LdL – Capítulo 12

SOMA

[Autor: JS Dantas] [Revisor/Editor: Mini/Lyn]

Elizabeth sentou-se sorridente a minha frente e me entregou uma pedra transparente em formato de losango.

— Este é um cristal do caminhar, ele ajuda a sentir às magículas tanto do seu interior como as à sua volta.

— Muitas pessoas não conseguem ter um primeiro contato natural com as magículas, um caso como o seu de acesso prematuro forçado não é tão incomum quanto parece, se a pessoa não for treinada logo ela pode até mesmo explodir em mil pedacinhos, então seja grato — Liz estufou o peito orgulhosa enquanto explicava. 

— ESPERA AÍ EXPLODIR!? — protestei, com certeza ela poderia estar me sacaneando, mas como tudo era novidade eu não poderia descartar nada.

— Comigo foi bem natural — Elizabeth me deu um sorriso sacana e ignorou minha pergunta de propósito — quando senti o poder das magículas a minha volta foi como um BUM! de energia, entende? 

Um bum? Ótimo. — julguei internamente enquanto apertava minhas têmporas. 

A Duquesa gesticulava com as mãos e os braços com extremo entusiasmo 

— Quando você sentir vai saber, é como ter o corpo em chamas. É uma sensação única, quando sentir vai entender tudo na hora… Eu espero…

Maravilha, agora eu vou pegar fogo — Eu estava involuntariamente com uma das sobrancelhas arqueadas em total confusão e descrença.

Charlotte sentou em uma cadeira e observou tudo em silêncio avaliando toda a cena com a boca torcida em desaprovação. 

— Erh como posso explicar… — Liz, notando o julgamento de Charlotte continuou um pouco desajeitada — Ela… Ela serve como um condutor para você se conectar… Entendeu?

— Acho que entendi… — respondi tentando esconder o riso. Charlotte deu uma piscadinha para mim e fez um sinal com a mão pedindo que eu aguardasse mais um pouco.

— Segure seu cristal com ambas às mãos, isso mesmo. Agora feche os olhos e sinta o calor dele, vê?— seguindo às instruções de Liz fechei meus olhos e passei apenas a ouvi-la. — Imagine que está cercado por ehr… folhas… Sim folhas, imagine que está debaixo de uma árvore e essas folhas estão caindo em sua volta, você poderá sentir essas folhas na pele, mas quando elas te tocarem sua pele vai ficar quente então… são como folhas de fogo, isso, a árvore está pegando fogo, é isso!

Abri os olhos completamente confuso apenas para ver a duquesa cruzando os braços orgulhosa de sua explicação.

— Quem em sã consciência ficaria embaixo de uma árvore em chamas, Elizabeth? — Charlotte se levantou da cadeira e se aproximou , ela apertava os olhos com os dedos tentando esconder a vergonha alheia que sentia naquele momento. — Querida, você pode ser muito boa com uma espada e é uma ótima conjuradora de batalha, mas definitivamente não tem talento para ser professora de conjuração.

— Eu ainda tô tentando entender a parte de explodir em mil pedacinhos… — falei desanimado.

Charlotte não conseguiu mais conter o riso. Elizabeth se virou para nós com a cara emburrada e falou:

— Tudo bem, já que é assim ensine ele, sabichona — a Duquesa deu de ombros fingindo não se importar e caminhou até a cadeira claramente chateada.

Charlotte me segurou pela mão e me guiou até o centro da plataforma do jardim.

— Sente-se querido. Cruze suas pernas e segure o cristal com ambas as mãos perto do peito. — Charlotte se sentou da mesma forma de frente para mim, seus grandes olhos azuis gentis me analisavam e me guiavam com ternura. — No início pode ser um pouco desagradável, você de fato vai sentir uma queimação mas logo vai se acostumar, é quase como entrar em uma banheira de água quente.

— Feche seus olhos e se imagine envolto por uma brisa leve. — baixei meu olhos e comecei a seguir às instruções de Charlotte — Agora vou ativar o cristal com um pouco da minha soma, aguente firme.

