LAB – Capítulo 170

Um presente (Parte 1)

O sol gradualmente se escondia nas montanhas, e a noite caia na Região Oeste. A delegação de emissários decidiu acampar em um local aberto não muito longe da estrada principal.

Logo depois que armaram suas tendas em um círculo, eles acenderam uma fogueira no centro. Os guerreiros tiraram as armaduras e sentaram em torno da fogueira. Eles esticaram o corpo para relaxar e esperaram até que a água fervesse sobre o fogo para cozinhar um pouco de mingau.

Alicia trouxe uma bacia de água quente em uma barraca e disse:

— Minha Sacerdotisa, por favor, lave o rosto.

— Obrigada. — Mira acenou com a cabeça para ela com um sorriso, e depois mergulhou a toalha na água — Nós vamos chegar em Vila Fronteiriça amanhã. Obrigado por seu trabalho duro ao longo do caminho.

— Sinceramente, esse trabalho não é nada comparado com a luta contra bestas demoníacas. Nesta viagem, a senhora é a pessoa que mais me impressionou. Eu pensava que sacerdotisas não eram boas em viagens longas, mas a senhora andou muito bem e até nos guiou de um jeito formidável. — Alicia disse.

— Hahaha, eu não nasci uma sacerdotisa. Eu frequentemente viajava a cavalo quando eu era uma comerciante. — Mira limpou a poeira e suor no rosto com a toalha e, em seguida, devolveu a bacia para a guerreira — Lave seu rosto também, por favor. Mas… e então? Você se sente melhor agora?

— Sobre o que? — Alicia estremeceu.

— Sobre o Exército da Punição Divina. — A sacerdotisa balançou a cabeça com um sorriso — Parece que você anda com o coração angustiado. É por causa do que Abrams disse?[1]

Alicia pegou a bacia sem dizer nada.

— Todos nós vamos encontrar dificuldades e desafios. Se não pudermos vencê-los, o mundo inteiro vai sofrer, e muito mais a Igreja. A fim de parar esses inimigos terríveis, às vezes, temos de fazer sacrifícios. Este problema pode deixar você em um dilema, mas não se esqueça do lema da Igreja. — Mira disse.

— Dos males, o menor? — Alicia disse, em voz baixa.

— Exatamente, o propósito do sacrifício determina se ele vale a pena ser feito. Mais importante ainda, a participação na cerimônia de encarnação do Exército da Punição Divina é completamente voluntária. Quando o irmão de Abrams quis se tornar um guerreiro do Exército da Punição Divina, ele estava pronto para sacrificar-se pela Igreja. Essa é uma atitude grandiosa, e seu nome será gravado no monumento da glória e transmitida pelas gerações, juntamente com a glória da Igreja.

— Obrigada, minha Sacerdotisa. Eu me sinto muito melhor agora. — Alicia disse, com sua mão direita sobre o peito.

O mal-estar que ela estava sentindo, de repente desapareceu ao ouvir o que a sacerdotisa disse. Ela pensou que independente do que for, no mínimo, os guerreiros do Exército da Punição Divina se apoiam fortemente em sua fé e sacrificam-se a si mesmos pela glória das divindades.

— O prazer é meu. — Mira disse com um leve sorriso — Vamos comer. O jantar deve estar pronto agora. Brincadeiras à parte, eu já nem sinto mais gosto nenhum de tanto comer mingau durante todos estes dias.

—Felizmente, hoje é o último dia. — Alicia sorriu e disse — Amanhã, vamos encontrar o Lorde e desfrutar de um esplêndido banquete.

O Chefe de Justiça era o responsável pela vigia do acampamento após o jantar insípido. Os guerreiros do Julgamento não tinham mais nada para fazer, então foram para suas tendas dormir. Alicia também voltou com a sacerdotisa para a tenda, colocando para fora sua lamparina e se enrolando nos cobertores.

