MdG – Volume 2 – Capítulo 11 (Parte 4 de 4)

Anão Xamã perguntou como ele planeava fazer essa sobremesa gelada, no qual Matador de Goblins explicou, gesticulando com as mãos. Lagarto Sacerdote levantou a garra para oferecer sua ideia, ao qual Matador de Goblins respondeu: — Então, devíamos…

Matador de Goblins normalmente era reticente e fazer com que ele se abrisse era difícil. Mas…

— Caramba…

…aqui agora, ele era claramente o centro das atenções.

O pensamento espalhou um calor agradável pelo pequeno peito de Sacerdotisa.

— Certo! — decidiu ela, levantando a mão facilmente. — Matador de Goblins, senhor, eu também posso comer um pouco, não posso?

— Não me importo.

Ele não se importa. Ela deu um risinho e olhou para Alta-Elfa Arqueira.

Alta-Elfa Arqueira se sentava à frente dele, encarando sugestivamente o outro lado, com suas orelhas tremulando.

Embora não fosse necessariamente um sinal de que ele havia notado, Matador de Goblins disse:

— E você?

— … — Suas orelhas se ergueram de novo. — Sim. Me dê um pouco também.

— Entendi — disse Matador de Goblins, então ele adicionou incisivamente: — Se isso não dar muito certo, não me odeie.

— Tsc…

Ele está guardando rancor?

Não, não pode ser. Alta-Elfa Arqueira bufou levemente.

Sim. É claro. Ele não era o tipo que ficaria chateado, mesmo que uma elfa estourada o maltratasse. Mesmo se uma pessoa normal pudesse ficar aborrecida.

Depois de um tempo, Alta-Elfa Arqueira deu um longo suspiro e se virou para o encarar.

— Sim, tudo bem. Nada de odiar. Então… por favor?

— Sim.

O capacete de aço balançou para cima e para baixo depois.

Sacerdotisa pensava em quando ele perceberia a pena verde-clara em seu capacete.

Quem sabe enquanto eles ainda estivessem na carruagem, talvez depois deles voltarem para a cidade, se calhar não até à próxima vez que ele o tirasse.

O que ele faria quando notasse? Ele ficaria com raiva, ou iria rir, ou talvez não ligaria para isso?

Alta-Elfa Arqueira, ignorante às imaginações de Sacerdotisa, entrecerrou os olhos como um gato.

— Eu não sei se estou gostando muito de extermínio de goblins.

Ela fez um círculo no ar com o dedo, com suas orelhas se movendo para cima e para baixo.

Eles haviam ido em uma ruína subterrânea para explorar, foram apanhados em uma armadilha e saíram de novo. Eles tinham lutado, derrotaram um monstro bizarro e descobriram um artefato inestimável. Todos eles estavam viajando nessa carruagem juntos.

Do interior à fronteira. Do leste ao oeste.

Tudo isso para retornarem para a casa agora que a aventura havia terminado.

— …Mas não foi assim tão ruim, eu acho.

Talvez ela não conseguisse muito bem dizer como se sentia. Os olhos do canário se abriram vibrando, e ele chilreou vividamente.


KakaSplatT
☦ Death To The World ☦

5 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!