PA – Capítulo 56

Ratinho Conta o que Aconteceu

 

 

VISTO

Lugar de emissão: Inferno Hipertermal

Destino válido: 1984

Válido a partir de: Seis meses antes da chegada de 1984.

Este visto foi emitido pelo cônsul do Inferno Hipertermal.

 

— Eu estou falando a verdade, veja. — Com a faca no pescoço, Ratinho caiu contra a parede de medo. O visto tremia em sua mão. — Uma pessoa solicitou o visto, e eu ainda tenho que entregar para ela. Sorte minha que eu ainda estou com o visto…

Sanji examinou o pedaço de papel. Ela descobriu que era igual ao visto que encontraram no corpo do Ren.

— Para quem você emitiu esse visto? Não tem um nome aqui, — enquanto falava isso, Sanji colocou o visto no bolso.

Ratinho estava prestes a chorar. Sua expressão parecia estranhamente inadequada no rosto do Lutero.

— Esse é para o Sétimo! Os vistos não têm nome. Entretanto, eles pertencem à pessoa para quem foi emitido… Você não vai conseguir usar ele mesmo se você o roubar.

— Eu não quero falar sobre isso agora, e eu tenho muitas perguntas para você. — Sanji sorriu friamente para ele. Sem nem dar a chance para ele responder, ela chutou o joelho dele e segurou a parte de trás do colarinho da camisa quando ele caiu. — Estou levando você para um lugar onde é seguro conversar. É melhor você não tentar nada engraçado. Não posso garantir que a faca não escorregue da minha mão. Você conhece minha habilidade. No máximo, eu desistiria de obter um visto. Podemos ver qual habilidade é a mais rápida, a minha ou a sua.

Ratinho podia sentir os dedos da Sanji através de suas roupas, tão pesados quanto uma tonelada em seus ombros. Sem se mexer, ele concordou profusamente. Sanji sabia que o Ratinho era uma raposa velha capaz de enganar até mesmo o Li. Se ela quisesse arrancar qualquer verdade dele, precisaria da ajuda do Changzai.

Sanji calculou que como já tinham se passado mais de 20 minutos, a Dani e a “Marcie” já deveriam ter saído — ela parou para escutar na porta da enfermaria e confirmou que elas já não estavam mais lá. Depois disso, abriu a porta e jogou o Ratinho no chão. O homem caiu com um baque pesado enquanto a mulher fechou a porta rapidamente. Então, ela pisou em uma das pernas do Ratinho, prendendo ele contra o chão.

Assim como tinha imaginado, Changzai era a única pessoa no lugar. Assustado ao ver a cena, ele quase caiu da cama.

— O-o que-que está acontecendo? Vamos resolver isso racionalmente. Ele não é seu amigo?

Como o Ratinho tinha a mesma aparência do Lutero, Changzai confundiu a situação. Sanji não respondeu imediatamente. Em vez disso, pisou no Ratinho mais forte antes de explicar friamente.

— Essa pessoa não é o Lutero. Ratinho, se você ousar contar uma única mentira, nós saberemos. Agora, deixa eu perguntar, quando você se juntou ao Sétimo? Qual é o seu objetivo?

Changzai percebeu que algo não estava certo. Ele sentou na cama e franziu a testa enquanto olhava para o Ratinho.

Duas pessoas contra uma.

Ratinho sabia que as circunstâncias eram desfavoráveis​. Ao analisar a situação, ele decidiu contar a verdade sobre o que ele sabia. Embora Changzai estivesse razoavelmente confuso com a resposta do Ratinho, ele acenou para Sanji e confirmou que o que o outro tinha falado era verdade. Sanji sentiu uma sensação de alívio só depois que o Changzai tinha confirmado a história.

A história do Ratinho foi mais ou menos assim:

Depois que ele escapou do Glitch, também perdeu o carro. Enquanto estava procurando outro carro, descobriu sobre a existência do Oásis por coincidência. Seguindo as informações que obteve, ele chegou ao Oásis alguns dias antes da Sanji e os outros. Ele rapidamente virou puxa-saco do Jinfeng.

No entanto, em uma certa manhã, ele viu um walkie-talkie. Ele ficou muito assustado quando percebeu que era o mesmo que tinha dado para a Sanji. Ratinho sabia, sem dúvida, que a Sanji e seus companheiros também estavam no Oásis. Mesmo que não quisesse vê-la, ele se escondeu depois que pegou o walkie-talkie. Como esperado, viu a Sanji e ouviu sua conversa com o Changzai.

