PA – Capítulo 46

Moça, Você é Realmente uma Heroína

 

 

A porta de vidro da esquerda já estava danificada. Apenas metade dela permanecia de pé com pontas afiadas que brilhavam levemente na escuridão. Esta era a primeira vez em sua vida que Sanji ficou feliz ao ver uma delegacia. Ela rapidamente abriu a porta com seu corpo e gritou para Changzai:

— Entre rápido!

Ao mesmo tempo, ela chutou para fora um degenerado que estava correndo até ela. Infelizmente, sua perna foi arranhada. Changzai se arrastou para dentro do salão principal, meio tropeçando, enquanto zumbidos agudos soavam bem perto dele.

— Procure algo para bloquear a porta, eu vou bloquear ela por enquanto. — Sanji segurou seu bastão de metal enquanto estava de pé bloqueando a porta.

Changzai sabia que essa não era a hora de agradecer. Arrastando a perna ferida, ele correu para um das salas e puxou uma mesa da sala de reunião. Para falar a verdade, enfrentando aquela quantidade de degenerados que se aproximavam como uma onda, Sanji sentiu a cabeça doer. Quando ela viu que Changzai tinha retornado, ela chutou mais um degenerado que se movia em direção à porta antes de saltar pela porta meio quebrada. Então, barricaram a entrada com a mesa. No entanto, mesmo enquanto eles colocavam a mesa, eles já ouviam o barulho dos degenerados enquanto eles batiam suas bocas pesadamente contra ela.

— Ah, não, esta mesa não vai aguentar… Vamos subir as escadas! Depressa! — Sanji insistiu. Mesmo que eles não tivessem nenhuma maneira de escapar indo para os andares superiores, esse era a único caminho disponível para eles. Changzai não desperdiçou tempo e seguiu mancando rapidamente atrás dela enquanto ela corria para as escadas.

Quando chegaram ao segundo andar, ouviram um estrondo alto vindo do andar de baixo — a mesa tinha sido violentamente empurrada. Ambos trocaram olhares sentindo um aperto no coração.

— Vamos nos esconder em uma sala, — sugeriu Changzai. Depois de sangrar por todo o caminho, o rosto do Changzai estava completamente pálido, e ele já não conseguia correr mais.

— Talvez dê para fugir escalando a fachada do prédio.

Essa parece ser a única maneira.

Sanji concordou e entrou no corredor do segundo andar. A primeira sala era uma pequena dispensa que não tinha porta, a segunda sala era um escritório cuja porta já tinha sido destruída há muito tempo por algo desconhecido, então nem dava para usar. Ela olhou ao redor e viu uma terceira sala com a porta parcialmente aberta, mas ainda intacta.

— Aqui! — ela chamou Changzai extasiada antes de correr para abrir a porta.

O que ela não sabia era que tinham dois degenerados gigantescos dentro da sala. Eles imediatamente viraram a cabeça ao mesmo tempo e olharam para ela quando ela entrou. Por um breve momento, ambos congelaram.

Os dois degenerados eram homens em suas encarnações passadas, e os dois tinham mais de 1,90 m. Era aparente que eles tinham absorvido um incontável número de pessoas pois a pele deles estava bem hidratada, com músculos bem desenvolvidos, e bocas que pareciam monstruosamente poderosas. Se comparados com a multidão de degenerados lá fora, esses dois pareciam bem mais perigosos.

Na distância que eles estavam, se eles simplesmente decidissem atacar com suas bocas, os dois humanos definitivamente morreriam…

Entretanto, depois de apenas um segundo, os dois degenerados voltaram a se encarar sem nem mesmo se dar ao trabalho de olhar novamente para a Sanji e o Changzai.

Hein?

Em um piscar de olhos, as costas da Sanji já estavam cobertas de suor frio. Ela se recompôs e percebeu que ambos os degenerados estavam encarando um ao outro com extrema malícia, com nenhum sinal que sequer olhariam novamente para os dois humanos. Havia uma mesa tombada entre os dois degenerados, e os vários papéis no chão estavam cobertos de sangue seco, e… tinha uma gargantilha dourada no chão sujo. A gargantilha irradiava uma luz aconchegante que era completamente fora de contexto nessa sala desolada e decrépita. No momento que Sanji viu a gargantilha, ela entendeu por que os dois degenerados estavam agindo de forma tão estranha. Um pensamento repentino passou pela cabeça dela e o que ela fez em seguida deixou Changzai absolutamente horrorizado!

— Entre. Feche a porta, — Sanji comandou sem olhar para o Changzai enquanto ela entrava na sala.

Ele estava prestes a responder com as palavras “Você está louca?” quando ele percebeu que os dois degenerados continuavam sem se mexer. Como a sala não era grande, depois que ela entrou, Sanji percebeu que estava a poucos passos de distância do degenerado próximo a porta. Mesmo assim, o degenerado apenas tencionou seus músculos, mas manteve seus olhos no outro degenerado.

— Aquela coisa no chão é um item especial único que só aparece por causa do Novo Mundo. Ambos os degenerados querem pegar aquilo, mas estão esperando por uma abertura então eles provavelmente não se importam se estamos aqui ou não. — Normalmente, Sanji não era tão esperta. Entretanto, durante situações críticas, ela conseguia se tornar excepcionalmente ‘rápida no gatilho’. Naquele momento, ela não tentou falar baixo. Ao invés disso, ela gargalhou com confiança.

