorvido a Garra da Terra e o poder do antigo monstro desconhecido, dono daquele esqueleto, e agora esse poder pertencia à Garra do Demônio.

Desde então, Han havia basicamente esquecido que ainda havia um cristal de origem desconhecida dentro do corpo da Garra do Demônio.

Isso é, até esse momento, em que a Garra do Demônio estava desesperadamente lutando à beira da morte, e quando sua alma estava prestes a desaparecer. Quando Han estava imerso em um momento de grande desespero e dor, esse estranho cristal de repente se quebrou.

E se tornou uma força inexplicável.

Vermillion
Primeiro de seu nome, Nascido do Caos, o Que a Tudo Lê, Spymaster nas horas vagas, Father of Fakes, Professor de Inglês, Um dos Três, Editor do Qidian, Tradutor de TA, Soberania e DNG, Marido Raiz.

4 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!