LAB – Capítulo 236

Acidente químico

Roland imediatamente correu para o laboratório ao lado do Rio Vermelho. Chegando ao local, Roland descobriu que o dano não foi tão grave quanto ele imaginava. Pelo menos o prédio principal para refinar o ácido não havia sofrido nenhum dano sério, enquanto as janelas do prédio lateral haviam quebrado em pedaços.

— Vossa Alteza, salve nosso professor! Ele está morrendo!

Ao ver que Roland tinha aparecido, o grupo de discípulos imediatamente se reuniu ao seu redor, mas logo foi parado por seus guardas pessoais. Roland acenou com a mão, indicando que eles não precisavam estar tão ansiosos e disse:

— Onde estão os outros? Deixe-me dar uma olhada neles primeiro. — Então ele se virou para Carter e sussurrou — Onde está Nana?

— Eu já enviei alguém para buscá-la, então eu estimo que ela estará aqui em breve.

— Ótimo.

Roland assentiu e entrou no laboratório, sob proteção de seus guardas.

Kyle Sichi estava deitado no chão sobre uma mancha de sangue, que se estendia entre ele e a sala lateral, dando a ideia geral de que o acidente deveria ter acontecido na sala lateral e que ele tinha sido arrastado pelos seus discípulos para a sala principal depois. Seu rosto estava como uma massa disforme, com sangue e outros líquidos misturados, o que deveria ter sido causado pelo forte ácido durante a explosão. Também estava faltando vários dedos em suas mãos. A situação de Kyle estava tão grave que Roland até poderia ver os ossos das falanges de seus dedos.

Os aprendizes já lhe haviam realizado o tratamento de emergência, o que fez com que Roland percebesse que situações semelhantes já ocorreram na Cidade Carmesim. Arrastar as pessoas para longe do perigo, enfaixar as feridas para estancar o sangramento, então procurar ajuda. Essas medidas foram realizadas de forma eficiente. No entanto, ao sofrer esse tipo de lesão e ter apenas um tratamento com ervas, era bem correto afirmar que dez entre dez pessoas morreriam no processo.

Roland ordenou que seus guardas ficassem na porta, impedindo a entrada de pessoas não autorizadas. Enquanto Nana não chegava, Carter e ele entraram na sala lateral, tentando encontrar os dedos do alquimista. Caso contrário, mesmo que a menina curasse seus ferimentos, ele não poderia mais realizar suas experiências químicas. O que definitivamente seria uma grande perda para Vila Fronteiriça.

— Parece que uma tempestade passou por aqui. — Carter disse e depois segurou seu próprio nariz — Fora o cheiro desagradável.

— Esse é o cheiro de dióxido de nitrogênio[1]. — Roland disse enquanto observava cuidadosamente por toda a sala.

Ao ver que todas as janelas estavam abertas, ele concluiu pelo gás residual que a possibilidade de envenenamento não era grande. Os frascos de vidro do laboratório estavam todos quebrados, deixando várias poças de ácido e água no chão.

— Lembre-se de procurar também no meio das ferramentas, mas não toque nelas com as mãos nuas. Use as luvas que estão no armário. — O Príncipe lembrou Carter.

Assim que a habilidade de Soraya evoluiu, ele também enviou uma dúzia de pares de luvas finas e anticorrosivas para o laboratório, mas olhando as feridas horríveis nas mãos do alquimista, era evidente que ele estava trabalhando no objeto de teste sem usá-las. No caso de ter usado as luvas, mesmo que a explosão tivesse acertado suas mãos, pelo menos seus dedos ainda estariam dentro delas.

Em um dos armários suspensos, acima de onde estavam os equipamentos de laboratório, algo chamou a atenção de Roland: uma garrafa. Depois de ter pego a garrafa incomum e observado mais de perto, ele estava convencido de que era realmente o licor vendido no Mercado de Conveniências. Para sua surpresa, a garrafa estava meio vazia.

Kyle realmente trouxe licor branco para o laboratório? — Roland pensou — É difícil imaginar que um alquimista experiente estivesse bebendo durante uma experiência!

— Vossa Alteza Real, a senhorita Nana chegou. — Um guarda relatou.

— Excelente, continue a proteger a entrada, não deixe nenhum dos aprendizes entrar. — Deixando Carter para trás, que continuou a atravessar a bagunça para encontrar os dedos de Kyle, Roland imediatamente voltou ao quarto principal.