Alicia não tinha certeza de quanto tempo ela dormiu antes de ouvir um baque repentino, ainda sonolenta. Parecia que algo bateu no chão. Logo em seguida, ela ouviu outro som pesado e abafado. O ruído lembrava o som de armadura caindo no chão, embora muito vagamente.

Alicia abriu os olhos ao mesmo tempo e rapidamente saiu debaixo da sua colcha e agarrou sua espada com as duas mãos, movendo-se lentamente para a saída da tenda. Quando ela ia levantar um canto da tenda para ver o que aconteceu lá fora, ela ouviu o Chefe de Justiça gritar com raiva:

— Ataque inimigo! Guerreiros, levantem rápido e lutem! —  O rugido quebrou o silêncio da noite e agitou todos na delegação.

Depois disso, Alicia ouviu um grande estrondo! Enquanto isso, a voz do Chefe de Justiça de repente parou.

Ela não hesitou mais e prontamente rolou para fora da sua tenda. Ela viu a espada-larga do Chefe de Justiça sendo cortada ao meio, não… não foi somente a sua espada, o corpo dele também foi cortado ao meio e sangue jorrou para cima. À luz da fogueira, ele se ajoelhou debilmente e seu corpo caiu em dois pedaços, aos pés de uma mulher.

Esta mulher com uma espada-larga na mão era a inimiga. Ela vestia um manto preto e estava com um capuz cobrindo o rosto. Na sombra do capuz, Alicia podia ver claramente dois olhos dourados brilhantes.

Outros dois Guerreiros do Julgamento foram atacar juntos a mulher, mas nenhum deles pôde resistir àquela terrível espada-larga em suas mãos. Ela matou cada um dos Guerreiros do Julgamento com apenas um ataque, cortando tanto o guerreiro quanto sua espada ao meio. Em primeiro lugar, as espadas se chocaram, fazendo ruídos alto, emitindo faíscas e lascas de ferro por todos os lados. Depois do atrito das espadas vinha o som de ossos sendo quebrados. Estes sons eram como um pesadelo vivo para Alicia, cujo sangue parecia ter congelado.

— É uma bruxa! — Alguém gritou.

Há apenas uma atacante… e ela ousa iniciar um ataque contra o Exército do Julgamento sozinha. Ela deve ser uma caída com o poder do demônio! — Enquanto Alicia estava absorta em pensamentos, uma voz firme de repente chegou aos seus ouvidos:

— Pegue a sacerdotisa e vá embora!

Ela se virou e viu Abrams.

— Você está me pedindo para deixar todos os meus companheiros de batalha para trás? — Alicia arregalou os olhos.

— Se você não fizer isso, você vai morrer aqui por nada. Você não entende! — Abrams rosnou com o rosto sério e as sobrancelhas cerradas — Ela não teme a Pedra da Retaliação Divina. Ela deve ser um Extraordinária. Vou tentar o meu melhor para impedi-la. Enquanto isso, pegue a sacerdotisa e vá embora para o Forte Cancioneiro! Lembre-se de pegar a estrada principal o tempo todo. Se você ver qualquer caravana ao longo da estrada, peça ajuda a eles!

Após dizer estas palavras, ele correu para a mulher com a espada na mão.

Ela é uma Extraordinária. — Alicia ficou chocada — Contam que somente os guerreiros do Exército da Punição Divina são capazes de lutar contra uma Extraordinária. Se alguém encontrar uma dessas bruxas, deve correr imediatamente para a Igreja local e pedir ajuda. Abrams está certo. Se eu ficar aqui, o sacrifício dele será em vão.

Vendo cinco Guerreiros do Julgamento mortos rapidamente, os guerreiros restantes mudaram de tática. Eles aproveitaram as tendas e o terreno para lutar uma batalha de bater e correr contra a bruxa, como um estratagema para ganhar tempo enquanto se escondiam. No entanto, Alicia sabia claramente que, mais cedo ou mais tarde, os guerreiros iriam morrer nas mãos da Extraordinária que era muito mais forte e mais rápida que eles.

