MdG – Volume 4 – Capítulo 1 (Parte 3 de 8)

— …Você está atrasado.

Sacerdotisa Aprendiz já estava na taverna.

Ela estava em um canto, e o lugar estava vivo com aventureiros, mesmo nessa hora da manhã.

Ela estava com o queixo descansando nas mãos e parecia irritada; Guerreiro Novato se sentou à mesa com uma desculpa breve.

— Ah — adicionou ele — e bom dia. Desjejum?

— Eu já comi — disse bruscamente Sacerdotisa Aprendiz, mas então ela murmurou sua resposta ao cumprimento. — Bom dia. Seja como for. Apenas se apresse e coma. Gostaria de descer novamente essa tarde se conseguirmos.

Havia um prato de pão vazio na frente dela. No seu havia feijões, sopa de bacon e pão.

Guerreiro Novato abriu a boca, confuso, a fechou, depois abriu de novo.

— Sinto muito.

— Pelo quê?

— Ahh…

Parecia que se dissesse mais alguma coisa, ele só a deixaria nervosa de novo.

E não é preciso lutar logo pela manhã.

Ele pegou a colher e levou um pouco de sopa até a boca. Sacerdotisa Aprendiz deu um hmph.

— E suas roupas. Elas ainda estão penduradas atrás do estábulo?

— Ah, hum, sim. — Guerreiro Novato assentiu. Ele deu uma mordida no pão duro e engoliu. — Elas não estavam secas.

— Tudo bem, dê elas a mim mais tarde. Esse cheiro horrível nunca sairá do jeito que você lava. Vou fazer isso para você.

— Ah, hum… desculpe.

— Não quero acabar fedorenta só porque saio com você. — E então ela se virou para longe dele.

O fracasso de sua última excursão fora totalmente culpa dele. — Sinto muito — murmurou ele, focado em sua comida.

Ele arrancou um pedaço de pão e mergulhou na sopa. Quando ficou bem encharcado, ele pegou um pouco de bacon com sua colher e comeu tudo junto. A sopa estava rala e principalmente salgada. Ele comeu sem dizer nada, obedientemente.

Se o cara que deveria ser o escudo estivesse com tanta fome que não pudesse se mover, o que seu pequeno grupo faria então? Essa era outra parte do seu trabalho.

Tudo deleitado, ele jogou sua colher em cima do prato vazio e assentiu.

— Muito bem. Armas.

— É um desperdício simplesmente deixar aquela espada lá embaixo.

— Sim, mas escute — disse ele de volta, colocando um pouco de água da jarra na mesa em sua caneca. — Eu preciso de uma arma se quisermos voltar lá e encontrá-la.

— E você tem o dinheiro?

— Quanto a isso…

Ele bebeu a água. Sacerdotisa Aprendiz alcançou o jarro ao mesmo tempo que ele, então ele encheu o copo dela.

— Obrigada — disse ela, colocando ambas as mãos ao redor da caneca e a levando aos lábios. — Você não tem nenhum, não é? Dinheiro, quero dizer.

— Talvez eu pudesse pegar emprestado.

— Pare com isso. Não inicie nenhuma dívida.

— Nem. Me refiro a empréstimo de equipamento ou algo assim.

Pedir emprestado uma arma. Ele pensou em alguns de seus conhecidos, se perguntando se algum deles estaria disposto a emprestar algo.

Seria fácil pôr as mãos em uma adaga, mas isso não inspirava muita confiança.

Ainda assim, pegar emprestado algo como uma espada longa — como aquela que ele perdeu com um simples brandir — contaria contra ele.

Confiança não era algo tão fácil de se obter.

Ele estava dando justamente um suspiro involuntário e profundo, quando…

— Hum? O que houve, garoto? Ainda é bem cedo para uma cara emburrada.

O comentário alegre soou acima dele.

Sua cabeça se levantou. Ele viu um aventureiro carregando uma lança que cintilava na luz.

A insígnia ao redor de seu pescoço era Prata, o terceiro ranque.

— Ah, hum, bem…

— Eu tenho um encontro, significando uma aventura, então não tenho muito tempo. Mas vou ouvir enquanto posso.

Guerreiro Novato ficou sem palavras de repente. Lanceiro, conhecido como “o mais forte da fronteira”, deu um sorriso amigável para ele.

O jovem guerreiro engoliu em seco. Ao lado dele, Sacerdotisa Aprendiz o cutucou com o cotovelo. Ele assentiu com determinação.

— Hum, na verdade, eu… eu perdi minha arma na nossa aventura de ontem.

— Ah, é? — Lanceiro fez uma careta por instinto. — Isso é ruim — disse ele, sua voz aparentemente transmitia sinceridade.

— Eu quero ir buscá-la, mas não tenho uma arma, então… Pensei que talvez houvesse uma chance de alguém me emprestar uma…

— Emprestar uma reserva, hum? …Eu tenho algumas a mais, então poderia te deixar usar uma, mas… — Lanceiro olhou Guerreiro Novato da cabeça aos pés, então concluiu: — Não sei se você tem força para ela.

— Hm…

Um som mínimo de constrangimento escapou dele.

Guerreiro Novato era magro e flexível, mas em termos de músculos, ele não era comparável com Lanceiro.

