MdG – Volume 3 – Capítulo 2 (Parte 3 de 10)

Matador de Goblins tinha visto mais de um grupo com muitas mulheres, mas manter eles juntos era um desafio.

No entanto, ele também tinha ouvido dizer que grupos com apenas mulheres frequentemente se davam muito bem. Ele pareceu recordar de ouvir alguma coisa assim de uma Amazona há muito tempo.

Ele não tinha pensado na época que poderia ser de um benefício especial em extermínio de goblins, mas, pensando melhor, ele desejou ter pedido detalhes. Afinal, agora ele tinha duas mulheres em seu grupo. Então as histórias não teriam sido tão irrelevantes quanto pensava.

— Então, encontre um marido que não seja um aventureiro.

De qualquer forma, agora mesmo ele tinha de falar com a pessoa com quem estava. Matador de Goblins ofereceu o que ele pensava ser uma sugestão prática.

Mas, Cavaleira lhe deu um sorriso desesperado apto para ser usado durante o fim do mundo.

— Você realmente acha que algum cara está esperando por uma garota que pode derrubar um troll ou um dragão com um golpe de sua lâmina?

— Não há?

— …Bem, o que você acharia de uma mulher assim?

— Que ela deve ser bastante fiável.

— …Deixa para lá — disse ela, dando a Matador de Goblins um olhar duvidoso e um suspiro profundo. — Pessoalmente, não estou realmente interessada em não-aventureiros, mas… — A normalmente implacável cavaleira se moveu de um pé para o outro, insegura de onde repousar seu olhar. — Talvez valeria a pena parecer só um pouco menos… durona.

— Sim. — Nesse momento, Matador de Goblins começou finalmente a juntar as peças.

Aquele lutador abundantemente armadurado no grupo dela, Guerreiro de Armadura Pesada.

Matador de Goblins imaginou o rosto bem definido de um homem sempre cuidando dos membros mais novos do seu grupo.

— É ele?

— …É.

Cavaleira respondeu com um leve aceno, a imagem de uma garota inocente.

Espere…

Matador de Goblins soltou a metade de um suspiro.

Ele sempre tinha a tomado como sendo a mais velha, por causa de sua conduta comedida, mas, talvez ela fosse mais nova do que ele tinha imaginado.

Bem, então era assim.

— Pensei que amor entre membros do grupo tornasse as coisas insuportáveis.

— Há exceções a todas as regras!

— Entendo.

— …Ei, hum, Matador de Goblins… me dói pedir isso, mas… — Cavaleira engoliu em seco, e isso pareceu a constranger de novo quando ficou vermelha. — Se eu… Se eu usar algo assim, acha que iria chamar a atenção dele…?

— Confesso que devo duvidar da sanidade de alguém que me faça essa pergunta.

— Ugh…

Parada em frente à armadura biquíni, Cavaleira se viu sem saber o que fazer.

Como uma parede inabalável em combate, ela não estava acostumada a tomar acerto crítico.

— Se quiser lançar um ataque surpresa, você precisa mudar.

— …Hã?

Teria sido um descrédito ao seu papel como um tanque se a declaração inesperada fosse o suficiente para atordoá-la, no entanto. Ela alterou duvidosamente sua postura.

— Tentar coisas semelhantes de novo e de novo terá pouco efeito. Ao menos, em extermínio de goblins.

— …Não perguntei sobre extermínio de goblins.

Cavaleira olhou para ele com exasperação.

Matador de Goblins cruzou os braços. Ele pensou, então continuou desapaixonadamente.

Ele realmente não tinha nada a utilizar a não ser sua própria experiência.

— Você está falando de roupas. Você normalmente usa armadura. Então precisa se afastar dela. Use roupas civis.

— Ahn… R-roupas civis…? …C-certo. Vou pensar nisso.

— Entendo.

— É. Hum… desculpe a pergunta estranha.

— Não me importo. — Matador de Goblins balançou a cabeça. — Somos colegas.

Isso fez Cavaleira pestanejar.

Ela não estava preparada para isso, parecia. Ela olhou atentamente para o capacete sujo e então seu rosto relaxou.

— …Você é um esquisito estranho e teimoso.

— Entendi.

— Mas, parece que você não é um cara mau.

Esse foi o seu ataque surpresa. Ela sorriu.

