LAB – Capítulo 203

Lar

O mar era como uma terra azul, só que muito mais plano.

Se Maggie estivesse aqui, ela estaria constantemente chilreando para informar a ela o quão longe a ilha ainda estava. Mas agora, o único som que ela ouvia eram as ondas do mar batendo contra o casco do navio. Embora para algumas pessoas isso pudesse soar um pouco monótono, para a tripulação, na verdade, era um dia de sorte, porque isso significava que o dia de hoje era um ótimo dia para se navegar.

Ah, agora vem mais um! — Cinzas pensou. Logo atrás, ela podia ouvir o som de passos, com a madeira do barco rangendo em cada pisada. Alguém estava vindo até ela.

— Eu não esperava que vocês realmente vivessem em um lugar como a Ilha Adormecida. — Um velho de cabelos brancos chegou ao seu lado, com as mãos apoiadas no corrimão — Esse lugar, embora pareça ótimo, assim que a maré sobe, a maior parte da terra acaba sendo inundada, se tornando inadequado para um assentamento. Por que não morar em Baía da Lua-crescente? É a segunda maior ilha dos Fiordes, ainda existem muitos espaços desabitados.

Jack um-olho, o capitão de “Bela e Encantadora”, como o próprio nome sugeria, ele tinha um tapa-olho no rosto que ocultava completamente o olho esquerdo. Ele também era um dos poucos capitães que estavam dispostos a transportar mercadorias para as bruxas. Mesmo que as pessoas dos Fiordes não odiassem as bruxas, ao contrário dos habitantes do continente, elas também não gostavam de lidar com pessoas de fora.

— Nem todo mundo está disposto a fazer negócios com bruxas como você, capitão. — Cinzas sorriu — O mar realmente vai inundar a Ilha Adormecida, mas é precisamente por isso que, como a terceira maior ilha dos Fiordes, ainda é uma ilha deserta.

— Ser a terceira maior ilha não significa que ela também ofereça a terceira maior área para habitação. — O capitão Jack apenas deu de ombros — Se é impossível viver lá, então o tamanho não importa. Por exemplo, veja a Ilha da Chama Ardente.

— As bruxas são excelentes em alterar o ambiente natural. — Cinzas disse com sinceridade — Além disso, agora a ilha tornou-se nosso lar. Enquanto não tivermos de enfrentar a supressão da Igreja, podemos criar um mundo completamente diferente, um… novo mundo. — Ela parou por um momento e depois continuou — Faz quanto tempo desde a última vez que você foi até a Ilha Adormecida?

O capitão tirou o chapéu e coçou a parte de trás da cabeça:

— Já faz quase um mês. Da última vez tive que entregar um grupo de bruxas e um tanto de arroz-pérola. Para dizer a verdade, quando meus marinheiros viram o grupo de mulheres jovens brincando no navio, suas expressões eram as mais idiotas possíveis. Você sabe o quão difícil é para estes jovens marinheiros navegar no mar, eles são semelhantes a um vulcão que pode entrar em erupção a qualquer momento, mas, felizmente, eu os impedi de beber. Caso contrário, meu amado navio poderia ter encarado um desastre.

Cinzas ignorou conscientemente a segunda metade de sua fala.

— Um mês é tempo suficiente para fazer mudanças radicais, capitão. Aposto que quando você ver novamente a Ilha Adormecida, será bem diferente da ilha que você se lembra.

— Mesmo? — Jack assobiou — Então vou aguardar na expectativa… Espere um minuto, o que é isso? — Ele se inclinou para o lado do navio, tentando olhar para frente — Macaco! Tem algo na frente da gente!

O marinheiro, conhecido como Macaco, usou as mãos e os pés para escalar agilmente até o ninho do corvo no topo do mastro, e então ergueu o telescópio.

— Capitão, parece que é uma ilha!

— Ilha! Que idiotice você está falando. — O capitão tirou sua bússola e olhou para ela — Ainda não estamos nem perto da Ilha Adormecida, e se não ela, que outra ilha seria?

