DNG – Capítulo 233

Sha Emperor

Era uma rede formada de lasers!

As pupilas das duas marionetes voadoras se estreitaram subitamente. Eles viram a bola de metal prateada florescer como um lótus e disparar centenas de raios laser poderosos, formando uma rede de 50 metros de diâmetro no ar.

*Shuuuo*

Os bonecos voadores obviamente identificaram o potencial da rede de lasers, e imediatamente tentaram ajustar seu curso e velocidade de voo, objetivando fugir dela.

Infelizmente para eles, o momento que Han usou para soltar a rede foi calculado com precisão. Ele deliberadamente mandou que a Garra do Demônio o carregasse por aquele tempo para que, enquanto as duas marionetes estivessem o perseguindo continuamente, ele pudesse calcular seus dados de velocidade e flexibilidade de manobras. Quando reuniu dados suficientes dos inimigos, finalmente deu o golpe fatal.

*Kacha*

A rede de lasers rapidamente passou pelas duas marionetes voadoras, cortando as duas em pedaços! As partes caíram do céu, parcialmente derretidas na área dos cortes.

*Pa*

Han usou as duas mãos para se firmar no chão quando aterrissou com um impacto tremendo, já em posição de batalha. Ao mesmo tempo, os pedaços cortados das duas marionetes também caíram, não muito longe dele.

Ele viu claramente que eram duas cascas. O interior dos corpos foi modificado com peças mecânicas.

— Que outros malditos truques você tem?! Mande eles de uma vez! — gritou Han para o nada.

Aquela foi uma batalha estranha. O marionetista não queria se mostrar e estava lutando com suas engenhocas contra Han, para ver quem tinha as melhores ferramentas, tanto em qualidade quanto em quantidade!

A batalha apenas começou, e Han já havia usado dois canhões laser portáteis, uma rede de lasers e uma planta defensiva preciosíssima, a Vinha Sanguinária Real.

Porém, as perdas do marionetista pareciam ser mais sérias. Incontáveis ​​marionetes de baixo nível foram destruídas, além de duas das humanoides voadoras de alto nível e uma marionete voadora gigante.

*Brrrrrrrrr*

Outra marionete de alto nível apareceu. Era uma marionete em forma de píton que parecia traiçoeira. Seus meios de ataque não se baseavam em sua boca ou presas, mas nas incontáveis ​​lâminas implementadas em seu corpo gigante, fazendo com que esse inimigo de 150 metros de altura parecesse um ouriço-do-mar.

Essas lâminas não eram apenas afiadas, mas também tóxicas, e se estendiam e retraíam livremente.

Às vezes, Han pretendia se aproximar, mas a marionete gigante aumentava repentinamente suas lâminas para quase dez metros de comprimento, forçando Han a não ter escolha senão recuar imediatamente.

Neste momento, o tamanho diminuto da Raposa Prateada veio a calhar. Ela passou por vários daqueles ferrões venenosos, usou suas pequenas garras para abrir o corpo da píton, e entrou.

Alguns minutos mais tarde, a píton-marionete já estava acabada, com o seu interior completamente destruído.

Por algum motivo incerto, o marionetista parou de repente seu ataque.

Depois de um tempo, Han ouviu uma voz estridente:

— Eu realmente te subestimei e cometi um erro crítico. Todos as minhas criações são o fruto de muito trabalho, e eu realmente aprecio a existência delas, então eu estava esperando que precisasse usar apenas uma ou duas marionetes de elite para matá-lo. Porém, esse pensamento estava completamente errado! Ao lidar com um inimigo como você, devo dar tudo de mim. Sendo esse o caso, deixe-me usar toda a minha força para mandar você para o descanso eterno.

Han franziu ligeiramente a testa. Desta vez o marionetista não se escondeu. O som saiu de uma marionete de baixo nível ao longe, provavelmente uma mensagem remota.

Contudo, muito em breve, Han descobriu para sua surpresa que aquela não era uma mensagem remota, e que aquele manipulador de marionetes estivera lá o tempo todo! O fato era que Han desconhecia a técnica que ele havia usado para evitar ser detectado pela visão das trevas.

*Kakakaka*

O boneco de baixo nível se inclinou e uma série de sons de explosão parecidos com fogos de artifício se espalhou. O corpo da marionete ficou cada vez maior, acabando por rasgar o manto preto que o cobria.

