LAB – Capítulo 239

Lanche antes de dormir

Depois de comer o jantar, Anna carregava um saco cheio de cogumelos shimeji na cozinha. A pedido dela, Maggie havia colhido esses cogumelos, brancos como a neve, na Floresta das Brumas. Esses cogumelos eram bem diferentes dos cogumelos comuns, pois geralmente cresciam em cima de grandes árvores, sobrevivendo da absorção dos nutrientes da própria árvore, sendo também a comida favorita de algumas espécies de aves. Embora tivesse um sabor delicioso, e seu chapéu carnudo fosse tão delicado quanto a carne requintada, por se desenvolver em locais relativamente altos, poucas pessoas estariam dispostas a subir nas árvores para colhê-los.

A mãe de Anna sempre cozinhava alguns para seu aniversário, às vezes com muitos cogumelos, às vezes com poucos, mas sempre o suficiente para preparar duas receitas típicas para a festa. Em comparação com o habitual pão ázimo e mingau, seu sabor único era difícil de esquecer. Embora ela não precisasse mais se preocupar com a fome, e as comidas disponíveis no castelo fossem das mais variadas e abundantes, ela ainda queria fazer esses dois deliciosos pratos, cujos ingredientes só poderiam ser encontrados nesta pequena vila da Região Oeste, e compartilhá-los com Roland, que recentemente esteve tão ocupado.

As chamas do fogão a lenha da cozinha já haviam sido extintas, mas para Anna isso não representava nenhum problema. Ela pegou uma lenha que estava ao lado do fogão, pôs no forno e evocou sua Chama-negra. Instantes depois, um fogo vigoroso já queimava.

Naquele momento, Rouxinol apareceu de repente encostada na parede:

— Ei, o que você está fazendo?

— Eu quero fazer algo para Sua Alteza provar, já que estes dias ele esteve sempre até tarde trabalhando e não teve tempo para descansar direito. E você?

— Ahhaha. — Rouxinol começou a rir de vergonha e tocou a parte de trás da cabeça com a mão — Eu vim aqui procurar um lanche para comer… estou com um pouco de fome. — Depois de pausar por um momento, ela olhou para o fogão cheia de curiosidade — E o que você vai cozinhar?

— Bem… cogumelos cozidos com mel e uma sopa de cogumelos. — Anna abriu o saco mostrando os cogumelos shimeji dentro — Esses dois pratos são especialidades regionais de Vila Fronteiriça. Quer experimentar depois?

Rouxinol assentiu e depois perguntou:

— Você poderia me ensinar? Eu também gostaria de saber cozinhar estes pratos.

— Sim. — Anna riu — É bastante fácil.

Depois de cortar os cogumelos, ela pegou alguns deles e os dividiu entre ela e Rouxinol.

— Primeiro, passe uma camada de manteiga ao redor do cogumelo e, em seguida, coloque-o com cuidado sobre o fogo até que ele fique dourado em toda superfície. Cuidado para não assar por muito tempo, senão eles vão queimar.

— Entendi. — Rouxinol disse enquanto pegava um pedaço de shimeji e imitava a forma como Anna passava a manteiga no cogumelo — Sua Alteza recentemente esteve trabalhando até tarde da noite todos os dias?

— Sim, além de ter trabalhado nos projetos residenciais para os refugiados, ele também precisou desenhar os projetos das novas máquinas, então, todos os dias ele ia dormir depois da meia-noite. Nesse meio-tempo, passei diversas vezes pelo escritório dele e pude notar que as velas ainda estavam acesas. — Anna assentiu uma vez e depois perguntou — Você ficou um pouco mais de duas semanas fora, então, sentiu falta de Sua Alteza, não é?

Ao ouvir a pergunta inesperada, as mãos de Rouxinol tremeram ligeiramente, deixando o cogumelo cair no recipiente da manteiga.

— Hã… na verdade, nem foi tanto assim.

— Não só você, mas Raio, Lily, Eco e Wendy, todas vocês sentiram falta de Sua Alteza Real. Elas disseram que não havia nenhum local para tomarem banho e que queriam voltar para cá o mais rápido possível. — Anna de repente sentiu que a expressão de Rouxinol ficou um pouco diferente — Alguma coisa errada?