De repente, senti uma onda morna como uma brisa quente atingir minhas mãos, logo o calor foi aumentando rapidamente, meus braços pareciam queimar como se estivessem em chamas, larguei o cristal por instinto e abri meu olhos assustado.

— Meus braços! — tateei meus membros desesperadamente em busca de queimaduras que não estavam lá, Charlotte agarrou minhas mãos e me olhou nos olhos.

— Calma James! Calma — Sua voz era suave e transmitia uma segurança encorajadora — Eu estou aqui, Liz está aqui. Não precisa ter medo. Olhe para mim. Eu preciso que você seja bravo agora, vou fazer sua energia fluir, apesar dessa ser um pouco mais forte do que o normal eu vou te ajudar. Quero que você siga a risca tudo o que eu irei te dizer, acredito em você meu querido.

Seus grandes olhos azuis demonstravam determinação e confiança. Ela realmente acreditava que eu seria capaz de dominar essa força, nesse momento eu vi que não poderia decepcionar alguém que depositava tanta fé em mim.

— Tudo bem, Charlotte — acenei com convicção.

Ajustei minha postura e tomei a pedra novamente em minhas mãos.

— Tudo bem, vou ativar o cristal de novo, lembre-se que essa dor é apenas mental, ela é o seu corpo se tornando sensível às magículas, ele vai tentar absorvê-las automaticamente. Essa queimação é causada pela energia entrando em seu corpo.

Mas se esse calor é causado pela absorção de energia por que eu não venho sofrendo disso desde o ataque? — Perguntei — Elizabeth me falou que meu corpo está constantemente absorvendo energia.

— Ótima pergunta — Charlotte retrucou animada — Parte disso se deve ao fato de que Liz está fazendo a maior parte da… como posso dizer “filtragem” da sua energia.

— Filtragem? — questionei coçando a cabeça.

— Sim, basicamente o que estamos fazendo aqui é criar e dar uma forma para o seu núcleo somatico para que você mesmo possa controlar a absorção de sua energia. A prática é a melhor professora, vamos continuar.

Assenti com a cabeça e retomei minha postura.

— Quando se acostumar essa queimação vai parar. Pronto? Vamos-lá.

Mais uma vez senti a brisa quente em minhas mãos e a queimação logo em seguida, mas dessa vez não cedi a dor, cerrei meus dentes e tentei me concentrar nas orientações de Charlotte.

Logo, todo meu corpo estava queimando intensamente.

— Tente imaginar sua soma viajando pelo seu corpo como um rio. Veja ela percorrer das pontas para o centro. Cada vaso sanguíneo e cada veia são os canais por onde essa energia vai correr. — Charlotte deslizava seus dedos da ponta de minhas mãos até o centro do meu peito, facilitando a ilustração com o tato.

A queimação em meu corpo foi diminuindo de acordo com que eu seguia as instruções de Charlotte.

— Agora quero que imagine esses rios desaguando em um grande lago seco, aos poucos ele vai sendo preenchido pela água. Ótimo, pouco a pouco ele está atingindo seu limite máximo e irá parar de encher.

A queimação em meu corpo se dissipou aos poucos até cessar completamente, o cheiro de grama e o ar fresco preenchiam meus pulmões. A brisa trazia consigo o perfume das flores. E uma enorme sensação de acolhimento e calma me preenchia aos poucos.

Abri os olhos lentamente e pude ver Charlotte, Liz e todo o jardim me observando sorridentes. Olhei ao redor e tudo parecia de alguma forma novo para mim, o mundo ainda era o mesmo, mas ao mesmo tempo parecia ter mudado completamente. 

Senti algo estalar dentro de mim e dessa vez conseguia ver claramente uma linha dourada ligando meu dedo ao de Liz, e uma outra linha vermelha ligando o dedinho esquerdo de Charlotte ao dedinho esquerdo de Liz. E de cada uma delas conseguia sentir uma leve onda que emanava uma sensação de calor e orgulho.

Liz e Charlotte me olhavam sorridentes, a Duquesa se levantou e caminhou em minha direção me agarrou pelos ombros orgulhosa e disse.

— E então como você se sente?

Eu respondi com um sorriso:

— Poderoso.