Quando se virou, Han viu o rosto do marionetista, que estava coberto de tinta colorida. Um nariz curvado, cavidades oculares afundadas, com as características típicas do Clã dos Bruxos. Havia quatro cabeças adicionais nos ombros, duas à esquerda e duas à direita.

Han não sabia se as quatro cabeças adicionais eram suas armas ou apenas decoração, mas ele sentiu uma repulsa tremenda diante daquilo.

*Brrrrrr*

Marionetes saíram do subterrâneo, uma após a outra. Havia algumas grandes, pequenas, voadoras, feitas a partir de insetos, bestas, animais, e até humanos.

Han se sentiu como se tivesse entrado em um museu que exibia todos os tipos de marionetes, ficando deslumbrado com a enorme variedade. Essas poucas centenas de marionetes eram, sem dúvida, de alto nível, comparáveis ​​às poucas que Han lutou individualmente anteriormente.

Porém, isso nem foi o que mais deixou Han nervoso. O que mais preocupou ele foi as quatro cabeças nos ombros da marionete. Até o próprio marionetista emanava uma aura misteriosa que dava a Han uma impressão de complexidade e imprevisibilidade.

Olho das Trevas!

Han mentalizou, usando sua visão das trevas para observar o marionetista à sua frente. Logo, Han fechou seu olho direito e não pôde deixar de cerrar os pulsos com força.

Este manipulador de marionetes não tinha sinais vitais, exatamente como aquelas marionetes, parecendo uma rocha negra sob a visão das trevas.

Uma coisa viva, sem sinais vitais?

Quando Han ficou curioso e começou a refletir, aquele manipulador de marionetes voltou a falar:

— Você é Han, e eu estive procurando por você há muito tempo.

Han assentiu.

— Isso mesmo, eu sou Han, e você é um dos três reis do Clã dos Bruxos, Sha Emperor, também conhecido como o Rei das Marionetes.

Sha Emperor desdenhou:

— Já que você adivinhou quem eu sou, você deve saber por que eu tenho que te matar agora, não é?

Han respondeu:

— Provavelmente você deve estar pensando erroneamente em se vingar pelo seu irmão, o Rei Mandala.

— Hahahahahaha! — Sha Emperor de repente começou a rir loucamente, e então disse com desdém: — Nós do Clã dos Bruxos matamos e devoramos até nossos pais e mães, então de onde você tirou essa baboseira sobre irmãos? Aquele maldito Mandala era o Rei dos Venenos, e ele também era o cara mais traiçoeiro do Clã dos Bruxos! Ele havia me envenenado secretamente há muito tempo para me controlar e me chantagear em troca de várias marionetes preciosas.

Com uma súbita mudança de tom, os olhos insidiosos de Sha Emperor olharam para Han enquanto ele continuava:

— Claro, eu obviamente não iria deixar isso passar de graça. Eu usei uma técnica de marionetes humanoides nele, então foi um empate. Cada um de nós tinha algo sobre o outro. Originalmente, isso não era um problema, já que os membros do Clã dos Bruxos sempre estiveram se controlando e monitorando mutuamente. Porém, infelizmente, esse maldito Mandala morreu pelas suas mãos! Eu emprestei para ele marionetes de monitoramento, então eu sei muito bem que você é o culpado pela morte dele! Nós definimos uma contingência um para o outro em caso de morte. Se ele morresse, eu deveria vingá-lo, ou então o veneno faria efeito e eu morreria. Se eu morresse e Mandala ainda estivesse vivo, ele deveria me vingar, caso contrário, a marionete parasitária que eu tinha no corpo dele iria ser acionada e o mataria! Agora você entende por que eu preciso te matar? Se você continuar vivo, eu morrerei.

Han negou com a cabeça e disse com um sorriso:

— Acho que você pode ter sido enganado. Eu entendo um pouco sobre farmacologia. Um veneno mágico como este que você falou não existe neste mundo.

— Ainda assim, eu não posso correr esse risco, — Sha Emperor aprofundou a voz e explicou, — já que a marionete parasitária não era falsa. Se eu morresse e Mandala não me vingasse, ele realmente morreria. Então, eu acredito que, com a fama do nosso Clã dos Bruxos, aquele maldito não mentiria para mim. Seu veneno deve mesmo existir.