— Não, nada. — Rouxinol disse nervosa, balançando a cabeça, enquanto pegava outro cogumelo, dizendo com um sorriso sem graça — É verdade, nós… sentimos falta dele e queríamos voltar o quanto antes.

— Mesmo? — Anna pegou um cogumelo que já estava amanteigado e pôs no fogo para dourar — Se eu tivesse que ficar longe de Sua Alteza por duas semanas, não, talvez até alguns dias já seriam o suficiente para eu querer voltar.

O momento em que ela conheceu Roland Wimbledon dentro do calabouço, foi o momento mais incrível de toda a sua vida. Até hoje, sempre que Anna se lembrava daquela ocasião, seu coração se enchia de calor e gratidão. Se não fosse por Roland, mesmo que ela pudesse ter sobrevivido de alguma forma, seria apenas uma vida de ignorância e confusão, assim como aqueles cidadãos apáticos.

Foi Sua Alteza que lhe ensinou o quão maravilhoso era o mundo. Não importa se foi por causa do bife temperado com pimenta preta, ou o livro Fundamentos Teóricos da Ciência Natural, no momento em que ele entrou em sua vida, ele a preencheu com todo o tipo de coisas novas. Roland fez Anna sentir-se única, diferente de qualquer outra pessoa.

Ela estava confiante de que as outras irmãs também sentiam o mesmo. Enquanto elas estivessem em contato com Sua Alteza por um tempo suficiente, era impossível para elas não ficarem envolvidas com seu carisma único e suas ideias estranhas, porém inteligentes. Anna acreditava nisso com todo o seu coração.

— Oh, será que eu deixei no fogo por muito tempo? — Rouxinol ergueu o garfo de ferro e percebeu que um dos lados do cogumelo já havia queimado.

— Um pouco… — Anna não conseguiu suprimir sua risada — Esses cogumelos shimeji são muito delicados, por isso não é necessário assar eles por um longo tempo, tente mais algumas vezes e já já você pega o jeito. Enquanto isso, vou preparar os cogumelos para a sopa.

Rouxinol, por sua vez, polvilhou o cogumelo levemente queimado com sal, colocou um pouco de mel, e comeu.

— Bem, ainda assim está uma delícia. — Vendo como Anna misturava habilmente todos os tipos de ervas e outros ingredientes, ela perguntou com curiosidade — Você já preparou estes pratos muitas vezes antes, não é?

— Sim, seja marinar comida, fazer farinha, ir aos nobres e pedir um trabalho qualquer, ajudar a lavar, tosar ovelhas do vizinho, essas coisas. — Anna disse — Praticamente todo o meu dia era dedicado ao trabalho, exceto quando eu ia ao colégio do Professor Karl. — Depois de pausar por um momento, ela continuou — Mas quando minha mãe morreu, meu pai me proibiu de ir ao colégio e até mesmo de sair de casa.

— Sinto muito.

— Tudo isso não importa mais, está no passado agora. — Os olhos de Anna brilhavam como um lago azul-celeste à luz da lua — Em comparação com a maioria das outras bruxas, já posso ser considerada muito sortuda, não é?

O cogumelo, que estava coberto de manteiga, encolhia levemente sob a quentura das chamas e fazia barulhos crepitantes. Anna espalhou um pouco de sal no cogumelo e o assou novamente. Ela inalou seu agradável aroma único. O aroma cremoso da manteiga derretida junto com a fragrância saborosa dos cogumelos, quando tocaram suas narinas, despertaram seus apetites. Por fim, Anna girou o cogumelo no pote de mel e terminou de assá-lo. Tanto os cogumelos shimeji quanto o mel podiam ser colhidos na Floresta das Brumas. Para os moradores locais, seria um dia de sorte se eles encontrassem uma árvore que tinha um favo de mel e cogumelos shimeji escondidos em sua copa.

No momento em que perceberam o vapor branco saindo da panela de barro, Anna e Rouxinol também haviam terminado de assar os cogumelos.

