LAB – Capítulo 185

A Estrela do Teatro (Parte 1)

Um navio chamado O Cisne navegava para o oeste pelo Rio Vermelho. May estava de pé na proa, olhando para a frente. Não era para apreciar a paisagem, é que ela só queria ver o cais de Vila Fronteiriça o quanto antes.

— Quanto tempo até chegarmos ao nosso destino? — May perguntou, impaciente.

— Em breve, Senhorita May. O sol está muito quente, você deveria retornar para a cabine e descansar. — Gaite, que estava atrás dela, disse.

May nem precisava virar o rosto para saber que Gaite estava bajulando ela, sorrindo. Quando ela se virou, percebeu que estava certa.

— Você disse isso antes, e agora você está me dizendo a mesma coisa? Você realmente já foi até Vila Fronteiriça antes?

— Hum… — Gaite, constrangido, coçou a cabeça e disse — Faz dez anos que eu fui até lá pela última vez.

— Um ano é suficiente para Forte Cancioneiro mudar de Lorde, então, você consegue imaginar as mudanças que podem ocorrer em dez anos? — May disse com raiva — Mas, tudo bem, sempre há exceções. Olhe para você, em dez anos, você nunca me viu atuando no teatro.

O humor de May ficou muito melhor, depois de ver um sorriso sem graça em Gaite, enquanto este se retirava. Se não fosse pela carta de Irene, ela nunca teria ido com este grupo de artistas humildes para Vila Fronteiriça.

Como a atriz que era a estrela do teatro em Forte Cancioneiro, ela tinha uma boa reputação na Região Oeste. Desta vez, ela tinha recebido um convite do Teatro da Torre para ir para a Cidade Real de Castelo Cinza. Ela iria atuar na peça Um príncipe buscando amor. O show tinha sido um grande sucesso, e até mesmo o mestre de drama, o Senhor Kajen Fels, elogiou sua performance no papel da princesa que morreu por amor. Embora ela não tivesse interpretado a heroína principal, ela ainda deixou uma profunda impressão de que ela tinha tanto talento quanto a atriz principal.

Mas quando ela voltou a Forte Cancioneiro bastante animada, May descobriu que o Forte tinha sofrido grandes mudanças. Duque Ryan tinha sido derrotado e morreu, e Forte Cancioneiro tinha caído nas mãos do Príncipe Roland Wimbledon, que tinha nomeado temporariamente Petrov Hull da Família Madressilva para governar o Forte… Ela havia se afastado por menos de um ano, mas a Região Oeste tornou-se totalmente desconhecida para ela.

Felizmente, a agitação política do alto escalão não teve muito efeito no teatro. May e suas irmãs teriam discutido isso por todo o jantar, só que seu coração quase saiu pela boca quando soube que Luz da Manhã, o Primeiro Cavaleiro da Região Oeste, tinha sido capturado.

May foi às pressas até o teatro à procura de Irene para pedir mais detalhes, apenas para descobrir que ela também já tinha ido para Vila Fronteiriça cerca de meio mês atrás, provavelmente para se reunir com seu marido. Esta notícia deixou May um pouco desapontada, e também a deixou com um pouco de inveja.

Ambas trabalhavam no mesmo teatro onde ela era a atriz principal, algo merecido, enquanto Irene era apenas uma novata no palco. O título, a Flor do Amanhã, foi dado a Irene por esses atores inferiores que eram lisonjeiros uns aos outros o tempo todo. No que diz respeito à aparência, May definitivamente não perderia, e em relação à riqueza de sua família, embora May fosse uma civil comum, Irene era apenas uma órfã adotada pelo teatro. Portanto, não importa o quê, ela era definitivamente melhor do que Irene.

Mas o que era difícil para May entender era por que Ferlin Eltek, Luz da Manhã, apaixonou-se tão ingenuamente ao olhar para Irene, ao ponto de desistir da herança de sua família para poder se casar com ela.

— Olhe, fazendas! — Alguém gritou — Vila Fronteiriça não deve estar muito mais longe.

May olhou para o lado esquerdo, só para ver campos e mais campos de trigo esvoaçantes ao vento. Os agricultores estavam com chapéus de palha trabalhando nos campos, como se eles estivessem de pé em um mar verde. Os campos de trigo refletiam a luz solar com um brilho resplandecente, se estendendo para o oeste até perder de vista.

— Que belo cenário, Senhorita May. — Rosia se aproximou e disse — Eu nunca esperava que um lugar remoto como este teria uma vasta terra cultivada que pode até mesmo ser comparada com Forte Cancioneiro.

— Isso não é nada comparado com as terras cultivadas da Cidade Real de Castelo Cinza. — May argumentou — Lá, os campos de trigo são tão vastos que podem conectar duas cidades. Você pode ver trigo em toda parte até chegar um ponto de enjoar de tanto trigo.

— É assim mesmo? — Rosia sorriu sem jeito — Eu nunca estive tão longe.

Bem, esta é uma reação normal. — May pensou, mas se fosse Irene, ela teria mostrado uma expressão de inveja e teria pedido a ela para descrever mais.

— Tenha certeza, você terá a chance de um dia.

— Espero que sim. — Rosia acariciou o peito — Obrigada pelo incentivo.