— Mas é realmente uma ilha, capitão, eu juro!

— Não jure para mim, marinheiro! Deixe que eu mesmo a veja. — Jack disse, tirando o chapéu.

— Não, não, capitão, não vem aqui não, o vento aqui é muito forte. — Depois de observar por um tempo, Macaco continuou — Pelos Três Deuses! — Ele gritou, incrédulo — É a Ilha Adormecida! Só que ela ficou muito mais alta!

Enquanto a Bela e Encantadora se aproximava lentamente do cais da Ilha Adormecida, a tripulação mal podia acreditar no que estavam vendo.

A ilha imponente era semelhante a uma pequena montanha que se destacava acima do nível do mar. A parede montanhosa era perfeitamente reta e íngreme, distanciando o topo dela por pelo menos muitos metros do nível do mar.

Embora fosse a primeira vez que Cinzas tivesse pisado os pés na Ilha Adormecida, ela ainda manteve um semblante muito mais calmo do que o resto da tripulação. Aos olhos do capitão Jack, isso demonstrava sua autoconfiança e força de caráter.

— Você ganhou. — Jack suspirou — Jamais imaginei que alguém poderia fazer uma ilha subir. Não é surpreendente que o grupo de loucos da Igreja odeie bruxas, pois basta olhar para isso e ver que estas habilidades tornam vocês quase comparáveis aos deuses.

— Tio Jack, não é bem como você disse, que a ilha se levantou.  — Uma jovem sorridente que estava no píer para recebê-los disse — Acabamos de construir uma muralha em torno da Ilha Adormecida, se você esperar um momento, você pode vir conosco e dar uma olhada lá para entender melhor. — Assim que terminou de falar com o capitão, a jovem virou-se para Cinzas e a saudou — Você finalmente voltou, Lady Tilly está sempre falando sobre você.

Cinzas coçou a cabeça.

— Você não precisa ser tão educada, Molly. Você poderia, por favor, carregar as minhas coisas?

— Deixa comigo! — A menina disse pondo a mão em seu peito.

Depois que os marinheiros moveram os grãos do depósito de carga para o cais, Molly convocou seu servo mágico, uma esfera azul-claro com dois braços que poderiam ser transformados à vontade, assumindo várias formas. Seu servo mágico pegou uma dúzia de sacos de grãos com o braço. Logo depois, o braço se transformou em uma rede e foi firmemente agarrado pelo outro braço enquanto a esfera flutuava no ar. Então, ela disse com orgulho:

— Vamos.

— Oh, que habilidade conveniente. — O capitão bateu o punho na palma da mão — Homens, vocês viram? Um trabalho pelo qual tantos de vocês são necessários, foi feito por uma garotinha.

O píer da Ilha atingia a metade da altura da muralha. Caso alguém quisesse entrar na ilha, de fato, precisaria escalar a longa muralha que se erguia ao redor de toda a ilha. Cinzas imediatamente entendeu a ideia por trás dessa empreitada.

Em vez de levantar a ilha, eles tinham levantado o contorno da ilha, transformando toda a Ilha Adormecida em uma bacia cercada por uma borda grossa. E essa borda, que circundava a ilha, era a muralha que Molly havia falado. Na parte de dentro da muralha, havia muitas escadas que levavam para baixo e estavam aninhadas abaixo da Ilha Adormecida.

— Isso… é incrível. — O capitão Jack abriu um sorriso — Vocês transformaram esta ilha em uma cidade, imagine a aparência disso quando tivermos maré alta, meu Deus, você viveria abaixo do nível do mar!

— É exatamente como você disse. — Molly não conseguiu conter seu sorriso — Por isso, também temos duas docas, uma no fundo do oceano e uma no nível do mar. Claro, você também pode dizer um que está no nível do mar e o outro está no ar.

Chegando ao centro da ilha, a tripulação encontrou diversos tipos de casas. Ao contrário das casas tradicionais de madeira ou tijolos, esses prédios pareciam exatamente como uma muralha, como se tivessem acabado de sair do chão, unindo a base ao solo.