— Parece que deu tudo certo. Pelo menos parece que está bom. — Rouxinol disse, enquanto mastigava outro cogumelo — Quem diria que eu também tivesse o dom de cozinhar… ah, mas este está um pouquinho salgado.

— Sim, e terminamos a tempo. — Anna afirmou depois de olhar para a janela e ver que já estava tarde da noite — Vamos entregar para Sua Alteza agora.

— Por favor, você poderia entregar o meu? — Rouxinol perguntou, juntando as mãos — Por favor!

— Você não quer vir comigo?

— Eu não posso. — Rouxinol riu — Porque não sei bem qual tipo de expressão eu devo ter se eu encontrasse ele agora.

Anna ficou assustada com a resposta inesperada, mas antes que ela pudesse abrir a boca para perguntar mais sobre o assunto, Rouxinol já havia desaparecido.

Por que é tão importante o tipo de expressão que eu mostro? — Anna pensou — Independentemente se eu mostrar um sorriso, estar desanimada ou até mesmo inexpressiva, para mim realmente não importa. Mesmo quando acabei de sair da prisão, perdendo completamente a fé em todas as coisas, quando toda a minha esperança se transformou em pó, Sua Alteza nunca se importou com minha aparência, então por que eu deveria evitá-lo?

Mesmo depois de pensar nisso por um tempo, Anna ainda não conseguia compreender o porquê Rouxinol ter dito isso. Então, no final, ela apenas balançou a cabeça, pegou sozinha a bandeja com os cogumelos e foi ao escritório.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

25 Comentários

  1. Eu quero que o Roland fique com a Rouxinol mas também não consigo imaginar ele se separando da Anna e nem quero harém em LAB.
    ahhhhhhhhhh, Que saco

    Kkkkkk

    É rir pra não chorar

    1. “nem quero harém em LAB.”

      Se depender da esposa do escritor, nada de harém. XD Sério, ela lê a novel dele também… E pode influenciar ele enormemente.

      Sinceramente, Rouxinol vs Anna é uma escolha extremante difícil de ser feita. :/

      1. Isso é interessante de sabe
        Se for pra escolher seria a Ana.
        mais pronoutro lado a rouxinou 🤔…

    2. Tomara que no fim esse “Liberte Aquela Bruxa” seja a bruxa que faça clones!
      Daí ela faz um clone de Roland. Original para Rouxinol. Clone para Anna. Todo mundo fica feliz!

  2. Anna sempre se mostra muito inteligente, mas nessa passagem se mostrou muito inocente ainda.
    Obrigado pelo capitulo!

  3. Nunca imaginei, que LAB iria se trabsfomar em um shoujo ou que a rouxinol seria tão inocente pra romances, tipo só foi um selinho ou que a Anna seria meio apática pra entender, o que a rouxinol quis dizer com aquilo. Isso só me faz torcer mais ainda pra rouxinol. 😊😊😊😊😊😊
    VAI ROUXINOL!!!!!!!
    Obrigado pelo capítulo Mestre JZanin

  4. Anna é muito fofa. Melhor bruxa mesmo depois de tantos capítulos. Anna >> Rouxinol.

    Rouxinol não parece saber cozinhar bem… Mais um ponto pra Anna.

    Ahh se eu fosse Roland não sei se seguiria a regra fundamental de todas as histórias (o/a protagonista fica com o/a primeiro/a pretendente que vê), mas com certeza não iria pra rota do harem.

    Ainda assim, em relação à escolha, nao sei se escolheria Rouxinol ou Anna.

    Ah. Estava vendo, atualmente LAB tem 855 capítulos em inglês no site que eu vi. O 855 foi traduzido por inglês hoje. É uma boa noticia pra mim que LAB tem material pra muitos anos ainda.

    *^*/. A tradução aqui é muito boa, nem se compara à tradução em inglês que tem alguns erros e não tem esses links muito interessantes que dão um toque extra à história.

  5. Anna é um gênio, intelectualmente, mas uma boba nas questões amorosas… Até Nana é mais “ligada” que ele nesse quesito. 😂😂😂
    Quero que Roland fique com Anna mas não quero ver Rouxinol de coração partido.

    Muito obrigado pelo capítulo 🙇😁 Mestre JZanin 🙇😁

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!