— É ele mesmo? — Para Nana, tratar este tipo de lesão já não era algo fora do comum. A menina que antes tinha tanto medo de ver sangue e desmaiava sempre que encontrava feridas terríveis, já havia crescido muito, seja em relação à habilidade ou à sua coragem.

— Primeiro comece a curar as feridas de corrosão em seu rosto. — Roland orientou — Carter está atualmente procurando os dedos perdidos, e assim que ele encontrar você poderá restaurá-los novamente.

— Não precisa mais. — Nana respondeu orgulhosa — Agora já consigo restaurar pequenos pedaços perdidos.

Roland ficou surpreso e observava todo o processo atordoado. Nana colocou as mãos no peito do alquimista, fechou os olhos e, em seguida, uma mudança dramática ocorreu imediatamente em Kyle. Em poucos segundos, seu rosto retomou seu antigo aspecto e seus dedos perdidos começaram a crescer devagar. Primeiro os ossos, depois a carne e pele, e por último as unhas e cabelos. Depois de uns quinze minutos, seus dedos estavam completamente iguais a antes. Neste momento, Carter terminou sua inspeção na sala lateral e chegou ao lado de Roland.

— Vossa Alteza Real, eu só consegui encontrar três dedos, o último deve ter sido destruído durante a explosão… mas o quê?

— Desde quando você consegue fazer isso? — Surpreso, Roland perguntou a Nana assim que ela abriu os olhos novamente.

— Mais ou menos há uma semana, quando a galinha que eu estava usando para o meu treinamento perdeu um membro. Daí, eu descobri que se eu usar poder mágico o suficiente, posso fazer o membro crescer de volta lentamente. — Ela mostrou a língua — Provavelmente porque eu lembrei o que o senhor havia dito, que cada parte do corpo é composta das mesmas células, o que significava que a área de corte também era apenas uma perda de células. Como minha magia pode reconstruir as células danificadas, por que também não poderia reconstruir as células perdidas? Pensando nisso, eu tentei e consegui.

— Você consegue reconstruir qualquer membro? — Carter perguntou.

— Reconstruir um membro perdido requer muito esforço. — Nana disse, balançando a cabeça — Só consegui fazer isso agora de forma fácil, pois foram somente os dedos, mas se for grande como um braço ou uma perna, então eu não consigo. A quantidade de magia que eu possuo é bem menor que a da irmã Anna.

Isso porque você ainda não é uma adulta. — Roland pensou — Além disso, esse é o resultado de uma nova habilidade devido à evolução de sua magia, ou é apenas o resultado de seu treinamento, levando a um aumento de sua capacidade mágica, permitindo que você atingisse um efeito que antes era impossível?  É uma pena que Rouxinol não esteja aqui para determinar se a sua magia sofreu alguma alteração ou não. Bem, se essa mudança for apenas por causa de um aumento da magia de Nana, eu acredito que ela irá nos surpreender após se tornar uma adulta. Definitivamente eu quero estar lá para testemunhar esse futuro brilhante.

— Vossa Alteza Real, ele acordou. —  Carter disse, interrompendo os pensamentos de Roland.

— O que aconteceu… comigo? — Kyle franziu a testa, primeiro olhando para suas mãos intactas e depois tocando em seu rosto — Eu não deveria…

— Não deveria estar morto após esse acidente? Normalmente sim, mas essa bruxa salvou sua vida. Aqui está a garota que salvou o alquimista-chefe, Nana Pinheiro. — Roland decidiu revelar diretamente a identidade de Nana ao alquimista-chefe.

Para um homem que saiu às pressas de Cidade Carmesim a Vila Fronteiriça por uma equação de uma reação química, ele não deveria ser uma pessoa incorrigível ou teimosa. Mesmo que ele pensasse que as bruxas fossem impuras em seu coração, seria improvável que ele abandonasse seu trabalho e corresse até a Igreja para fazer uma denúncia. E agora com Lucia na vila, era apenas uma questão de tempo até que os alquimistas e bruxas tivessem que trabalhar juntos.

— Céus! O senhor está dizendo que uma bruxa pode curar acidentes alquí… não, que ela pode curar acidentes químicos? — Kyle disse — Hahahaha, isso é excelente, Vossa Alteza Real, isso significa que eu posso realizar diversos experimentos sem medo dos perigos.

— Mas afinal, o que aconteceu aqui no laboratório? — Roland suspirou aliviado e logo perguntou — E por que você trouxe o licor pra cá?