Não há dúvidas de que todo esse trabalho, seja a muralha ou as casas, é obra de Lotus. — Cinzas pensou.

— Irmã Cinzas, a casa no extremo mais ao norte é o palácio de Lady Tilly, eu vou levar o capitão comigo para terminarmos a entrega, você não precisa ir conosco. É melhor que você vá logo ver a Lady. — A menina acenou mostrando a direção.

Cinzas assentiu e disse adeus aos dois, seguindo rapidamente o caminho para o norte. Ao longo do caminho, ela viu muitos rostos familiares, todos se curvaram em saudação ou acenaram para ela com um sorriso. Um lar para as bruxas, a palavra ficou mais vívida e brilhante no coração de Cinzas, preenchendo todo o seu corpo com força.

A fundadora deste lar era Tilly Wimbledon, a Rainha das Bruxas.

Ao contrário do palácio real, esta casa espaçosa não tinha guardas nem portões trancados. Cinzas atravessou o vestíbulo e, ao entrar na sala, viu uma figura familiar à sua frente.

Ela andou silenciosamente na ponta dos pés e chegou por trás daquela mulher de cabelos cinzas, tapando os olhos dela com as suas mãos.

— Eu percebi você assim que atravessou pela porta. — A mulher riu — Não se esqueça de como eu encontrei você no meio de toda aquela multidão.

Bruxas Extraordinárias tinham a habilidade de sentir a magia nos outros e, entre duas Extraordinárias, esse sentimento era ainda mais forte. Isso ocorreu porque suas magias estavam conectadas entre si, como um obstáculo invisível, estabelecendo uma conexão firme entre Tilly e Cinzas.

— Eu voltei! — Cinzas disse suavemente.

— Uhum. — Tilly respondeu alegremente — Bem-vinda ao lar.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

26 Comentários

  1. Nesse capítulo temos a confirmação que Tilly é uma bruxa e uma extraordinária, essa novel é muito boa mas acho difícil ter uma solução diferente de varias bruxas morrerem para se juntar a Roland, agradeço pela tradução.

  2. Eu sinceramente senti que isso parecia uma ilha das Amazonas, porém versão bruxas.
    Obrigado pelo capítulo JZanin

  3. Preferiria que todas vivessem com Roland, mas até que não é tão ruim ter outro lar para as bruxas… Mas ainda acho que vai ter muita merda

    Agradeço ao mestre JZanin e ao respeitável revisor

  4. Me pergunto as maravilhas que o Roland faria com essas bruxas no lado dele, só com ela Lotus que foi situada ele poderia construir casas mais rápido… Esse lugar parece bom mas sinto a merda voando diredo para o ventilador

  5. A idéia da ilha parece ser segura, e também é bom ter um “backup” caso as coisas lá no Reino dê merda pro Roland, mas ainda acho que mostrar esse lar utópico de bruxas é só um gancho pra merda que vai acontecer futuramente.

  6. Tá tudo indo muito bem pro lado das bruxas! Vai aparecer algum roteirista (são os verdadeiros vilões 🤭), que vão colocar problemas monstruosos no caminho.

  7. Diga-se de passagem que apesar de Tilly Wimbledon ser inteligente, ela é bem burra. Esse plano de fazer um lar para bruxas em uma ilha desabitada é péssimo. Primeiramente, de que adianta fazer um lar para bruxas separado do resto do mundo se não podem engravidar? Com o tempo o número de bruxas só vai diminuir.
    Segundo, a igreja tava tentando unificar o continente, que convenhamos que a Tilly já deveria ter descoberto com a magia dela e mesmo que estejam longe do controle da igreja, era questão de tempo até a igreja ir atrás delas.

  8. Imagina o quão quente e abafado deve ser essa ilha, mesmo com o vento marítimo. Faria mais sentido levantar o chão inteiro ao invés de só a borda

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!