MdG – Volume 4 – Capítulo 1 (Parte 5 de 8)

— Ah! — disse Garota da Guilda com uma risada, entendendo. — Tenho certeza de que está tudo bem. Ele não deixa esse tipo de coisa o aborrecer.

— É, mas isso nos incomoda… — disse Guerreiro Novato, e depois piscou. Ele esfregou os olhos com sua manga. Alguma coisa estava errada.

O recém-chegado usava um capacete de aço de aparência medíocre e uma armadura de couro suja, um pequeno escudo redondo estava atado ao braço e uma clava primitiva estava pendurada na sua cintura.

Uma clava?

— …Ele não usa uma espada?

— Agora que falou nisso… — Sacerdotisa Aprendiz também olhou na direção de Matador de Goblins. — …Acho que sim. Uma com uma aparência bem medíocre, no entanto.

— É, tem razão.

— E aquela garota está coberta de manchas de sangue…

O que raios aconteceu? A dupla de jovens parecia muito preocupada, mas Garota da Guilda só deu uma risada e um sorriso.

— Querem saber sobre eles? — perguntou ela, batendo sugestivamente com alguns papéis na mesa para endireitá-los. — A melhor maneira de aprender sobre aventuras é perguntar a um aventureiro.

— C-claro…

Mas aquela pessoa era Matador de Goblins.

Por outro lado, ele também era um aventureiro do terceiro ranque, Prata.

Mas… ele também era Matador de Goblins…

— …Está bem então!

Foi Sacerdotisa Aprendiz que ficou de pé com todo o entusiasmo que pôde juntar.

— E-ei, o que…?

— Vou perguntar — disse ela, olhando fixamente para frente — não custa nada!

Então ela se livrou do temeroso Guerreiro Novato e começou a avançar com um ar de determinação.

Guerreiro Novato olhou para Garota da Guilda. Ela ainda estava sorrindo.

— Ahh, cara…!

Agora Guerreiro Novato se recompôs e se levantou.

A expressão de Garota da Guilda, é claro, não mudou.

— Humm… — chamou Sacerdotisa Aprendiz, provocando apenas um “Hum?” cansado de Sacerdotisa.

Estava claro que ela tinha acabado uma aventura com Matador de Goblins. Sacerdotisa Aprendiz franziu a testa, só percebendo agora que deveria ter escolhido uma hora melhor.

— O que foi?

— Hã…

Além disso, houve aquela voz grave, desapaixonada e quase mecânica.

O capacete de aço se mexeu lentamente, com um olhar penetrante além do visor. A armadura do homem estava coberta de manchas escuras de sangue.

Ele realmente se parece com uma armadura viva ou algo desse tipo…

Com esse pensamento bem desagradável na cabeça, Sacerdotisa Aprendiz engoliu em seco.

— Hu… Hum! — Guerreiro Novato interrompeu como se estivesse a cobrindo. Ele ignorou a queixa dela de Espere um pouco! e continuou com um tom íntimo:

— Tem uma coisa que gostaríamos de te perguntar… se não se importar.

— O que é?

A resposta de Matador de Goblins foi breve, e foi dita com a mesma voz grave.

Ao lado dele, a cabeça de Sacerdotisa balançava de um lado ao outro.

— Fale baixo, por favor.

— Oh… hrg… D-desculpe… — respondeu Guerreiro Novato com uma voz tensa. Suas mãos estavam rígidas e tremiam um pouco de nervosismo.

Sacerdotisa Aprendiz pegou a mão dele suavemente. Era áspera e coberta de cicatrizes.

— …Foi muito ruim, esse trabalho?

— Precisávamos de dinheiro. — Mas não. Matador de Goblins balançou o capacete de um lado para outro. — Fui obrigado a aceitar.

Guerreiro Novato engoliu em seco e apertou de volta a mão de Sacerdotisa Aprendiz.

— …Nós, nós… Nós queríamos te perguntar uma coisa. — Ele tomou um fôlego. Suas mãos relaxaram. — Por que está usando uma clava?

A resposta veio de uma vez só: — Eu roubei de um goblin.

— R-roubou?

— Você lança uma lâmina ou apunhala com ela. Ela quebra ou lasca. Um uso prudente pode ajudar, mas uma única espada não é boa por mais de 5 deles.

Isso pareceu mais ou menos uma resposta… E então, mais ou menos não.

Espera… Talvez seja.

