LAB – Capítulo 265

O último inimigo

Timothy Wimbledon estava na sala circular do Lorde do Porto de Água Clara, no topo da torre.

Diferente da maioria dos castelos, essa torre era muito mais alta e imponente, mas também mais estreita. Além de usá-la para observar a paisagem de fora ou para lidar com assuntos governamentais, dificilmente ela poderia ser usada para convocar os ministros para uma reunião oficial.

A mobília da sala estava intacta, como se o dono tivesse acabado de sair e fosse voltar rapidamente. Uma mesa quadrada estava de frente para a entrada, com alguns livros arrumados e manuscritos inacabados no centro dela. No tinteiro havia uma caneta de pena à disposição para escrever a qualquer momento.

Ele caminhou até a mesa, passo a passo, e depois sentou-se na cadeira larga. A cadeira estava coberta com uma almofada fofa de bambu, adequada para aliviar o calor do verão. Uma bacia de água estava ao lado da cadeira. Aparentemente, era usada para armazenar gelo nos meses quentes de verão. No entanto, o tempo hoje era sombrio, com nuvens escuras próximas do horizonte ao mar. Não estava muito quente na sala.

Timothy se inclinou e cheirou a mesa. Ele sentiu uma leve fragrância de girassol azul, exatamente a que Garcia mais gostava. Como uma espécie única da Serra do Vento Congelante, a fragrância do girassol azul dava uma sensação única de frescor, como se carregasse a essência da neve da Região Norte. Além disso, caso alguém que usasse essa fragrância ficasse por muito tempo em um local cheio de objetos, após o contato constante, essa fragrância iria impregnar nesses objetos e permaneceria lá por um longo período. Não havia dúvida de que sua irmãzinha costumava sentar-se nessa cadeira, e que também colocava suas mãos nessa mesa enquanto ouvia seus homens relatarem ou redigirem decretos governamentais.

Timothy não pôde deixar de rir ao pensar nisso. Deixando esses pensamentos para lá, ele simplesmente se apoiou no encosto da cadeira e riu alto.

Ele finalmente ganhou!

Garcia havia desistido do Porto de Água Clara e da Região Sul, o que equivalia a abdicar de sua intenção pelo trono do Reino de Castelo Cinza.

Ao ouvir que a Frota das Velas Negras continuaria a navegar para o norte, ele reuniu suas tropas imediatamente e levou mais de cinco mil escravos, ratos e criminosos até a Região Sul para atacar o Porto de Água Clara, o ninho de Garcia. A única defesa do local era composta pelo povo da Nação da Areia, do Extremo Sul. Não estava claro o que Garcia havia prometido a eles, pois essas pessoas lutaram desesperadamente como animais encurralados. O mais problemático era que eles também tinham pílulas da Igreja.

A batalha durou quase meio mês. Aproveitando sua superioridade numérica, Timothy derrotou os ataques e contra-ataques do inimigo, continuando a invadir a linha de defesa da Nação da Areia. Quase três mil pessoas morreram nessa guerra de atrito. Se não fosse pelas pílulas, Timothy receava que esses escravos, ratos e bandidos jamais pisariam neste lugar, e tampouco lutariam uma batalha contra os ferozes soldados da Nação da Areia.

O resultado da guerra foi que ele finalmente passou por cima de todos os cadáveres no campo e ocupou a Torre do Lorde no Porto de Água Clara.

A “Rainha do Porto de Água Clara” era agora uma coisa do passado. A Região Sul do Reino de Castelo Cinza estava finalmente sob as rédeas de Timothy.

— Vossa Majestade? — O cavaleiro de vigia entrou, possivelmente após ouvir a risada histérica do Rei.

— Não é nada. — Ele disse.

Timothy se levantou, apontou para o cavaleiro e depois para si mesmo enquanto ia na direção de uma porta que levava para a sacada da torre, claramente indicando que o cavaleiro deveria segui-lo. Uma brisa marítima, levemente salgada, agitava suas vestes. As nuvens escuras se acumulavam ao longe, e parecia que uma chuva pesada se aproximava.

É realmente uma pena. — Timothy pensou — Eu queria ver o porto de minha irmã, o cais, a Torre do Lorde, tudo isso queimando e se transformando em cinzas. Mas, parece que agora isso é impossível.

Ele esteve em várias batalhas com suas tropas por quase meio ano e não havia ficado nem um mês inteiro na Cidade Real de Castelo Cinza. Todos os assuntos do governo haviam sido confiados ao Primeiro Ministro. Embora o Marquês Wyke parecesse leal, até a maior das lealdades não resistiria à tentação de estar no poder. Gerald Wimbledon era o melhor exemplo. Então, ele precisava retornar o mais rápido possível à Cidade Real de Castelo Cinza para controlar a turbulenta situação política de lá. A chuva na Região Sul duraria vários dias, mas ele não queria esperar mais.

