LdL- Capítulo 17

As engrenagens começam a girar

[Autor: JS Dantas] [Revisor/Editor: Mini/Lyn]

A luz fraca piscava de forma ritmada em uma sala úmida e abafada. Mofo e diversas infiltrações tomavam conta das velhas paredes de pedra, os degraus da única escada que dava para o lugar estavam escorregadios devido aos pontos onde o lodo se espalhou.

Uma grande mesa negra que aparentava ter sido talhada diretamente do tronco de um ébano abrigava seis figuras ao seu redor.

Pratos de bronze remexidos com restos de comida estavam espalhados pela mesa. Os integrantes do misterioso jantar agora estavam no auge de uma calorosa discussão.

Aparentemente o tópico da conversa já perdurava há um bom tempo, uma atmosfera maçante tomava conta do lugar, refletida nas atitudes desinteressadas e chateadas de alguns dos integrantes, enquanto outros demonstravam impaciência. Cada um dos convidados sentados à mesa usava uma máscara distinta.

Algumas cobriam metade do rosto como máscaras venezianas, outras eram mais customizadas possuindo aspectos animalescos. Mas todos ocultavam as próprias identidades como forma de proteção.

Um dos homens estava mais agitado, ele gesticulava de maneira fervorosa enquanto os demais demonstravam desinteresse por suas palavras através de conversas paralelas e batidas ritmadas com os dedos na mesa completadas por feições imparciais.

— Senhores, não teremos uma chance melhor que essa. — seus cabelos ruivos, molhados pelo suor estavam caídos sobre uma máscara amarelo bronze que cobria seus olhos, seguida por um bico de corvo.— Além da Duquesa muitos membros da aristocracia estarão presentes, poderemos pegar todos de uma vez só.

Uma bela mulher de cabelos ruivos encaracolados suspirou entediada e ressaltou enquanto brincava com as ervilhas em seu prato.

— O nosso objetivo principal é a captura da Duquesa — sua voz era suave e profunda, porém mecânica como se já estivesse cansada de repetir a mesma coisa várias e várias vezes

Alguns de seus belos cachos caiam sobre uma meia máscara que lhe cobria os olhos, apenas seus atraentes lábios avermelhados estavam à mostra. Um sobretudo escondia a maior parte de um vestido escarlate decorado com pérolas brilhantes.

— Tifeus, em nada nos interessa essa sua revolução, contanto que consiga comprir sua tarefa, você pode matar quantos nobres quiser…

O ruivo torceu os lábios, para ele a bela dama de vermelho era como os demais nobres extravagantes que usavam roupas caras e desmereciam dos interesses alheios, para eles só interessava seus próprios assuntos. Tifeus odiava essas características e a moça sabia bem disso, percebendo o incômodo de seu colega, ela lançou um beijinho debochado no ar.

— Ora sua… — partes visíveis de seu rosto se avermelharam com a irritação que a mulher causava em si.

— Não conte comigo, nem com os espinhos negros — falou um rapaz de cabelo platinado sentado à sua frente. Ele exibia uma meia máscara marfim, cobrindo o olho esquerdo e o nariz — Vocês revolucionários só falam em nobres isso, nobres aquilo… Não há diversão nos lamentos deles — disse com desdém e tédio.

Os deboches e o estresse explodiram dentro do ruivo em um soco forte na mesa produzindo um barulho estrondoso causado pelos pratos, copos e talheres que foram jogados de seus lugares com o impacto na madeira, que reverberou pelo cômodo fechado.

— Não se trata de diversão, mas sim de justiça… Eles tem tudo de mão beijada e nós…

— Sei sei, nobres são malvados e plebeus são as vítimas — o sujeito da meia máscara marfim o interrompeu com indiferença — Não há diversão nisso. Nada se compara com o olhar de terror e ódio de um homem que presenciou a esposa sendo estripada e sua filha enforcada com os intestinos da própria mãe. Aaaaaah — O homem tremeu, a mera lembrança da cena ainda vívida em sua memória o levava de volta ao sentimento de êxtase.

— Argh, esse assunto de novo, Valete? — a dama sentada a esquerda torceu o nariz em desaprovação — Nos poupe de seus métodos sórdidos… Não esqueçam que há um mês o tecido da tapeçaria foi rasgado, esse assunto não deve ser deixado de lado. Lira, você descobriu mais alguma coisa a respeito disso?