Eu quis dizer que com apenas algumas peças de prata você poderia encontrar uma caravana para levá-la até a capital do Reino, não que você teria alguma chance em toda a sua vida de atuar no teatro de lá.  — May revirou os olhos em silêncio. Mas Rosia era uma boa amiga de Irene, e ela não queria se incomodar em dizer isso em voz alta.

Rosia se juntou ao teatro antes dela, elas tinham quase a mesma idade, mas por causa de sua aparência simples e memória fraca, ela nunca teve a oportunidade de atuar oficialmente no palco. Exceto por Irene, muitas pessoas do teatro nem conversavam com ela.

— Será que Irene sabe que estamos chegando hoje? — May perguntou.

— Eu disse para ela na carta, então, acredito que ela deve estar esperando por nós nas docas.

— Muito bom. — May assentiu — Eu não quero ter que procurar uma estalagem sozinha em uma vila desconhecida.

— Posso te perguntar uma coisa, Senhorita May? — Rosia disse hesitante — Por que você veio com a gente para esta pequena vila? Além disso, por que você tentou esconder isso do teatro? Irene escreveu em sua carta que pode haver uma oportunidade para atuar em Vila Fronteiriça, mas a senhorita não é uma pessoa que precisa de uma oportunidade como essa.

— Se eu dissesse a verdade para o teatro, você acha que eles me deixariam vir até este lugar? — May fez um beicinho — Quanto à razão… Eu só quero saber se minha colega de teatro está tendo uma vida boa.

Na verdade, eu também não sei por que tomei essa decisão de forma tão impulsiva. — May pensou — O Teatro do Forte irá apresentar algumas peças importantes durante os próximos dois dias e agora que eu saí, o proprietário ficou com grandes problemas. Embora ele tenha algumas atrizes para me substituir, eu sei que sem mim, os nobres podem não aceitar o desempenho da peça e até mesmo protestar, o que seria algo bastante sério para o teatro.

Sendo honesta consigo mesma, May sabia que sua atitude não foi sábia. Não importa quão grande a sua reputação fosse, ela ainda precisava contar com o Teatro do Forte. Se ela deixasse o proprietário com raiva, ela não seria capaz de impedir que ele a substituísse por outra atriz, prejudicando seriamente sua carreira. Pedir desculpas não seria uma opção, logo, ela só poderia sair e competir com outras estrelas de outros teatros.

Ah, eu poderia pegar o próximo navio de volta para o Forte assim que eu ver o Ferlin, não é? — May pensou.

Após um tempo pensando, Rosia acabou interrompendo seus pensamentos, dizendo:

— Entendi. Irene certamente ficará muito surpresa quando ver você.

A paisagem ao longo da margem do rio tornou-se gradualmente mais rica. Um monte de tendas e casas de madeira podiam ser vistas no sopé da Cordilheira Intransponível. Como já estava próximo do meio-dia e as mulheres camponesas estavam todas ocupadas cozinhando mingaus e sopas, todos no navio podiam ver colunas de fumaça subindo continuamente das chaminés da vila e até mesmo, ocasionalmente, sentir o aroma gostoso de trigo. Muitas crianças se reuniam para brincar ao longo do rio, e aqueles que eram bons em natação tiravam completamente suas roupas e eram aplaudidos pelas outras crianças, e, em seguida, orgulhosamente voltavam para a terra novamente.

No final, May finalmente viu a doca.

Depois que O Cisne atracou, Gaite e Sam se ofereceram para carregar as bagagens das senhoritas. Assim que elas desceram pela rampa, Rosia animadamente gritou:

— Irene!

Olhando para a direção que ela gritou, May viu uma mulher com um vestido branco que estava na doca, acenando para elas. Ao seu lado, estava um homem alto. Mesmo longe, May ainda podia ver seus largos ombros e seu peitoral bem trabalhado, um homem realmente extraordinário.

Luz da Manhã, Ferlin Eltek.

A imagem de Ferlin que May tinha em sua memória, ficou mais viva e clara do que nunca.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

35 Comentários

  1. Estou sentindo uma treta, vindo dessa may, só espero que não role uma novela mexicana.
    Obrigado pelo capítulo JZanin

  2. não sei se entendi direito por que sou ruim de lembrar nomes mas acho que tem uma amiga fura olho na área

  3. Cheguei ao cap atual muito rápido adorei a tradução e as notas do tradutor infelizmente não consigo esperar pela tradução vou ver em inglês

      1. Kkkkkkkkk comecei a ler Warlock of the magnus world com 100 cap na minha frente eu acompanhei toda a tradução em inglês

          1. Em português e 10 mill vezes melhor mas não aguento esperar

  4. “aqueles que eram bons em natação tiravam completamente suas roupas e eram aplaudidos pelas outras crianças”

    Kkkkkkkkkkkk
    Sei que as crianças são inocentes ( ͡° ͜ʖ ͡°) mas mesmo assim cai na risada

    Obrigado pelo capítulo =D

  5. Atuais… ;-;
    Obrigado.. Só horrível em química mas entendi muitas coisas com essa novel que ironia kkkkk

  6. Talarica!!!
    Você vive querendo o que não pode ter
    Deus não destrói uma família pra agradar você
    E de uma vez por todas tenta entender
    01 sempre foi ela, 02 você
    Segura May🤣🤣

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!