MdG – Volume 3 – Capítulo 4 (Parte 6 de 7)

Matador de Goblins desviou os golpes que se aproximaram com o escudo e atacou com a espada, esperando acertar o atacante no abdômen.

Faíscas dançaram, iluminando a escuridão.

O atacante tinha uma faca na mão esquerda também, que usou para empurrar a lâmina de Matador de Goblins para o lado.

Sua técnica era refinada, o agressor tinha evidentemente uma certa experiência.

— Você parece muito diferente de um goblin.

— M-Matador de Goblins…! — gritou Garota da Guilda.

— Não há problema.

Ela ouviu um som de rangido, o agressor rangendo os dentes, talvez?

Os olhos de Garota da Guilda estavam se adaptando a escuridão, mas as formas lutando ainda eram indistintas.

O atacante usava armadura de couro e proteção ao redor de seu abdômen. O pano ao redor era negro, assim como o rosto dele…

— Não… um elfo negro?!

Seu grito serviu como um sinal.

O atacante brandiu sua faca na mão esquerda rápido o suficiente para cortar o próprio ar e acompanhou imediatamente com algo em sua direita.

Faíscas deslumbrantes surgiram do escudo de Matador de Goblins quando bloqueou a lâmina pequena três vezes.

Dardos!

A breve iluminação também permitiu que ela visse o verdadeiro ataque por trás do despiste.

— Hrr…!

A saraivada forçou Matador de Goblins para trás em uma espécie de meio salto mortal.

Ele tombou na mesa com um barulho espetacular, lançando poeira para o ar escuro.

— Oh, ah, M-Matador de Goblins…?

Não houve resposta.

Mesmo pela silhueta, ela poderia ver inúmeros dardos enfiados em sua armadura.

Era demais.

— Não…

— Sim! — Um grande grito abafou seu sussurro aflito. Veio, obviamente, do inimigo que rugia saliva com “Eu consegui! Eu consegui! Hya-ha-ha-ha! Por causa dele… é tudo por causa dele!”.

Ele gritava horrivelmente enquanto saltava para cima e para baixo, batendo palmas.

Ele esbarrou em Matador de Goblins e lhe deu um chute por garantia.

— Ranque Prata, pfft! Presas fáceis e um pouco de sorte, isso é tudo o que tinha!

Outro chute. Um terceiro, depois um quarto.

A cabeça de Matador de Goblins balançava cada vez que a bota tosca se conectava. O visor do seu capacete sujo ruiu terrivelmente quando caiu como uma boneca barata.

Era insuportável ver.

Até alguns minutos atrás, eles estavam conversando juntos, andando juntos.

— P-pare com isso…

Ela só podia sussurrar, tão baixo que ninguém poderia ouvir.

Mas agora algo estava jorrando de seu coração.

— Eu disse para parar!

— É bem feito por manter todas as garotas para si. — O agressor se virou, com seu olho cintilante fixado em Garota da Guilda. Ela formou um punho na frente do seu peito. — E ele estava em relações tão próximas com uma empregada da Guilda, ainda por cima. Não tão justo quanto ele fingia ser, acho!

Ela deveria ficar em silêncio? Não. Tinha de ser dito.

Ela sentia arrependimento, mas também uma determinação que o superava. É claro. Ninguém tinha o direito de chutar ele assim.

O veneno escorria da adaga com uma cor nojenta.

Ela deveria gritar de novo, chamar alguém? Não… Mesmo se fizesse, seria tarde demais.

— !

Ao menos, ela não evitaria seus olhos.

Seu olhar intenso só parecia irritar o atacante ainda mais.

— Não ache que vou deixar você se safar dessa tranquilamente…!

— É mesmo?

A voz era tão fria quanto o vento das profundezas de um poço.

— …

— O quê? Gargh…!

Os olhos de Garota da Guilda se arregalaram e o agressor só conseguiu dar um som abafado.

Matador de Goblins se moveu.

Ele se levantou como um espectro, ainda crivado de dardos. Sua espada…

Sua espada estava enfiada nas vísceras do atacante, tendo encontrado cuidadosamente uma lacuna na armadura de couro do oponente.

Ele rompeu violentamente através das entranhas do homem, fazendo seu ex-agressor tossir e se engasgar.

O corpo caiu para trás, se contorcendo, perdendo sangue e força.

— Hmph.

Matador de Goblins bufou, colocando seu pé contra a forma ensanguentada enquanto puxava a espada.

O atacante tossiu uma última vez, então ficou parado.

— Ma… — A voz de Garota da Guilda estremeceu. — Matador de Goblins…?

— Sim?

— Você está bem?! Está ferido?!

— Eu uso cota de malha debaixo de minha armadura de couro — murmurou ele de forma natural, afastando gentilmente Garota da Guilda enquanto ela tentava freneticamente chegar perto. — Um simples dardo não pode penetrar nela.

Ele agarrou os dardos e puxou de sua armadura. As pontas estavam encharcadas de algo, presumivelmente o mesmo fluído que tinha revestido a adaga.

Matador de Goblins disse desinteressadamente: — Ele era bem rápido. Com minha habilidade, eu não poderia tê-lo abatido.

Isso significava que — para ele, pelo menos — a solução óbvia tinha sido um ataque surpresa. Ele não poderia ganhar em uma luta justa, então ele não entraria em uma.

Mas, Garota da Guilda não simpatizou inteiramente com essa perspectiva.

— E-eu pensei que você… estava morto……!

Mesmo enquanto falava, lágrimas se formaram em seus olhos e escorreram por suas bochechas.

Uma vez que começaram, não havia como impedi-las. Confrontado com a garota chorando, Matador de Goblins só conseguiu reunir um “Ugh…”. Ele sacudiu o sangue de sua espada para se distrair. — Sinto muito.

— Se… Se tivesse que se desculpar… você não devia… fazer isso para começar…!

— …Não vou.

Matador de Goblins assentiu, e então com a ponta de sua espada ele retirou a máscara do atacante.

Sniff… Ele…? Ele é um elfo negro?

— Isso eu não sei.

Garota da Guilda ergueu a cabeça, ainda fungando.

Elfos negros estavam entre os povos que possuíam palavras, também conhecidos como Jogadores. Eles compartilhavam as mesmas raízes que outros elfos, mas se alinhavam com o caos.

Não se poderia presumir que eram todos Não-Jogáveis — aqueles seres que-não-rezam — porque de tempos em tempos, um elfo negro retornaria ao lado da ordem.

Com apenas um punhado de exceções, a maioria dos elfos negros eram maus e se divertiam em desafiar a lei e a ordem.


KakaSplatT
☦ Death To The World ☦

20 Comentários

  1. Como esperado do MdG!
    Será que o atacante esperava mesmo que iria ganhar?! Só sinto pena dele se ele pensava assim…kkk

    O interessante foi ver que ele(o atacante) estava claramente com ciúmes da relação do MdG com as garotas…

    1. Não, a parte mais interessante foi a do Goblin Slayer usando a espada para atravessar as vísceras dele kkk

  2. Obrigado pelo capítulo.

    Esse rhea(elfo negro sei lá) foi muito tolo em achar que venceria o Goblin Slayer com apenas alguns dardos envenenado.
    Mas foi até bom, porque assim o Goblin Slayer ganhar mais pontos com a Garota da Guilda.

      1. Quando ela realmente entender os seus sentimentos pode sair da frente que não vai dar pra ninguém, sendo que ela é aretada.

        Enquanto as oponentes sobem degrau por degrau ela vai dar um pulo kkkk

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!