— Olá, nós só estamos aqui para nos esconder. Não faremos nada. Não se preocupem! Apenas continuem fazendo o que estão fazendo!

Embora ela tivesse falado da maneira mais inofensiva possível, ela tencionou o corpo com cautela. Ela segurou a haste de metal firmemente com uma expressão sombria. Sanji pressionou seu corpo contra a parede e lentamente caminhou em direção a um armário de metal. O degenerado oposto a ela, com uma tatuagem de um tigre descendo pelo braço, zombou friamente, mas não se moveu. Enquanto Sanji olhava para as costas dele, ela explicou de forma neutra:

— Vocês devem ter percebido que nós só entramos aqui por que não tivemos nenhuma outra escolha. Se nós não nos escondermos aqui, morreremos lá fora. Por favor continuem com o seu confronto. Eu compreendo plenamente. Se algum de vocês se distrair mesmo que por um segundo, o item pode ser fisgado pelo outro. Se a gente conseguir o que quer, eu prometo que não vamos interferir.

Testemunhando tamanha coragem, Changzai queria chamar ela de heroína e elogiar ela ali mesmo, mas ele sabia que esse não era o momento apropriado. Quando Sanji parou para escutar, ela ouviu os caóticos passos que já tinham chegado ao corredor e o distinto barulho gelatinoso que a pele viscosa e gelatinosa dos degenerados fazia quando eles andavam. Os dois degenerados na sala franziram as sobrancelhas.

— Nossos inimigos vão chegar aqui em breve. Vocês não iriam querer que um grupo de degenerados inundasse aqui, certo? O que deveriam fazer agora? Como vocês dois também são degenerados, por que não falam para os outros que não tem ninguém aqui dentro? — Ela disse perspicazmente com um tom bastante racional. Depois disso, ela gesticulou para Changzai com o queixo: — Ei, você deveria cuidar da sua perna.

Ela tinha certeza que os dois degenerados não permitiriam que aquele grande grupo entrasse na sala. Assim como ela estava esperando, quando terminou de falar, várias batidas podiam ser ouvidas na porta, vindas do lado de fora. Logo em seguida, quase ao mesmo o tempo, ambos os degenerados na sala emitiram um zumbido agudo. Eles imediatamente ouviram algumas respostas do outro lado da porta. Os dois degenerados continuaram zumbindo por longos minutos. Quando a sala finalmente ficou em silêncio novamente, eles não conseguiam ouvir nenhum barulho vindo lá de fora. Aparentemente, assim como pós-humanos tinham vários níveis de habilidade de combate, degenerados também tinham suas próprias divisões.

— Saiam daqui, agora! — Mesmo que o degenerado não tivesse se virado para olhar para eles, ele parecia bem mais agitado.

— Claro, claro. Só esperar até o meu amigo terminar de cuidar da perna dele, e então a gente vai embora… — Sanji falou enquanto se abaixava para olhar o machucado do Changzai.

Changzai olhou para ela com gratidão e falou:

— Estou bem. Vamos sair. Não devemos ficar aqui… por muito tempo, — ele imediatamente falou mais devagar quando percebeu que a Sanji estava falando algumas palavras sem nenhum barulho:

— Saia antes de mim. Desça as escadas, — ela repetiu algumas vezes antes dele concordar com a cabeça, confuso. — Certo, sua perna está devidamente enfaixada, — ela falou enquanto ajudava Changzai a andar. — Muito obrigada pela ajuda de vocês. Nós estamos saindo agora.

Naturalmente, os dois degenerados não responderam e continuam encarando um ao outro. Sanji mordeu os lábios e reprimiu vigorosamente o nervosismo que ela sentia enquanto estava prestes a andar na corda bamba. Changzai, que estava ao lado dela, imediatamente percebeu a ansiedade escondida no rosto dela, e seu coração começou a bater disparado.

Quando ela abriu a porta, não tinha um único degenerado sequer no corredor. Sanji cutucou Changzai gentilmente. Ele imediatamente entendeu e correu para o andar de baixo, sem nenhum momento de hesitação.

— Bem, eu só estou curiosa. — Ela se virou e olhou para trás enquanto sentia a palma da mão suar. — O que vocês dois fizeram? Por que todos os outros degenerados foram embora tão rapidamente?

Um dos degenerados zumbiu impacientemente. Mesmo que ele não tivesse se movido, Sanji não estava esperando por uma resposta, ela estava apenas esperando pela fração de segundo em que eles estivessem distraídos…

Ela jogou uma carta no ar. Quando ela estava pairando em cima da gargantilha, a carta voou para cima e então para baixo bruscamente. Quando a carta encostou na gargantilha, essa se transformou em vários pontos de luz dourada e se juntou à carta. Antes que os degenerados pudessem reagir, a carta voou de volta para a Sanji. Com a carta na mão, ela imediatamente correu. Ela tinha repetido esse cenário várias vezes em sua cabeça, mas não conseguia acreditar que realmente tinha conseguido pegar a gargantilha.

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.

5 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!