PA – Capítulo 43

Aprontando Algo Sorrateiro

 

 

Um silêncio mortal pairava no ar enquanto a bonita mulher se virou e olhou para o grupo, com seus olhos ligeiramente curvados para cima desprovidos de emoção. Seus lábios vermelhos escarlates se abriram, e com um tom sem emoção, ela perguntou:

— Alguém mais tem algo contra a Xiaoyang ser a líder da equipe?

Xiaoyang continuou olhando para baixo, brincando com as mechas de seus cabelos com uma das duas mãos e sem falar nenhuma palavra. A maneira como ela estava agindo era como se essa situação não tivesse nada a ver com ela.

Momentaneamente, ninguém falou nada, cada um com uma expressão diferente no rosto.

Foi então que Dao, que estava caído em um dos cantos da sala, começou a se levantar. Sentindo uma pequena coceira, ele limpou a testa com uma das mãos. Quando ele baixou a cabeça para olhar sua mão, viu que estava coberta por uma camada de sangue. O sangue imediatamente provocou sua raiva! Dao subitamente gritou:

— Sua filha duma puta!

Ele correu para a mulher com a velocidade de um relâmpago.

— Rápido! Impeça-o! — Jinfeng gritou furiosamente enquanto ele empurrava o rapaz alto para frente. O jovem ficou atordoado por um momento, e pareceu pouco disposto a fazer qualquer coisa, mas assim que Dao estava prestes a alcançar a mulher, o jovem rapidamente abraçou Dao ao redor da cintura. Com a força de seus braços, o jovem realmente conseguiu puxá-lo de volta.

Não importava o quão musculoso Dao parecesse ser, ele foi forçado contra o chão quando o jovem o atacou. A única coisa que o Dao podia fazer era continuar chutando e xingando. Quase imediatamente, a sala ficou cheia de xingamentos tão altos que até machucavam os ouvidos das pessoas que estavam lá dentro.

— Tsc tsc… É um talento bem escondido, — Sétimo sussurrou para a Sanji.

Sanji concordou porque sabia exatamente como a coisa toda aconteceu. Quando Dao avançou, um pedaço de azulejo foi esmagado pela força de seus pés, e um buraco pequeno apareceu no chão. Mesmo com aquela força, ele não podia fazer nada contra aquela mulher e o jovem! Se ela tivesse que lutar contra eles…

Com seu coração um pouco palpitante, ela tentou esmagar o azulejo sob seus pés aplicando toda força que ela conseguia. Ela tentou algumas vezes, mas o chão permaneceu o mesmo, sem nenhum dano.

— Vocês estão todos na mesma equipe! Como vocês podem lutar entre si antes mesmo de começar a missão? — Quando Jinfeng sentiu que a situação estava sob controle, ele deu um passo à frente e repreendeu Dao com um tom extremamente desapontado, — A força da estudante Xiaoyang é reconhecida amplamente por todos nós. Nós temos nossos motivos para nomeá-la como líder da equipe. Dao, uma atitude como a sua não é tolerada no Oásis!

Dao sabia que não devia argumentar quando as chances estavam contra ele. Como ele ainda estava preso pelo jovem, ele ofegou pesadamente depois que parou de tentar se soltar. A única coisa que ele podia fazer era olhar feio para Jinfeng. Jinfeng deu um passo em direção ao jovem e disse:

— Fei Gao, por favor ajude a levar o Dao para a enfermaria…

Ele olhou em volta da sala e de repente apontou para Marcie.

— Senhorita Marcie, como Dao está ferido, você pode ficar para cuidar dele. Nenhum de vocês dois precisa se juntar à missão de hoje.

Sanji ficou um pouco surpresa com isso, então ela olhou para Marcie ligeiramente.

— Pode não ser uma coisa ruim para você ficar para trás, pois é mais seguro aqui, — ela sussurrou no ouvido da Marcie, — mas você pode ficar aqui sozinha?

Ela se lembrou do que Lutero falou quando eles se conheceram. Para falar a verdade, Marcie era o ‘resultado’ da habilidade dele então ela não poderia ficar muito distante do Lutero.

Marcie assentiu:

— Se ele estiver a uma distância de caminhada de 20 minutos, não deve ter nenhum problema. — Com isso, ela olhou rapidamente para Sanji e Sétimo e falou:

— Tenham cuidado lá fora.

Depois ela se virou e seguiu Fei para fora da sala.

Quando os três saíram, a sala pareceu bem maior. O rosto de Changzai estava pálido quando ele se afastou daquela mulher atraente com alguns passos rápidos, provavelmente assustado pela aura perigosa da mulher. Depois de olhar a sala, ele encontrou Sanji, com quem ele tinha trocado algumas palavras anteriormente, sendo a pessoa mais acessível. Seu rosto estava coberto de suor frio, mas ele conseguiu forçar um sorriso para Sanji e parou logo atrás dela.

Você está com medo dela, mas eu também estou!