Lira estava sentada no final da mesa do lado esquerdo ao lado de Valete, ela segurava uma taça de vinho observando o líquido com cuidado e o levando aos lábios rosados em pequenas doses saboreando cada gota, suas madeixas negras recaiam sobre sua máscara branca que lembrava o rosto de uma coruja lhe dando uma aparência misteriosa.

— Ainda estou investigando as leituras daquela semana, mas já posso dizer que são completamente diferentes das leituras de dois anos atrás — falou a mulher sem tirar os olhos de sua taça de vinho. Sua atitude era distante como se sua mente estivesse trabalhando em uma infinidade de outros assuntos não pertinentes à reunião.

Vendo o interesse na área da duquesa Tifeus mais uma vez investiu:

— Vocês não veem a chance aqui? Todos ganharemos, além de eu conseguir acabar com alguns sanguessugas vocês podem finalmente desestabilizar…

— Não é algo tão simples assim garoto — insistiu a mulher ruiva — Não se trata apenas de derramar sangue.

— Idiotas como ele simplesmente não conseguem entender isso. — Lira reforçou o argumento da mulher ruiva — Héstia não se tornou próspera da noite pro dia seu imbecil, derrubar um poder para instaurar outro não é algo feito num estalar de dedos, apenas controle seus peões e…

Tifeus socou a mesa novamente fazendo os pratos e talheres tremerem.

— NÃO NOS TRATE COMO FERRAMENTAS DESCARTÁVEIS!!! — Tifeus rugiu em ódio e ressentimento por todos aqueles que ele considerava o pior tipo de ser existente.

O homem na cabeceira da mesa levantou uma das mãos e imediatamente todos à mesa cessaram a discussão. Observando todos ao redor, ele aguardou alguns momentos para ter certeza que todos haviam recobrado a compostura.

— Já basta, senhores — Sua voz era suave e autoritária, seu capuz estava abaixado revelando seus cabelos e barba brancos, ele usava uma máscara que cobria apenas seus olhos como as de um baile carnavalesco. — Tifeus, lembre-se que a prioridade é a captura da Duquesa, quanto ao resto você pode fazer como desejar. Algum dos membros presentes deseja participar? — vendo que nenhum dos membros demonstrava interesse, ele continuou — Te darei acesso ao arsenal, pegue o que precisar e certifique-se de que todos os envolvidos na operação estejam portando anéis de Cielo.

— Entendido! Eu agradeço, Grão-mestre. — o sujeito com máscara de corvo se inclinou levemente em respeito, mais calmo por ter certeza que fora ouvido.

O homem da cabeceira apenas acenou com a cabeça em resposta.

— Quanto ao rompimento do véu, deixarei isso nas mãos de Lady Lira e de Lady Minerva —A moça com a máscara de coruja e a mulher ruiva acenaram positivamente.

— Valete, — continuou — precisamos de mais informações a respeito das operações em Vanaheim e dos planos do novo governante de Numaris.

— Meu Senhor, a queda do Sol Negro não irá tardar— falou Valete — Duque Ravinos se mostrou ser bem inclinado às nossas ofertas, ele já causou grandes danos às forças do Rei, a população está dividida. É apenas uma questão de tempo até que ele caia em nossas mãos.

— Ótimo, e quanto a Numaris?

— Seu novo líder se chama Arthur Remo… Aparentemente ele era um lorde menor, mas ascendeu rapidamente devido sua popularidade com os plebeus e suas armas de pó negro… Suas reais intenções ainda são desconhecidas. Também devo relatar que as anomalias no véu sobre Numaris há dois anos atrás podem ter alguma relação com a rápida ascensão de Lorde Remo.

— Muito bem, continue observando ele de perto.

O grão-mestre se levantou e brandou:

— Que a escuridão da deusa recaia sobre nossos inimigos! — Todos os demais membros repetiram em uníssono fizeram uma reverência ao grão-mestre e se retiraram, na intenção de dar continuidade às próprias tarefas.

JS Dantas
Entusiasta de RPG, mestre sem coração, escritor nas horas vagas, compromissado com seus deveres e amante da boa leitura.

7 Comentários

  1. Arthur Remo, nobre em rápida ascensão por ser amado pelo povo e armas de pó negro, envolvido com anomalias no véu durante o começo de sua ascensão…
    Outro Isekai (transportado)?

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!