— Eu voltarei para a capital do Reino amanhã de manhã. Exceto pela minha guarda pessoal e cavaleiros da capital, os outros cavaleiros e mercenários estarão sob o seu comando. Sir Ed Hawes, proteja a Região Sul para mim. Não deixe o povo da Nação da Areia pôr os pés novamente no Reino de Castelo Cinza.

— O senhor está me deixando aqui? Mas, Vossa Majestade, eu queria lutar pelo senhor, eu… — O jovem cavaleiro da Família Hawes, da Região Norte, ficou momentaneamente chocado.

— Defender a fronteira também significa estar lutando por mim. — Timothy interrompeu — Atente-se às minhas palavras, há várias coisas que preciso que você faça. Preciso de uma pessoa leal e competente para lidar com os problemas desta região.

— Mas… — Ed parecia indeciso.

— Eu sei com o que você está preocupado, mas tenha certeza, eu não vou deixar você aqui na fronteira para sempre. Depois que os problemas do Porto de Água Clara forem resolvidos, vou chamá-lo de volta para prestar seus serviços na capital. O Reino de Castelo Cinza ainda não está unido, por isso precisarei de mais cavaleiros para lutarem por mim na recaptura da Região Oeste. É impossível que eu esqueça de você. — Timothy disse sorrindo enquanto dava um tapinha no ombro do cavaleiro.

Ed levantou a cabeça e depois ficou de joelhos, com seus olhos brilhando.

— Sim, Vossa Majestade. — Ele disse em voz alta e clara.

— Levante-se. — Timothy assentiu satisfatoriamente e continuou — Além do mais, você precisa fazer três coisas. A primeira é escoltar todos os residentes restantes no Porto de Água Clara até a Cidade Real de Castelo Cinza.

— O senhor não irá enforcar os traidores? — O Cavaleiro Ed perguntou surpreso.

— Não, eles não são verdadeiros traidores, pois se fossem, teriam ido embora com a Frota das Velas Negras de Garcia. Se eu matar essas pessoas, eu estarei apenas fazendo um favor a ela.

Entretanto, a influência de minha irmã superou em muito as minhas expectativas. — Timothy pensou — Dentre os mais de dez mil habitantes do Porto de Água Clara, somados aos escravos que ela conseguiu na Cidade da Águia, somente quatrocentas pessoas não quiseram fugir com ela. Se não fosse pela resistência do povo da Nação da Areia, essa cidade estaria praticamente deserta.

— Vossa Majestade é misericordioso.

— Sua segunda tarefa é queimar o porto, o cais e a Torre do Lorde. Eu realmente gostaria que todas as pessoas da Região Sul testemunhassem que o ninho de Garcia foi embora com o vento. Mesmo se ela correr de volta para cá, a única coisa que ela irá encontrar serão cinzas.

— Sim! — O cavaleiro respondeu.

— Sua última tarefa é reunir todos os refugiados, por quaisquer meios que você tiver. Todos os desabrigados, ratos e bandidos, até mesmo as pessoas da Nação da Areia servirão. Desde a guerra da Cidade Águia, as disputas na Região Sul ainda não foram suprimidas. Haverá um grande número de refugiados nas aldeias e cidades próximas. Você deverá organizar uma tropa de pelo menos cinco mil soldados antes de iniciarmos uma guerra para suprimir a Região Oeste. — Timothy olhou para o horizonte ao dizer isso com calma.

A fuga de Garcia provou que a estratégia de Timothy foi certeira. Como o governante de mais da metade da população de Castelo Cinza, ele deveria usar seu povo para lutar contra os rebeldes. Sob circunstâncias normais, com uma equipe de cem cavaleiros liderando um exército de milhares de plebeus, ele nem precisaria participar da batalha. Sua única responsabilidade seria a distribuição das pílulas e a estratégia. Com a vantagem superior em números, se seu exército atacasse incessantemente, o inimigo seria incapaz de resistir. Se Garcia demonstrasse uma vontade inabalável e decidisse defender Porto de Água Clara até a morte em vez de recuar, ela teria sido engolida pelas massas de pessoas que ficaram loucas pelas pílulas.

O único inimigo que ele tinha agora era Roland Wimbledon, na Região Oeste.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

14 Comentários

  1. Vixi vixi vixi, finalmente um inimigo acima de velha pra abate, pelomenos numeros e tropas e estrategias, timote tem, ai da uma aventura nessa guerra, tipo 600 soldados de vila fronterisa, contra 5000 soldados de timote, que alguns usam pilulas, mais não sei se timote sabe do poder das armas de fogo e das bruxas de Roland. Bom obrigado mestre pelo capitulo.

  2. “O único inimigo que ele tinha agora era Roland Wimbledon, na Região Oeste.”
    Oh bicho burro nem desconfia do verdadeiro inimigo.

  3. Parceiro, acho melhor tu coordenar uma invasão contra a Igreja lá em Hermes, a morte pelo menos fará sentido.
    Agora ir contra o Roland… É ir contra a Era Moderna armado com a Idade Média, pífio

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!