Sanji suspirou, se sentindo impotente. Quando ela olhou de novo, ela viu a pequena Xiaoyang sentada em uma cadeira no canto da sala. Xiaoyang balançava as duas pernas com indiferença enquanto pendiam da cadeira. Ela agora estava olhando pela janela com uma expressão entediada em seu rosto.

A luz vinda de fora iluminava sua pele bem hidratada. Enquanto ela fazia cara de pirraça, sua inocência infantil apareceu. Parecia bastante genuíno, diferente da pretensão calculada e manipuladora da Sisi. Mas como poderia uma estudante do ensino fundamental…

Enquanto pensava sobre isso, ela olhou para a mulher atraente. A mulher continuou olhando para baixo com uma expressão gelada no rosto, sem vontade de olhar para qualquer um. A atmosfera na sala estava dolorosamente tensa, mas o Executivo Chen parecia não se incomodar. Ele cantarolava uma música enquanto voltava para se sentar na cadeira atrás da mesa do escritório, e então começou a ler alguns documentos alegremente. Dada a situação, Sanji e os outros apenas esperaram, como se fossem peixes fora d’água.

Fei finalmente voltou, e assim que ele abriu a porta, falou:

— Executivo Chen…

Xiaoyang saltou da cadeira e juntou as mãos, sorrindo.

— Você finalmente voltou! Vamos! — Depois de falar isso, ela empurrou Fei para fora da porta. — Nós estamos saindo agora! — Ela informou o Executivo Chen sem sequer virar a cabeça.

— Oh, você está saindo assim? Tudo bem, eu espero que tudo dê certo e lhe desejo sucesso! — o Executivo Chen sorriu enquanto mexia no documento, mas basicamente, ninguém se importava com ele.

A mulher atraente já havia começado a seguir a Xiaoyang. Ela se virou e deu a todos os outros um olhar ameaçador, que foi motivação suficiente para eles se moverem. Changzai imediatamente seguiu atrás deles.

Os seis saíram da sala 306 e desceram as escadas. Quando eles estavam na entrada do complexo, Xiaoyang entregou um pedaço de papel a um dos homens sem que eles nem tivessem pedido. O homem examinou o papel e olhou para a equipe na frente dele. De repente, ele apertou os lábios e abriu a porta do metal. Sanji estava na parte de trás do grupo, e quando estava prestes a sair pela porta ela percebeu que o homem estava olhando para ela, e quase como se estivesse com pena fez um “tsc tsc” com a boca.

Com um pensamento súbito em sua mente, ela murmurou algo em voz baixa quando estava prestes a sair. Sua voz foi tão baixa que Sétimo não conseguiu ouvi-la claramente, embora ele estivesse ao lado dela. Ele perguntou distraído:

— O que você falou?

— Nada, não é nada importante. — Sanji sorriu para ele quando ela empurrou a porta e saiu do complexo da fábrica.

Às vezes, as coisas são simplesmente estranhas. Antes mesmo deles terem dado dez passos para fora do Oásis, eles foram saudados pela desolação que enfatizava a realidade da situação. Atrás deles, pessoas trabalhando em um acampamento humano com holofotes; à frente, havia apenas um vasto trecho de edifícios abandonados com rachaduras profundas em suas paredes. Mais uma vez, areia amarela bateu em seus rostos. Xiaoyang fez uma pausa e olhou em volta, estreitou os olhos e perguntou sem sequer virar para trás.

— Griselda, você pode olhar o mapa e me dizer a direção onde estão os degenerados?

Griselda?

As pessoas do grupo ficaram um pouco surpresas quando a mulher atraente tirou um mapa do bolso. Antes mesmo da surpresa deles se abater, Sanji exclamou subitamente:

— Ah não! Eu esqueci algo! — As cinco pessoas se viraram e olharam para ela. — Líder, posso ir lá para buscar, prometo que voltarei o mais rápido possível. Okay? Eu só preciso de um minuto, apenas um minuto! — Sanji sorriu para Xiaoyang, buscando aprovação. — Se vamos lutar contra degenerados, não posso fazer isso sem isso.

Xiaoyang ficou muito satisfeita com a atitude dela, levantou o canto da boca e concordou:

— Ok, volte rapidamente. — Depois disso, a menina olhou para Griselda que assentiu de volta para ela.

— Claro! — Sanji agradeceu inconscientemente a menina e voltou para a entrada da fábrica. Ela não se atreveu a ir mais longe, pois temia que Griselda pensasse que estava tentando abandonar a missão. Ela olhou ao redor, entre as rachaduras de um tijolo ao lado da porta de metal, ela viu a ponta de uma carta branca. Ela imediatamente suspirou aliviada. Quando viu um dos homens da porta de pé, olhando para ela desconfiado, ela sorriu tranquilamente:

— Nossa líder deixou cair alguma coisa aqui agora.

Enquanto ela falava isso, rapidamente pegou a carta com a mão.

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.

4 Comentários

      1. Foi na hora q ela tava passando e sussurou, ela mandou a carta e o Lut/Set perguntou o q ela tinha falado.
        Esperta!
        Eu n teria esse pensamento, acho q usaria pra obter segredos e chantagear os outros, se possível.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!