— Não, Vossa Alteza Real, é apenas um item de teste. — O alquimista ficou extremamente animado — Eu consegui fabricar o que o senhor pediu.

— Você está falando do… fulminato de mercúrio?

— Sim, isso mesmo, Vossa Alteza. Eu descobri que o reagente que faltava era o álcool. — Kyle parecia querer dizer tudo de uma vez só — Anteriormente eu já havia testado dezenas de matérias-primas, mas não consegui fazer nenhum progresso. Inquietado, fui ao mercado e comprei um pouco de licor, mas de repente me lembrei que o álcool também era descrito como um solvente orgânico no livro Química Elementar, e que é fundamental em algumas reações. Em seguida, eu destilei e purifiquei o licor, usei-o para um novo teste de reagente e, finalmente, obtive sucesso na sexta tentativa. Dentro de vários tubos, ocorreu a precipitação de um cristal cinza, então registrei o tempo e as temperaturas de aquecimento. Depois, extraí um pouco do cristal e fiz os devidos testes. As características que eles mostraram foram as mesmas dos quais o senhor falou, o pó de cristal em forma de agulha cinza é extremamente sensível e reage violentamente. Quando eu fui separar o resto dos cristais nos tubos, um tubo de ensaio explodiu de repente.

Ah, então foi isso o que aconteceu. — No momento, Roland também se lembrou que, para obter o fulminato de mercúrio, era necessário adicionar mercúrio e etanol a uma quantidade excessiva de ácido nítrico ou obter diretamente pela reação entre nitrato de mercúrio e etanol.[2]

— Muito bem! — Roland disse, dando um tapinha no ombro recém curado de Kyle Sichi. — Este feito é o suficiente para você receber a maior honra e recompensas de Vila Fronteiriça.

Assim, com o problema do iniciador resolvido, suas armas de fogo de repetição entrariam, finalmente, na era moderna.


[1] De fórmula química NO2, é o gás que Roland precisa para a fabricação industrial do ácido nítrico. Caso você queria relembrar, Roland discutiu isso com Kyle no capítulo 161 e Kyle, por sua vez, discutiu com seus discípulos no 164.

[2] O fulminato de mercúrio também ficou bem famoso na série Breaking Bad, quando Walter utilizou para “convencer” certas pessoas de que ele não estava lá para brincadeira. Esse gif mostra todo o poder explosivo de um pouquinho do fulminato.

O que Roland quis dizer aqui é que ele não lembrava do último passo para a fabricação do fulminato. Antes, ele se lembrava que era necessário obter o nitrato de mercúrio II, de fórmula Hg(NO3)2, mas a última etapa da equação com etanol ele não se lembrava. Agora, temos finalmente a equação final da reação do nitrato de mercúrio II com etanol, em que obtemos fulminato de mercúrio, hidrogênio e gás carbônico.

15 Hg(NO3)2 + 40 C2H6O → 15 Hg(CNO)2 + 12 H20 + 50 CO2

 

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

21 Comentários

  1. ACERTEI PORRAAAAAAAA

    — Não, Vossa Alteza Real, é apenas um item de teste. — O alquimista ficou extremamente animado — Eu consegui fabricar o que o senhor pediu.

    — Você está falando do… fulminato de mercúrio?

    — Sim, isso mesmo, Vossa Alteza. Eu descobri que o reagente que faltava era o álcool

    olhe meu comentário no capítulo anterior, fulminato de mercúrio é INSTAVEL

    1. É isso mesmo rapaz. Ia colocar no anúncio do capítulo, mas devido ao sono esqueci. 🙁 De toda forma, fica registrado aqui que você acertou o que fez o laboratório explodir. 😉

        1. Sabe o que é pior.. estou imaginando uma carroça puxada por cavalos e ele atirando a .50 de cima kkkkk

  2. Capítulo maravilhoso heheheh
    Sem lutas, bem educativo e prazeroso de se ler haha (com direito a breaking bad)

    Que venha a igreja!!

  3. Sinceramente só com as habilidades de Nana Roland podia criar um nova religião com ela sendo uma santa e acabar com a igreja de vez só na base da concorrência. Obrigado pelo capítulo

  4. Maravilha! Maravilha! Hehehe…
    Muito obrigado pelo capítulo 🙇😁 Mestre JZanin 🙇😁

  5. É por isso que eu sempre faço uso do álcool primeiro, pelo menos uma dose. Esse químico aprendeu a lição.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!