Han suspirou.

— Ha, eu não esperava realmente que o membro mais forte do Clã dos Bruxos, Sha Emperor, fosse se assustar com as palavras vagas de Mandala. Para dizer a verdade, meu professor de farmacologia é o viciado em venenos, Naito Ruin. Se não é algo que meu professor possa fazer, então eu não acredito que Mandala teria conseguido.

Sha Emperor não pareceu interessado em saber quem era o professor de Han, mas ele se importava com o fato de Han pensar que ele era o mais forte. Ele franziu a testa.

— Quem te disse que eu sou o mais forte do Clã dos Bruxos?

Han deu de ombros e disse:

— São os rumores que correm pela Via Láctea.

— Besteira! — Sha Emperor pareceu um pouco irritado. — Esses idiotas… Se eu tivesse chance de me tornar uma ameaça para o Fantasy Neptune, ele teria me matado há muito tempo.

— Oh, então Fantasy Neptune é o guerreiro mais forte do seu clã? — A curiosidade de Han atacou novamente.

— Isso é porque ele tem uma… — no meio da frase, Sha Emperor parou, e isso realmente fez o coração de Han ter uma crise de curiosidade enquanto esperava que Sha Emperor continuasse, mas ele simplesmente não iria continuar aquela frase. — De qualquer forma, você vai morrer hoje com certeza! — Sha Emperor retomou sua intenção assassina enquanto gritava: — Eu subestimei você antes, mas agora, prepare-se para receber a tempestade de marionetes mais aterrorizante do universo! Usarei todas as marionetes que armazenei durante minha vida, todas as mais poderosas, para esmagar completamente sua existência humana insignificante em um só instante! Rasgarei você e suas malditas bestas genéticos em pedaços!

Ele respirou fundo e seus olhos passaram pelas centenas de marionetes poderosas.

Em silêncio, o dedo de Han pairou ligeiramente sobre a Marca Lunar e, ao mesmo tempo, ele abriu outro anel dimensional de cem metros cúbicos.

*Vovovovovovooooosh*

Mais bestas genéticas apareceram ao lado de Han. Não havia muitas, apenas perto de cinquenta, incluindo a não tão leal besta de fusão Nº 1.

Quando entrou na Senda de Todos os Deuses, Han foi posto diante de vários domadores de bestas da raça divina. Como ele era originalmente um guerreiro, aqueles domadores de bestas não foram páreos para ele. Depois de matar um monte deles e roubar muitos anéis dimensionais, entre outras coisas, ele também conseguiu mais bestas genéticas.

Algumas dessas bestas de fusão foram desmembradas por Han para reaproveitamento dos materiais. Por exemplo, muitos dos materiais na besta de fusão Nº 1 vieram daquelas bestas genéticas.

Porém, havia algumas com níveis decentes que Han guardou para si, e elas eram as que estavam no campo de batalha agora.

Como Han sempre gostou de uma força menor, porém de elite, e as bestas genéticas da raça divina não eram tão fortes, Han normalmente não gostava de usá-las.

Afinal, ele ainda era muito cauteloso. Aqueles em quem ele mais confiava ainda eram as bestas de fusão que ele havia criado com suas próprias mãos. Ele acreditava que a Garra do Demônio, Raposa Prateada e Garra Fantasma nunca o trairiam. Quanto às bestas genéticas que os outros domadores criaram, Han não confiava muito nelas.

— Humph! — Sha Emperor zombou: — Algumas poucas bestas genéticas decentes e você pretende enfrentar meu exército de marionetes?

Han respondeu casualmente:

— Quer tentar a sorte?

— Não preciso tentar. Eu disse que você vai morrer, então você com certeza vai! Nem mesmo os deuses podem te salvar! Vão! Rasguem este humano e suas bestas genéticas em pedaços! — Sha Emperor acenou com o braço e gritou.

Esta não era apenas uma guerra entre Han e Sha Emperor. Era também uma batalha entre um domador de bestas e um marionetista de elite!

Vermillion
Primeiro de seu nome, Nascido do Caos, o Que a Tudo Lê, Spymaster nas horas vagas, Father of Fakes, Professor de Inglês, Um dos Três, Editor do Qidian, Tradutor de TA, Soberania e DNG, Marido Raiz.

1 Comentário

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!