Por causa das coisas que aconteceram no Glitch, Ratinho não tinha coragem de aparecer na frente deles com medo dos outros se vingarem. No entanto, ele sabia que não poderia simplesmente deixá-los soltos como uma bomba relógio, e foi por isso que procurou o Jinfeng. Ele mentiu para o Jinfeng dizendo que a Sanji tinha um item valioso — na esperança de despertar a ganância do executivo, e foi surpreendentemente fácil. Além do mais, por alguma razão, já era prática comum para o Oásis enviar pós-humanos em missões suicidas. Desta forma, Jinfeng não pensou muito sobre o assunto e imediatamente decidiu que Sanji os companheiros dela e até mesmo Changzai seriam enviados em uma missão com o time da Xiaoyang. No último momento, Jinfeng manteve Marcie no Oásis.

O único problema era que os dois homens não esperavam que a Sanji e seus companheiros retornassem ilesos. Depois disso, o desenrolar dos eventos estava fora de sua expectativa.

Alguns dias atrás, Ratinho foi convocado pelo Jinfeng e foi apresentado a um novo “assistente”. Quando Ratinho viu aquela pessoa, quase fugiu, pensando que havia caído em uma armadilha. O assistente não era outro senão Lutero. Jinfeng rapidamente explicou tudo. Ratinho descobriu que o Lutero que ele viu era na verdade o Sétimo. De alguma forma, Sétimo queria se livrar das mesmas pessoas. Como eles compartilhavam o mesmo objetivo, naturalmente, decidiram se unir.

Depois que Marcie desapareceu, Sétimo não comentou a respeito. Só pediu que o Ratinho agisse como se fosse o Sétimo enquanto o outro se disfarçava de Marcie. Ambos trabalharam juntos e enganaram Sanji por alguns dias…

Quando Sanji viu o rosto familiar que passou por tantos eventos perigosos com ela, ela simplesmente não conseguiu controlar sua raiva.

— É por isso que ‘Marcie’ toda hora falava como era poderosa a tempestade de areia. Todos vocês estavam tentando descobrir sobre a minha habilidade! — Ela quase contou a verdade para a Marcie algumas vezes, mas não falou nada porque estava constantemente sendo perturbada pelos Sentidos Aguçados. Inesperadamente, Changzai empalideceu quando ouviu isso.

— V-você quer dizer que não é re-realmente a ‘Marcie’? — Ele gaguejou. O coração da Sanji disparou quando ela ouviu essa frase. — Quando ela veio aqui com a Dani para pegar um remédio… nós conversamos um pouco e eu contei… para ela o que aconteceu.

Sanji podia sentir sua pressão sanguínea subindo. Se o Ratinho não estivesse ali, ela teria gritado bem alto. Ela se recompôs e finalmente perguntou em meio às explicações frenéticas e desculpas do Changzai:

— Você disse a ela a lógica por trás de ‘aquilo’?

— Não, não! Eu só disse a ela que você tem ‘aquela coisa’! — Changzai olhou para o Ratinho antes de responder apressadamente. Ratinho revirou os olhos, desconfiado.

Sanji permaneceu em silêncio por um minuto.

— Ratinho, aqui está outra pergunta. Jinfeng sabe que você e Sétimo estão disfarçados? — perguntou ela depois de algum tempo.

— Não… ele não sabe, — respondeu Ratinho rapidamente. — Sétimo só fez esse pedido depois que Jinfeng tinha saído…

— Se é assim… — Ela olhou para o Ratinho e depois para Changzai. De repente, ela foi até Changzai e sussurrou algumas frases para ele.

Ratinho tentou ao máximo escutar, mas não conseguiu ouvir o que a mulher tinha falado. Só viu Changzai imediatamente assentindo depois que a Sanji terminou de falar. Changzai parecia ansioso para reparar seu erro e silenciosamente disse algumas palavras em resposta.

O que eles estavam falando?

Quando Ratinho estava tentando adivinhar o conteúdo da conversa, sua atenção foi atraída para o som de asas batendo vindo de seu ombro direito. Quando ele se virou para olhar, percebeu que um louva-a-deus verde-escuro tinha pousado em seu ombro.

Aquele par de olhos vermelhos cobertos de tiras negras era quase do tamanho de seu rosto. O louva-a-deus moveu sua cabeça triangular na frente do Ratinho. Suas patas dianteiras, semelhantes a foices, seguravam na base do pescoço de Ratinho com força, como se pudessem rasgar sua pele a qualquer momento. Ratinho, que tinha se levantado, caiu rapidamente no chão quando suas pernas ficaram fracas. Ele estava tão assustado que não conseguiu dizer uma palavra sequer.

— Eu quero que você faça algo para mim agora… Se você não me obedecer e tentar ativar sua habilidade, esta criatura vai cortar sua cabeça imediatamente. — Sanji disse suavemente enquanto sorria.

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.

2 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!