Ela agradeceu o sacrifício em silêncio e correu de volta para dentro da tenda. A sacerdotisa já estava colocando seus sapatos, à espera de informações. Alicia puxou Mira, e levou ela para onde os cavalos estavam descansando.

— O que aconteceu? — A sacerdotisa perguntou com uma voz preocupada.

— Uma bruxa extraordinária atacou o batalhão! Por favor, venha embora comigo! — Alicia já estava montada em seu cavalo e pediu — Vamos, rápido!

Alicia ficou com medo de que os cavalos pudessem ficar perdidos se eles galopassem na estrada principal, pois ela percebeu que mal podia ver a estrada à noite. Diminuindo a velocidade para garantir a segurança também não seria uma boa escolha. A bruxa poderia facilmente alcançá-las, se elas não corressem.

No fim das contas, Alicia decidiu soltar alguns cavalos para correrem ao longo da estrada principal, enquanto ela e a sacerdotisa foram correndo pela floresta, mas próximas da estrada. Desta forma, seria difícil encontrar elas sem alguma fonte de luz.

Alicia pegou a mão de Mira, e ambas correram ao longo da estrada principal pela floresta. Aos poucos, ela mal podia ouvir os confrontos das espadas. À luz do luar, ela manteve-se em alerta e consciente dos arredores o tempo todo. Se elas adentrassem demais na floresta, elas poderiam encontrar bestas ou víboras, mas pelo menos seria melhor do que encontrar um Extraordinária.

Alicia finalmente suspirou aliviada quando ela percebeu que, mesmo caminhando às pressas e com muita dificuldade, elas estavam se aproximando da Cordilheira Intransponível. Ao que tudo indica, elas não foram seguidas pela bruxa. Finalmente Alicia e Mira conseguiram ficar tranquilas, pois não ouviam mais nenhum som, além dos passarinhos sobre suas cabeças.

— O que vamos fazer agora? — Mira perguntou.

A sacerdotisa não parecia estar em pânico com essa crise, o que deixou Alicia bastante impressionada.

—Minha Sacerdotisa, é melhor encontrar um lugar além do alcance do vento para passar a noite. Quando o amanhecer chegar, iremos até Forte Cancioneiro para pedir ajuda.

— Não vamos para Vila Fronteiriça? Ainda precisaremos de mais um dia e uma noite para mudarmos nossa rota e irmos para Forte Cancioneiro agora.

— Não. — Alicia balançou a cabeça e continuou a explicar — Não foi uma coincidência sermos atacadas por uma Extraordinária. O Lorde provavelmente já está de conluio com bruxas. Se isso for verdade, é muito perigoso para nós irmos para lá agora.

— Entendi o que você… — A boca de Mira de repente ficou aberta. Ela parecia olhar para algo atrás da mulher guerreira.

O coração de Alicia quase saiu pela boca. Ela se virou e viu a mulher vestida de preto saindo da sombra da floresta. Seus olhos brilhavam como as estrelas. Uma coruja voou em volta dela e pousou em seu ombro.


[1] Caso você não se lembre, você pode conferir o primeiro contato de Alicia com Abrams no capítulo 66 e posteriormente também no capítulo 147.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

16 Comentários

  1. Já sabia que esse povo ia morrer, mas espero que o presente não seja apenas isso, não me lembro mas no forte tem alguma igreja e se sim o Roland poderia por a mão neles mesmo se tivessem conseguindo entrar em contato com a igreja, amo a novel obrigado por traduzir.

  2. Que presente mais sangrento!! heheh

    Uma guerreira que já era fodona ficou ainda mais formidável com essa espada lendária!
    Corta espada e homens ao meio!!

      1. sim vorujas são realmente pássaros magníficos.

        kkkkkk zoas, eu não podia deixar essa passar o tiozão dentro de mim… uhc…

  3. Provavelmente teve um motivo para a Cinza agir assim. Com certeza será muito bem explicado, excelente novel!!

  4. eu tinha certeza que seria uma coruja, e nem é porque eu lembrava do manhua, porque eu não lembrava desses detalhes, mas também era meio óbvio melhor escolha.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!