— Até mais — disse ela, brilhantemente, e deixou Matador de Goblins lá parado, sem palavras.

— Keh-heh-heh! Que acha disso? Acho que ela gosta de você.

Matador de Goblins descobriu a fonte da risada fraca, o mestre da oficina.

Há quanto tempo ele esteve ouvindo? O velho, suficientemente baixo para ser confundido com um anão, saiu de dentro da loja.

Matador de Goblins transferiu sua conversação recente para a parte de trás de sua mente, avançando ousadamente.

— Quero fazer um pedido. Estacas e…

— Acha que não pude te ouvir? Já tenho tudo pronto aqui. Você, garoto, traga as mercadorias!

— Simssenhor!

O aprendiz obedeceu rapidamente seu mestre. Ele carregou estacas, arame e tudo mais para o balcão.

— Obrigado — disse Matador de Goblins, e começou a inspecionar os itens.

Alguns itens tiveram de ser ordenados nessa oficina, mas outros, eles já tinham em estoque em algum lugar ou outro.

Agora, com tudo o que precisava, ele enfiou os itens debaixo do braço. Ele ajeitou a pá contra o ombro, depois colocou todo o resto em um pacote.

Aventureiros aprendem rapidamente como empacotar tudo no menor espaço possível.

— Você fez um bom trabalho se fazendo popular aqui nos últimos cinco anos, não é?

Matador de Goblins puxou sua bolsa do pacote, deixando algumas moedas retinir pelo balcão.

O mestre contou elas com o dedo musculoso, deslizando elas pela superfície plana. Seus olhos se estreitaram acima de suas bochechas enrugadas.

— Está certo?

— Está.

— Entendi.

— Aham.

O velho sorriu, como se recordando de alguma história embaraçosa sobre um parente.

— Quando você chegou aqui, um garoto de quinze anos que queria equipamento barato, pensei que nunca mais o veria.

— Sendo a abordagem mais rentável, foi a escolha adequada na época.

— Verdade, e pensei que você poderia melhorar um dia. Mas você continuou usando esses itens e comprando novos.

— Mataria você comprar uma espada decente de vez em quando?

Matador de Goblins não respondeu.

Ele sabia que isso era todo o equipamento necessário para matar goblins.

Mesmo se tivesse existido uma espada encantada só para matar goblins, esse aventureiro provavelmente não a teria usado.

— Ah, bem. — O mestre se apoiou contra o balcão como um velho cansado de sua própria tolice. — Com disposição para comprar algo mais hoje? Tenho uma coisa só um pouquinho incomum.

— O quê?

— Uma faca de arremesso do estilo do sul.

— Oh-ho.

A reação de Matador de Goblins não escapou da atenção do mestre.

— Chamou sua atenção, não é? — disse o velho com um sorriso ousado. Ele não esperou por uma resposta antes de se virar.

Ele pegou da prateleira uma faca com forma estranha e a colocou no balcão com um tuc sólido.

Era uma adaga muito incomum.

A lâmina se dividia em três, cada uma dobrada como um ramo. Não parecia destinada a combate corpo-a-corpo típico. A única forma de usá-la seria lançar.

Mas era claramente uma faca, em outras palavras, uma arma não muito formidável.

— Pequena invenção minha. O que acha?


KakaSplatT
☦ Death To The World ☦

15 Comentários

  1. MdG ou conselheiro amoroso ? kkkk

    E essa primeira fala do mestre ? tô ficando confuso aqui kkk

    Essa nova adaga vai mata muitos goblins(ou um vilão novo)…

    1. Tá aí uma boa profissão para ele kkkk

      Essa essa que o mestre falou eu nao entendi bem, ela não gosta do Guerreiro de Armadura Pesada ?

      Isso é o que todos nós esperamos kkkk

      1. Isso é o que o autor fez nós acreditamos, mas ao mesmo tempo ele fez alguns jogos de palavras no texto. Como no caso de apenas o MdG está imaginando que ela goste do Guerreiro de Armadura Pesada (isso é muito longo, vamos chamá-lo de GAP kk), você deve estar pensando que eu tô viajando muito ( o que eu também acho isso kkkk), mas vamos analisar alguns fatos…

        “— Sim. — Nesse momento, Matador de Goblins começou finalmente a juntar as peças.