JS Dantas
Entusiasta de RPG, mestre sem coração, escritor nas horas vagas, compromissado com seus deveres e amante da boa leitura.

22 Comentários

  1. Já sinto falta dos lobos kkkk

    Falando nos lobos eu tenho uma memória não sei se é de uma série ou filme, onde se fala, que dentro de nós tem dois lobos um do mal e outro do bem lutando todos os dias para assumir o controle do nosso corpo, e o que vence é aquele que nós alimentamos.

    Aleatório mas eu sempre lembro disso e essa novel sempre que leio penso nela kkkk

    1. Sim, essa é uma parábola muito famosa e sábia. Ela teve forte impacto em mim na hora de criar a história. Esse seu sentimento de familiaridade por ela é devido a isso XD. Vou deixar ela aqui para que você possa reler. Ela é de fato maravilhosa.

      Uma noite, o velho sentou-se sob o céu estrelado e convidou seu netinho a sentar-se ao lado dele. Ele contou anedotas de sua história que fizeram dele o velho sábio que era considerado por todos.

      Ele antecipou que iria dizer algo que o marcaria para sempre e esta foi a conversa que eles tiveram e certamente o pequeno nunca esqueceu:

      – Sabe, em nosso interior, todos temos dois lobos, constantemente ambos têm uma luta imparável, uma luta terrível que nem todas as pessoas têm facilidade em lidar.

      – Dois lobos, como é isso avô? – Com ingenuidade e espanto perguntou o menino.

      – Sim, todos temos dentro de nós dois lobos completamente diferentes; Um deles é mau, porque ela representa todos os sentimentos ruins que podem existir em um ser humano, a inveja, a raiva, o ciúme, o orgulho, a ganância, o ressentimento, os medos, a mesquinhez, a culpa, o ego, a auto-piedade humana e a arrogância. Mas o outro representa tudo que é bom; o amor, a alegria, a esperança, a generosidade, a paz, a fé, a bondade e a verdade. Disse o velho índio ao seu neto.

      Então o pequenino perguntou:

      – E quem é o mais forte, avô? qual lobo vence?

      – Isso meu pequeno, depende de cada um, qual lobo você alimentaria? …

      1. Ah por isso ficava na minha cabeça, eu vi isso a muito tempo atrás e não sabia de onde era e sempre vinha na minha cabeca

        Obrigado por mandar,agr sei como é a conversa certinho kkk na minha cabeça estava aquela que mandei ali em cima kkk

  2. O cara virou a power bank da Liz, ele acumula o poder e depois ela pega dele.
    Obrigado pelo capítulo

      1. Bom os dois tbm usaram o atalho para usar nen com o professor deles abrindo os poros deles a força direcionado o nen neles e caso fosse alguém mal intencionado eles morreriam depois eles tinham que imaginar o nen deles circulando no corpo e se fixando como se fosse uma segunda pele ambos se sentiram uma nova pessoa depois de usar o nen igual o protagonista

        1. É de fato a parte do professor auxiliando no manuseio da energia é similar, mas isso é algo bem geral já que todo professor ta ali para auxiliar mesmo. No caso, Gon e Kill procuraram abrir seus pontos chockos forçadamente devido a urgência da situação. No caso da história James estaria mais no lugar de alguém que foi atacado e teve seu Nen ativado. Enquanto o nucléo de Nen é similar ao do chackra o núcleo da Soma seria algo como um construto interior. No caso do James é um lago, mas tb poderia ser um oceano, uma montanha etc. Mas concordo que tem algumas similaridades inevitáveis kkk

    1. Não achei. Se for levar em consideração esse metedodo de ensino guiado você vai englobar milhares de obras em uma só. Essa ideia de energia viajando pelas “veias” “rios” “fios de chakras” ou sei lá, é algo muito usado afinal todos tem as mesmas origens que seria os pontos de chakra, conceito de aura, cosmo ou chi(ou ki). Nisso podemos englobar uma cacetada de animes, mangás e livros. Dentre eles eu acho que essa parte se assemelharia mais com a cena de um anime recente, o jujutsu kaisen, onde um dos caras ensina ao Itadori mais ou menos o conceito da energia amaldiçoada.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!