PA – Capítulo 66

Você é uma Idiota

 

 

Marcie podia ver uma figura parecida com uma pequena montanha se movendo em direção a ela na escuridão. Ela imediatamente parou, observando a figura cautelosamente. A montanha avançava bem devagar. A figura era muito grande, mas extremamente lenta. Marcie colocou o kit médico no chão e cruzou os braços.

Depois de esperar por algum tempo, a grande sombra finalmente se aproximou e revelou sua verdadeira forma. Quando Marcie viu claramente quem era, ela levantou uma das sobrancelhas.

— O que você está fazendo?

A pessoa que se aproximava dela era na verdade Changzai. Ele estava puxando uma corda, deus sabe como ele conseguiu, apoiada em seu ombro, e um inconsciente Hai estava amarrado na outra ponta da corda. Ele dava cada passo com dificuldade enquanto continuava arrastando aquele homem atrás dele. A cena parecia uma garota tentando arrastar um camelo. Changzai estava exausto. Ele ofegou pesadamente, e quase podia sentir seus olhos pulando para fora.

— Huff… Ah… Ajuda… Me ajuda…

Quando ele olhou para cima, ficou surpreso:

— Marcie, o que aconteceu com você?

Não havia uma única parte de seu corpo que não estivesse ferida, enfaixada ou coberta de pomada. Ele quase não sabia dizer qual era a cor original da pele dela. Marcie suspirou resignada:

— Eu recebi muitos cortes, então fui à enfermaria para tratar minhas feridas primeiro. Eu também peguei alguns itens que acho que serão úteis. Não se preocupe, todas são feridas superficiais… Mas você… Eu matei Chen Jinfeng, mas o que você está fazendo, arrastando seu oponente por aí assim?

Changzai viu o kit médico e imediatamente se deitou no chão com um “plop”. Ele acenou com os braços e disse:

— Trate… trate as feridas dele primeiro… ele está do nosso lado… eu te direi mais… mais detalhes depois. Me deixe recuperar o fôlego um pouco…

Já que Changzai tinha dito isso, Marcie pegou uma garrafa de álcool e um conjunto de linha e agulha. Ela cuidou das feridas de Hai rapidamente e lhe deu alguns antibióticos. Depois de tudo isso, ela enxugou as mãos com um pano de algodão e murmurou de forma auto-depreciativa:

— Desde que cheguei ao Oásis, estou quase me tornando uma médica… Tudo bem, ele pode dormir aqui. Se ele vai sobreviver depende dele.

De qualquer forma, com o tamanho do corpo de Hai, era difícil movê-lo para qualquer outro lugar, então Changzai assentiu. Só então, eles ouviram uma tosse não longe deles e uma voz calma:

— É você, Marcie? — Ambos olharam naquela direção e viram uma pessoa cambaleando em direção a eles, a pessoa era a Dani.

O corpo de Dani estava coberto de grandes hematomas. Ela não tinha muitas feridas abertas, mas parecia bastante doente.

— Ótimo, eu finalmente encontrei vocês dois… — Antes que ela pudesse terminar a frase, ela quase caiu no chão. Changzai percebeu e rapidamente a apoiou, enquanto Marcie imediatamente checou os ferimentos de Dani.

— Você tem pelo menos três costelas quebradas! Como você ainda pode se movimentar? É muito perigoso… e quanto ao seu oponente? — Marcie exclamou.

Dani deu um sorriso fraco, mas orgulhoso:

— Se eu estou viva, então ele definitivamente está morto.

Com isso, ela se virou, viu Hai, e ficou chocada:

— Ah! Mas por quê?

Depois que Changzai explicou a situação apressadamente, Dani olhou para ele com ceticismo, mas não disse mais nada. Marcie deu a Dani tratamento de primeiros socorros. Vendo que a mulher não deveria se movimentar muito em sua condição atual, Changzai e Marcie a ajudaram e a colocaram ao lado de Hai.

— Vamos ver como a Ji está e voltamos em breve. Mesmo que não haja ninguém do lado de fora agora, é melhor você se esconder ao lado do Executivo Hai por agora… — Marcie disse suavemente.

Dani assentiu com a cabeça e se apoiou em um dos braços de Hai, que era quase tão grosso quanto o tronco de uma pequena árvore. Ela gradualmente relaxou. Depois de ver Dani fechar os olhos, Marcie e Changzai correram para o Edifício dos Executivos sem demora.

— Quem teria adivinhado? Eu não sabia que Dani era… era tão poderosa! Eu me pergunto qual é a habilidade dela, — Changzai comentou entre respirações enquanto tentava acompanhar a velocidade de Marcie.

Marcie parou por um segundo e virou, olhando-o curiosamente.

— Eu não sei. Vocês dois não estão aqui no Oásis há muito tempo? Pensei que você soubesse…

Changzai não sabia como responder, mas não levou isso a sério. Ele pensou consigo mesmo que quando Dani melhorasse, eles podiam perguntar a ela. Depois de correr por um curto tempo, eles conseguiram ver o Edifício dos Executivos logo à frente. Até então, a poeira que eles haviam levantado do chão atraiu a atenção das pessoas que estavam no prédio.