        Aquele lutador abundantemente armadurado no grupo dela, Guerreiro de Armadura Pesada.” Até aqui está tudo bem, eu até achei muito legal a ideia do autor
        de mostra outros casais, mas é aqui que começa o mal entendido (meu ou do MdG? Possivelmente meu kkk)

        “— É ele?

        — …É.

        Cavaleira respondeu com um leve aceno, a imagem de uma garota inocente.” Aqui a resposta dela veio meio atrasada algo que é normal, ela pode está constrangida ou relutante (eu realmente não sei kk)

        “— Pensei que amor entre membros do grupo tornasse as coisas insuportáveis.

        — Há exceções a todas as regras!

        — Entendo.” Nessa parte eu já estava convencido que a Cavaleira gostava do GAP, fiquei até imaginando como iria desenrolar esse casal(principalmente por eu gosta de romances nas obras kk)

        “— …Ei, hum, Matador de Goblins… me dói pedir isso, mas… — Cavaleira engoliu em seco, e isso pareceu a constranger de novo quando ficou vermelha. — Se eu… Se eu usar algo assim, acha que iria chamar a atenção dele…?

        — Confesso que devo duvidar da sanidade de alguém que me faça essa pergunta.

        — Ugh…” Essa parte serviu para completar a de cima e deixa o leitor confuso…

        “— Se quiser lançar um ataque surpresa, você precisa mudar.” Segure e lembre dessa fala do MdG, ela é muito importante para o que quero explicar…

        “— Você está falando de roupas. Você normalmente usa armadura. Então precisa se afastar dela. Use roupas civis.

        — Ahn… R-roupas civis…? …C-certo. Vou pensar nisso.

        — Entendo.

        — É. Hum… desculpe a pergunta estranha.

        — Não me importo. — Matador de Goblins balançou a cabeça. — Somos colegas.

        Isso fez Cavaleira pestanejar.

        Ela não estava preparada para isso, parecia. Ela olhou atentamente para o capacete sujo e então seu rosto relaxou.” Já nesse diálogo você tem que ler o “clima”. No primeiro momento parece que ela tá pegando alguns conselhos amorosos, mas ao mesmo tempo fica entendido que ela está pegando as preferências dele indiretamente sem o MdG perceber…

        “— …Você é um esquisito estranho e teimoso.

        — Entendi.

        — Mas, parece que você não é um cara mau.

        Esse foi o seu ataque surpresa. Ela sorriu.

        — Até mais — disse ela, brilhantemente, e deixou Matador de Goblins lá parado, sem palavras.” Lembra da fala do MdG que eu mandei segura ? Pois bem, agora só junte as peças e você vai entender o que eu quis dizer com esse diálogo acima.
        E se ainda não tive entendido, só releve a frase do MdG (que eu mandei segura e lembra) com essa outra : “Esse foi o seu ataque surpresa. Ela sorriu.
        — Até mais — disse ela, brilhantemente…”

        “— Keh-heh-heh! Que acha disso? Acho que ela gosta de você.” E para complementar o que eu tava pensando, veio a seguinte fala do mestre para não deixar mais dúvidas…

        Posso até ter viajado bastante nas ideias, mas é algo que o autor deixou para se entender.
        Só espero que o autor explique lá na frente e foi mal aí pelo texto muito longo kkkkk

        1. Uau que resposta enorme kkkkkk

          Eu não acho que tua análise foi tão fora de si. Para fala a verdade, ela foi muito bem elaborada.
          Acho até que tem a possibilidade do que tu disse estar certo, mas ainda assim acho que pode ser o Guerreiro de Armadura Pesada kkk

          1. Tudo o que eu disse é uma teoria muito louca(kkkk), mas o que tu disse é uma grande possibilidade.
            Só nos resta aguardar pelas resposta que o autor vai dar kkk

  2. Opa,arma de lançar? Já pegou a atenção do grande goblincida xD
    E du estava certo, era atrás do Guts mesmo xD

  3. Obrigado pelo capítulo

    Eita, dessa vez deu para esclarecer algumas coisas, mas outras ficaram bem subentendidas…

  4. Olha só, o Matador de Goblins ajudando com relacionamentos.
    PS: (— Simssenhor!) essa frase é para ser tudo junto mesmo?

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!