Eles tinham tipos diferentes de corpos. Naturalmente eles usavam armas com pesos diferentes.

— E se você perdesse essa também, aposto que não poderá me pagar.

— É, não é? — Nem ele consegue tentar extorquir dinheiro de um aventureiro júnior.

Uma linda mulher apareceu no lado de Lanceiro, silenciosa como uma sombra, exceto pelas suas palavras murmuradas.

Ela era uma bruxa que vestia roupas que acentuavam sua figura voluptuosa e plena. Sacerdotisa Aprendiz percebeu que estava ficando vermelha e evitou o olhar dela.

— E uma arma mágica, certamente não, combinaria bem com você, não é?

Uma arma mágica emprestada?!

Os olhos de Guerreiro Novato se arregalaram quando Bruxa sussurrou e riu.

Para um principiante como ele, armadura metálica era coisa de sonho. Uma arma mágica poderia muito bem ser coisa de lenda longínqua.

Ouvi dizer que pode encontrar elas em ruínas e labirintos se tiver muita sorte, e as vejo à venda de vez em quando.

Mas elas eram vários dígitos mais caro para que ele pudesse alguma vez pensar em possuir uma.

— Então, em vez disso, me deixe, te dar algo, bom.

Bruxa retirou alguma coisa do seu decote com um movimento elegante, uma simples vela.

Não parecia ser da branca usual, mas azulada, que era, olhando mais atentamente, por causa das letras coloridas a cobrindo.

A abundância de caracteres que foi gravado na vela com letras fluidas era indecifrável por Guerreiro Novato.

— Isso é… — Sacerdotisa Aprendiz piscou várias vezes. — …uma vela?

— Sim.

Bruxa piscou e abaixou a voz como se ela fosse revelar um grande e obscuro segredo.

— Isso, veja, é uma vela de busca… Quando, você está perto, do objeto que procura, ela fica, mais quente. Entende?

Um item mágico. Guerreiro Novato engoliu em seco.

Não havia necessidade de eles usarem para si mesmos. Se eles vendessem, ela renderia mais do que o suficiente para uma boa espada…

— Sinta-se à vontade, para, vendê-la… transformá-la, em dinheiro.

O sorriso dela parecia ver bem dentro dele, e Guerreiro Novato acabou por olhar para o chão. Sacerdotisa Aprendiz lhe deu outra cutucada com o cotovelo.

— Ah, hum… Eu, hum… Ob-obrigado. Muito obrigado.

— Sem, problema. Uma, coisinha para ajudar.

Guerreiro Novato recebeu o item hesitantemente enquanto Bruxa tinha uma expressão divertida e sorria.

— Está, bem. Temos o nosso… encontro.

— Aham. Não morra, crianças.

Lanceiro bagunçou o cabelo de Guerreiro Novato e partiu com um ritmo vistoso.

Bruxa seguiu bem atrás dele passando pelas portas da Guilda.

Guerreiro Novato colocou a mão direita na cabeça, onde ele ainda podia sentir aquela palma poderosa.

— …Eles são tão legais.

— É. — Sacerdotisa Aprendiz se permitiu sussurrar. — Talvez…


KakaSplatT
☦ Death To The World ☦

16 Comentários

  1. “Lanceiro, conhecido como ‘o mais forte da fronteira’, deu um sorriso amigável para ele.”
    Sorrir nessa parte quando lembrei de todos os inimigos que o MdG já matou e quase ninguém saber kkkk

      1. Isso é verdade, mas se for em nível de dificuldade, aposto que os inimigos do Goblin Slayer não ficam atrás kkk

        Bem, de qualquer forma, parece que ainda nesse volume vamos descobrir quem é mais forte entre eles, já que a própria sinopse já entrega que eles(Goblin Slayer, Lanceiro e Guerreiro de Armadura Pesada) vão sair em uma aventura.

    1. Eu esperava que fosse o Guerreiro de Armadura Pesada.

      E aposto que o Lanceiro só ficou conhecido assim, por causa Bruxa, ela parece ser um excelente suporte…

    1. Pela personalidade dele apresentada até agora, não creio que será uma decisão muito prudente kkkk

  2. Obrigado pelo capítulo.

    Coincidências realmente acontecem! Acabei de ler o novo mangá spin-off de Goblin Slayer que adaptar exatamente essa parte kkk

    Agora é só esperar pela próxima história, mas ainda vou continuar acompanhando essa.

    1. Não sei se é sorte ou azar, mas pelo menos já sabe o que vai acontecer kkkk

      PS: Gostei da foto de perfil, é a primeira pessoa(além de mim) que encontro que também gosta de “Seirei Gensouki” kkkk

      1. Sim eu gosto.
        Sempre que possível estou acompanhando a web novel e a light novel, apesar de gosta mais da light novel por ter um enredo melhor e lindas ilustrações kkk

          1. ainda não li a LN, mas vou ler já que achei ela recentemente em inglês. Gostei da WN, sinceramente o Gesuhisa é uma droga.

          2. Se gostou da WN não vai se arrepender de ler a LN, pois o autor/autora fez questão de melhorar os “furos” que a WN contém, além de melhorar também o enredo da obra.

            Além disso, a LN a partir do volume 10 tomar um rumo diferente da WN.

            Agora sobre o Gesuhisa, para mim você só falou a verdade..kkkk

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!