— Um, dois, três… Isso é estranho. Por que há três pessoas em pé na frente da Ji? Há também algo na mão dela… — Marcie inclinou a cabeça, perplexa.

Que diabos ela está segurando?

Marcie podia ver que Sanji estava enfrentando as três pessoas sozinha, mas ela não parecia nervosa. Sanji viu Marcie e até acenou para ela, gritando:

— Marcie, Changzai, venham aqui!

Com um rastro de poeira atrás dela, Marcie parou ao lado de Sanji, incapaz de compreender a situação atual. Ela olhou para as três pessoas. Havia uma garota com tranças e uma mulher atraente, e ela se lembrou que os vira uma vez. A última pessoa era uma mulher de meia-idade com cabelos curtos, usando um jaleco branco. Marcie não tinha ideia de quem era aquela mulher e percebeu que nunca a viu antes.

Depois de algumas considerações, Marcie fez a pergunta que mais lhe preocupava:

— Onde você pegou o coelho? Podemos comê-lo? — Ninguém podia culpá-la por perguntar isso, já que faziam mais de 28 meses desde que ela tinha comido carne fresca pela última vez.

— Eu não sou sua maldita comida! Sua filha da puta! — Mesmo que suas orelhas ainda estivessem sendo seguradas firmemente pela Sanji, o coelho recuperou seu antigo tom vulgar depois de se tranquilizar pela presença da Xiaoyang e Griselda. — Não olhe para mim! Saia de perto de mim!

— O que… qual é o problema? — Marcie perguntou, espantada. Esta também era a primeira vez que ela tinha visto um coelho falante. Como se de repente se lembrasse das outras pessoas, acrescentou: — Quem são elas?

Enquanto conversavam, Changzai correu na direção delas, sem fôlego. Sanji não respondeu a Marcie, mas perguntou em tom sério:

— Está tudo bem? O que aconteceu com os outros três executivos?

As pessoas do grupo de Xiaoyang imediatamente mostraram interesse quando ouviram sua pergunta.

— Além de Hai, os outros dois estão mortos. — Marcie inclinou o queixo para cima enquanto lançava um olhar para as três pessoas, cujo propósito era desconhecido para ela. Depois de ver suas expressões mudarem, ela continuou suavemente. — As lesões de Dani são muito sérias. Ela está descansando com Hai agora.

Quando Changzai notou a expressão levemente perturbada de Sanji, ele disse rapidamente:

— Vou explicar para você mais tarde… E com você, Ji? Não há mais dois executivos?

— Bem, um deles está aqui… — Sanji levantou o braço e sacudiu o coelho. — Ei, diga olá.

O coelho fez uma careta e ficou quieto.

— Então, os rumores de que o Sr. Coelho Executivo é realmente um coelho são verdadeiros!? — Changzai disse espantado.

— Quanto ao outro executivo, ela está inconsciente. — Sanji deu de ombros enquanto as duas pessoas olhavam para ela assustadas.

Antes que Marcie e Changzai pudessem responder, Xiaoyang engasgou sem acreditar:

— Eu não entendo como todos vocês poderiam derrotar os executivos. Com poucas pessoas, e alguns de vocês ainda nem desenvolveram aprimoramentos físicos…

— Uh, isso mesmo. — Como se o comentário de Xiaoyang finalmente lembrasse Sanji sobre o propósito de se reunir, ela apontou o queixo para Xiaoyang e disse: — A líder da equipe, Xiaoyang, disse que tinha um pedido. Já que todos vocês estão aqui, vamos ouvi-la.

Quando Xiaoyang a ouviu, ela olhou para baixo, mostrando uma expressão desanimada. Naquele momento, não parecia uma criança. Olhou para a mulher de meia-idade ao lado dela por um momento e puxou a ponta da camisa da mulher. Ela não pôde evitar suspirar quando disse:

— Eu espero que vocês não machuquem a minha mãe.

— Sua mãe?

Xiaoyang assentiu enquanto suas tranças francesas deslizavam para o lado de suas bochechas.

— Eu sou a filha da Professora Bai.

Todos eles imediatamente olharam para a mulher de meia-idade. A voz de Xiaoyang agora estava tão suave que era quase inaudível:

— Minha mãe também é uma das pessoas que comeu o remédio que fornece Adaptação de Resistência ao Calor. Ela tem um Valor Potencial de Crescimento de zero, então ela não tem outras habilidades. Mas se todos vocês pretendem machucá-la, mesmo se eu morrer, eu vou…

— Então, ela é a Professora Bai? — Sanji interrompeu quando Xiaoyang estava prestes a mostrar sua determinação: — Na verdade, não tínhamos ideia de quem era a Professora Bai… Se você não falasse isso agora, eu teria apenas deixado ela ir.

Xiaoyang levantou a cabeça, e arrependimento preencheu seu rosto.

