DCC – Capítulo 160

Reboot

 

—  … eu sou a guardiã da Relíquia da Sabedoria.

As minhas palavras foram ditas em voz baixa, mas foram recebidas com grande surpresa pela fantasma d’água.

— Você na verdade está guardando duas Relíquias ao mesmo tempo?

— Sim.

— A Relíquia da Criação e a Relíquia da Sabedoria?

— Sim.

Por algum motivo, eu estava começando a me sentir conversando com outro humano que fazia perguntas retóricas.

— Então, você na verdade é a Deusa da Criação ou da Sabedoria?

— Que? — A última pergunta me pegou completamente de surpresa.

— Você não tem conhecimento sobre esse assunto?

— Eu… eu tenho, mas como você tem?

— Nosso criador original foi alguém com conhecimento sobre os deuses superiores. Ele deixou para trás a informação de que um mortal só seria capaz de suportar o peso de duas Relíquias, se sua alma fosse divina. Pois a divindade da alma se aliaria ao peso de uma das Relíquias, deixando os efeitos no corpo para a outra.

Essa era a primeira vez que eu estava ouvindo algo assim. Criador original? Quem tinha sido essa pessoa? Ela estava se referindo a quem inventou a inteligência artificial de modo geral, ou apenas aquelas que viviam naquele planeta? Esses caras realmente eram muito mais bem informados do que eu esperava.

— Você é a primeira geração que guarda duas Relíquias? — a fantasma perguntou.

— Não… o meu parceiro da Transformação guardou a Sabedoria algumas décadas antes de mim… — eu comentei, ligeiramente aturdida. Eu realmente não sabia se os antecessores antes de nós tinham feito dessa forma.

— Então, ele deve também deve ter uma alma divina. Você deve se apressar e localizar a alma divina destinada à Sabedoria. É predito que grandes tragédias vão surgir quando as almas divinas da Criação e Transformação se encontrarem.

Essa história de novo… Eu respirei fundo, tentando não entrar demais nesse assunto.

— Bem, pode manter segredo sobre eu guardar a Sabedoria? — eu perguntei cortando aquela conversa.

— Bom, é possível. Mas creio que seja inviável. Nosso povo é inteligente. No momento em que você conseguir entrar em contato com o núcleo e nos informar como solucionar o problema, todos perceberão a mudança e associarão automaticamente que o humano responsável por isso é o guardião da Sabedoria, e consequentemente um de vocês dois. A probabilidade é que especulem que que você e seu acompanhante sejam guardiões de cada uma das Relíquias, já que o conhecimento de que guarda a Criação está na rede, e as chances de ter ocorrido uma alma divina podem ser desprezáveis.

Isso não é bom para Mikal… ele poderia correr perigo, — eu pensei, lembrando que Mikal estava decidido a tentar me proteger, sendo que eu estava cada vez mais colocando-o em situações cada vez mais delicadas.

— O ideal é que ele mesmo decida.

— Me deixe falar com ele a sós novamente, — eu pedi.

A fantasma d’água indicou com o braço na direção de Mikal, e eu mais uma vez percorri o caminho entre nós. Ele estava esperando de pé, com um olhar cada vez mais ansioso.

— E então? Tudo acertado?

— Na verdade… — eu suspirei enquanto pensava em como eu poderia colocar aquilo para Mikal sem contar a ele toda a verdade. — Descobrimos que eu posso ajudar, sem precisar chamar outra pessoa. Mas se eu ajudar, vão especular que essa pessoa esteve aqui. E como você está aqui, é possível que pensem que seja você. Você estaria em risco…

— Pode parar! — Mikal disse sério estendendo a mão na minha frente para me calar. — Se for só esse o problema, vá em frente. Apenas lembre de mim quando receber o prêmio. Eu realmente estava afim de dar uma incrementada nos meus “brinquedos”.

Eu sorri involuntariamente da forma casual como Mikal falava de “brinquedos”. Eu bem imagino que tipo de brinquedos seriam esses. Mas eu percebi que ele não estava sendo leviano nessa decisão. Eu fiquei realmente comovida em ver que ele estava disposto a se colocar na linha de frente para ajudar a proteger um segredo que ele só sabia que existia, sem nem saber do que se tratava, sem nem saber se valia a pena a vida dele.

— Muito bem então… — Eu sorri para Mikal e depois disse em voz alta para que a fantasma d’água escutasse. — Estamos de acordo. Depois que eu melhorar, ajudarei na tarefa que pediu.

A fantasma d’água expressou o que parecia ser um suspiro de alívio e nos acompanhou de volta até o elevador onde o cara-parede ainda nos esperava com a mesma expressão passiva e vazia de antes, e então voltamos à superfície onde fomos acompanhados para um local com uma estrutura mais “humana”.

— Eu já vim aqui algumas vezes… As I.A. que trabalham aqui são bastante curiosas, mas extremamente competentes. Imagino que elas venham a ficar interessadas na forma como o seu corpo funciona.

Assim que colocamos os pés dentro da sala, uma enorme fila de droids com vários formatos diferentes se amontoou ao meu redor. A informação que eles tinham era que eu era capaz de trazer alguém que pudesse consertar o núcleo central deles e por isso estavam bastante ansiosos para me tratar logo.

Me levaram até uma maca que ficava no centro de uma sala esterilizada completamente cercada por aquele vidro líquido feito de litoângstroms transparentes. Era bastante constrangedor, mas eu já estava acostumada a esse tipo de exposição. A parte mais interessante é que eles fizeram uma projeção 3D completa do meu corpo em escala ampliada com cada mínimo detalhe.

Depois, a projeção foi separada em várias subdivisões que representavam cada qual uma parte diferente do meu corpo. Tinha uma projeção específica para o meu sistema circulatório, outra para os pulmões, sistema nervoso, ossos… tudo estava demonstrado nessas projeções com pequenas legendas flutuando onde pareciam haver problemas.

Eu não entendia muito mas, pelo que parecia, o forte impacto causado pelo uso da Relíquia da Criação sob o meu corpo daquela forma deixou várias escoriações e pequenas hemorragias internas. Parte do meu sistema nervoso tinha fritado… de novo… e mesmo meus ossos reforçados pareciam ter sido fragilizados.

Um dos droides saiu da sala e foi conversar com Mikal, enquanto outro chegou do meu lado e introduziu uma agulha intravenosa no meu braço.

— Estaremos desligando o seu sistema nervoso para iniciar os procedimentos de reparo. Quando acordar, já estará tudo bem.

Eu confirmei com a cabeça voltando o olhar para o droide e Mikal que conversavam do lado de fora. No segundo seguinte… bom, eu não sei mais o que aconteceu a partir do segundo seguinte. Apenas o vazio de sensações causado pela anestesia.

Nega Fulor
Leitora compulsiva. Escritora obsessiva. Artista nas horas vagas.

2 Comentários

    1. obrigada Wgsluis. Passei esses dias me divertindo lendo seus comentários. É muito bom saber que os leitores estão gostando e o que estão pensando na hora huahuauhahua

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!