— Hrrm — grunhiu Guerreiro Novato. Então ele parou por um longo momento. — E quanto a ratos e baratas?

Agora foi a vez de Matador de Goblins grunhir. — Ratos ou baratas?

— …É.

— Não sei lhe dizer. — Mas… Ele tocou a clava no cinto. — …Se usar e bater com ela, você vai machucá-los. Pelo menos você não precisa se preocupar da lâmina lascar.

Matador de Goblins se levantou do banco, extremamente devagar. Sacerdotisa, que estivera apoiada nele, estremeceu.

— É fácil.

— Fácil…

— Estou indo — disse ele brevemente para Guerreiro Novato, que permaneceu pensando. Então o capacete se virou para onde Sacerdotisa estava esfregando os olhos. — Descansar?

— Ah, n-não, estou indo!

— Entendi.

Sacerdotisa também se pôs de pé, se apressando para acompanhar o passo ousado que o afastava rapidamente.

Mas prestes a partir, ela se virou para os outros dois aventureiros e fez uma pequena reverência.

— Ah, hum… ei! — disse Sacerdotisa Aprendiz.

— Sim?

Era agora ou nunca.

Sacerdotisa Aprendiz tinha chamado quase sem pensar, mas agora Sacerdotisa inclinou a cabeça. — Como posso ajudar?

— Bem, hum, nós só… Por que está manchada de sangue?

— Ah… — murmurou Sacerdotisa com uma expressão ligeira de confusão. Ela corou bem pouquinho. — Eu… não acho que seja uma boa ideia… você perguntar.

— Oh… sério?

— Ah, m-mas não estou ferida ou algo assim, então não se preocupe. — Ela deu a Sacerdotisa Aprendiz um sorriso cansado, mas galante. Ela estava coberta de suor e sujeira, mas não havia nenhum sinal de mentira em sua expressão.

A insígnia pendurada em seu pescoço não era Porcelana, mas Obsidiana.

Sacerdotisa Aprendiz soltou um suspiro.

— Ei…

— Sim?

— Desculpe por antes.

— ?

— Acho que nós entendemos bem mal o que estava acontecendo.

Os olhos de Sacerdotisa se arregalaram e ela piscou várias vezes. — …Não se preocupe com isso! — E então subitamente, a calma e séria garota agarrou seu cajado com as duas mãos. — Está tudo bem. Eu sei como ele se parece, mas ele é uma boa pessoa…

— Não vem? — chamou uma voz rouca ao longe.

— Devíamos conversar quando tivermos uma chance — disse Sacerdotisa, então ela se curvou para os dois. Pondo a mão em sua cabeça para segurar sua mitra, ela correu para onde Matador de Goblins estava.

— Algo errado? — perguntou ele.

Mas ela respondeu: — Não, nada.

— Você está exausta?

— Ah, não… Hum… Bem, talvez um pouco cansada.

— Descanse um pouco.

Mesmo à distância, os dois podiam ver Sacerdotisa sorrir um pouco quando respondeu: — Sim, senhor.

Sacerdotisa Aprendiz suspirou e aliviou os ombros.

— Eu acho…

— Hum?

— Que teremos de tentar o nosso melhor também.

— An-ham!

Com isso, Guerreiro Novato e Sacerdotisa Aprendiz tocaram suavemente seus punhos.


KakaSplatT
☦ Death To The World ☦

11 Comentários

          1. Creio que sim, já que ele faz parte da equipe do Guerreiro de Armadura Pesada e da Cavaleira, mas o MdG não está devendo ele porque a guilda já pagou 1 moeda de ouro por cada goblin morto, além do próprio MdG ter pago uma cerveja para cada aventureiro como pagamento pela ajuda (não por ele ser pão duro, mas foi o que eles pediram kkk).
            Fora isso a única que ele tava devendo era a Alta-Elfa Arqueira (ela cobrou ele em acompanhá-la em uma aventura).

          2. Vishh então ele perdeu a oportunidade de aprender com o mestre por um copo de cerveja… Se fosse eu já falava logo: “vou te ajudar mas com a condição que vc me treine!”

          3. Acho que ele não quer aprender a mata goblins não kkkk

  1. Realmente uma clava é melhor e muito barata e não lasca.

    Vai ser engraçado se o guerreiro novato usar a partir de agora clavas.

    1. Além de ser fácil de fazer(comparado a uma espada)…

      Se ele tiver sucesso na missão não vai ser surpresa isso, mas ainda vai ser engraçado.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!