— Mas já que sabemos disso agora, não vou deixá-la sair assim. Pelo menos, ela precisa explicar tudo. — Sanji acenou para Xiaoyang, ligeiramente se desculpando, quando se virou para perguntar: — Por que você está criando degenerados aqui?

Xiaoyang ficou surpresa com a pergunta e quis dizer algo. No entanto, a Professora Bai deu um tapinha no ombro da filha, indicando que ela não deveria. O coelho na mão de Sanji congelou por um momento antes de dizer com desdém:

— Que besteira você está falando sob…

— Quando escolhi esse caminho, sabia que ficaria sozinha. — A mulher de meia-idade disse, interrompendo o coelho.

O coelho só pôde olhar para ela atordoado.

A Professora Bai olhou para os dormitórios e depois se voltou para olhar para eles por um momento antes de continuar:

— Ontem, foi a primeira vez que algumas das crianças da idade de Xiaoyang entraram na estufa.

Sanji não tinha certeza do que a mulher queria dizer.

— Elas estavam estudando ciência, então os professores os levaram para a estufa para plantar algumas cenouras. Amanhã, na semana que vem… Depois que esperarem um pouco, verão as cenouras crescerem… assim como essas crianças.

A Professora Bai sorriu fracamente quando algumas rugas apareceram ao lado de sua boca. Então ela se virou para olhar em volta.

— Atualmente, existem 1.600 pessoas vivendo nesses cinco edifícios. Há homens e mulheres, a maioria deles é jovem e enérgico. Eles ainda têm muitos anos pela frente… E o Oásis é um ótimo modelo para começar a reconstruir uma civilização novamente. Essas pessoas são a futura esperança da humanidade.

A Professora Bai inalou profundamente e um sorriso gentil apareceu em seu rosto:

— Para proteger essa esperança, para a sobrevivência da humanidade, continuarei nesse caminho sombrio. Eu não vou lamentar.

Changzai ficou atordoado, olhou para seus companheiros e assentiu.

— Ela está dizendo tudo isso do fundo do seu coração. — Ele concluiu calmamente.

— O que… o que isso tem a ver com os degenerados?

A Professora Bai olhou para cada um deles e disse:

— E se eu disser que o Oásis só conseguiu alcançar tal ponto por causa dos degenerados?

O grupo de Sanji e aquele coelho ficaram chocados e estupefatos.

— Por que as pessoas evoluíram? Isso me incomoda há muito tempo. Isso significa que os pós-humanos são melhores que as pessoas normais? Isso significa que eles merecem sobreviver? Mas esse não deveria ser o caso… Pós-humanos formam uma população muito pequena. As pessoas que realmente precisam viver e sobreviver são aquelas 1.600 pessoas normais. O que quer que eu esteja fazendo é apenas sacrificando algumas vidas para salvar a maioria.

Xiaoyang mordeu os lábios com força e abaixou a cabeça.

— Tenho vergonha de dizer isso, mas a maior parte da tecnologia usada para salvar as pessoas aqui no Oásis não foi minha criação. Um degenerado compartilhou comigo a tecnologia para produzir plantas resistentes ao calor, ele me deu a medicina para a adaptação à resistência ao calor e também os métodos para obter água… E o que o degenerado e seus companheiros precisavam eram apenas alguns pós-humanos naturais.

A mulher continuou em um tom suave, seu sorriso gentil mostrou alguma resignação.

— Aparentemente, os degenerados precisam evoluir também. E eles fazem isso consumindo pós-humanos. — No entanto, havia um brilho de insanidade em seus olhos, que estava ficando mais óbvio a cada minuto.

Depois de algum tempo, alguém finalmente falou:

— Você quer dizer… você usou as condições de vida do Oásis como isca para atrair pós-humanos naturais. Então, você os tratou como você nos tratou? Você os enviou para os degenerados! Você os enviou para a morte deles? — Sanji disse, desanimada.

— Os detalhes foram sempre organizados pelo Executivo Chen. Então, todos vocês acabaram voltando de uma dessas missões… — A Professora Bai acenou com a cabeça antes de dizer sinceramente: — Em nome de todos os membros do Oásis, sou verdadeiramente grata pelo sacrifício de todos os pós-humanos.

Sanji estava olhando para baixo todo esse tempo. De repente, ela então não aguentou mais:

— Sua mulher idiota! — Ela cerrou o punho e deu um soco.

 

 

Ao mesmo tempo, Dani, que estava deitada ao lado de Hai, subitamente se moveu. Ela parecia ter ouvido um barulho, então ela lentamente abriu os olhos. Sob o céu noturno, ela viu uma pessoa caminhando em sua direção.

— É você! Eu sabia que você ficaria bem. Está tudo bem? — ela perguntou com um sorriso no rosto.


Agradecimentos especiais ao @Erudhir aka Pomba (Desumana!) aka Gelo, pela ajuda ao traduzir este capítulo.

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.

3 Comentários

  1. Essa mlr não sabe enganar ninguém não? Ela poderia ter enganado os caras de mosquito depois de obter a confiança e fórmulas deles, dps era só organizar uma exterminação

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!