PA – Capítulo 68

A Morte do Supremo Cônsul

 

 

Todo o céu agora estava encoberto. Com Sanji liderando o caminho, eles podiam ouvir a cacofonia das suas próprias respirações ofegantes e passos enquanto corriam o mais rápido possível entre os prédios. O objetivo era chegar até os veículos. Quando enfim estivessem motorizados novamente, pegariam Dani e o Hai e escapariam do Oásis!

Do chão ao céu, o cenário atual podia ser dividido em três camadas.

A camada superior era composta de muitos degenerados, voando acima do grupo de Sanji e seguindo-os, mas eles não eram capazes de atacar as pessoas abaixo pois havia uma gigantesca camada prateada entre eles e os humanos abaixo.

Se eles diminuíssem o passo para olhar aquela camada cuidadosamente, perceberiam que era composta de parafernálias aleatórias: um tijolo quebrado, um cobertor rasgado, uma colher da cantina, uma grelha de metal… Os itens eram lixo, mas todos eles tinha um brilho prateado com as bordas bem polidas, parecidas com a lâmina de uma katana.

O coelho segurou as calças de Sanji com duas patas. Seu corpo parecido com uma bola de pelo balançava com o ritmo da mulher correndo. Ele olhou para a camada gigantesca acima deles e gritou:

— Está quase pronto!

Sem sequer olhar para cima, Sanji estalou os dedos. Os itens que formavam a camada prateada imediatamente se dispersaram, disparando em direção aos degenerados, cada um deixando um rastro prateado como a cauda de uma estrela cadente. Os inimigos nem sequer piscaram. Seus gritos excitados ficaram ainda mais nítidos — eles não tinham medo desse lixo! Sem aquela camada, seria ainda mais fácil para eles matarem os humanos!

Esse pensamento simplista foi refutado em menos de meio segundo. Um pedaço de pano com a dureza equivalente à de um diamante, girando a uma velocidade muito alta, cortou uma das asas de um degenerado. Em choque, o inimigo berrou antes de cair, perdendo o controle. Caindo em direção à camada de “lixo”, seu corpo foi instantaneamente cortado em pedaços e uma explosão de sangue e carne moída se espalhou pelo ar.

— Fantástico! Faça de novo!

Enquanto o coelho aplaudia animadamente, o telhado de vários dos dormitórios se partiu em pedaços, quase mil partes, consistindo de tijolos, telhas e pedaços de madeira, sendo cobertos com o familiar brilho prateado e rapidamente preenchendo as lacunas na camada.

Marcie se inspirou na habilidade de Jinfeng quando descreveu essa habilidade para Sanji. Depois que a Gargantilha Pigmalião foi ativada, Sanji sentiu um leve calor sob as bandagens em seu pescoço. Comparado ao Jinfeng, que só conseguia controlar um número limitado de itens simultaneamente, o Valor Potencial de Crescimento extremamente alto de Sanji significava que ela podia controlar e transformar em armas quase mil itens ao mesmo tempo. Isso também significava que a letalidade da habilidade em suas mãos estava muito além da de Jinfeng.

— Eu não sabia que você era tão poderosa…  —Xiaoyang estava logo atrás de Sanji. O rosto da pequena menina estava pálido, talvez por causa de toda a correria ou até mesmo porque estava com medo de Sanji. Griselda estava correndo ao lado de Xiaoyang, carregando a Professora Bai nas costas. A Professora Bai estava perplexa enquanto olhava para o céu.

Sanji suspirou desanimada. A disparidade entre se sentir como um super-herói por 5 minutos e uma completa inútil pelos 1435 minutos restantes dentro de um período de 24 horas era realmente muito grande. Isso era ruim para o coração. Enquanto pensava sobre o tempo, de repente perguntou:

— Changzai, quantos minutos eu ainda tenho?

Marcie estava carregando Changzai nas costas, já que a velocidade dele era muito mais lenta que a de todos os outros. O rosto dele estava vermelho e confuso quando respondeu:

— Você tem exatamente 4 minutos. Nós já estamos chegando, vai dar tempo!

Eles já conseguiam ver o pátio com o veículos logo à frente. Sem a chave de 12°, eles poderiam recuperar dois veículos. Felizmente, o ônibus de Marcie era grande, então eles provavelmente teriam espaço suficiente para todos.

— Huh?

Quando Sanji chegou ao seu caminhão, ela examinou seus arredores e viu algo que a surpreendeu por um momento. As pessoas correndo atrás dela também notaram o que ela viu. A parte traseira de seu caminhão estava destrancada, com a porta entreaberta. Havia algumas garrafas de água mineral no chão e um pacote esmagado de macarrão instantâneo com uma pegada sobre ele.

O pacote de macarrão instantâneo estava bem no meio de uma poça de fluido.

*Ping Pim Ping Plic*

Gotas de sangue escorriam pela fresta entre as portas entreabertas e atingiam a embalagem de plástico do macarrão instantâneo.

Os olhos de Sanji ficaram colados no horrível estado do cadáver de Ratinho por alguns segundos antes de ela de repente cobrir a boca. Marcie rapidamente correu para o lado dela, e quando viu o cadáver, sua expressão mudou imediatamente:

— Foi o 12°!

Pelos métodos usados, estava claro que o assassino não era outro senão 12°. Vários órgãos do corpo foram abertos. Sanji sabia que não tinha tempo a perder, então suportou a onda de náusea e puxou o corpo para fora, acenando para Marcie colocar o Changzai no caminhão. Depois disso, ela soltou um suspiro.

— O visto foi emitido para o Ratinho, então o cônsul deve ser outra pessoa!

Apesar de ter chegado a essa conclusão, ela sabia que não era hora de pensar sobre o cônsul. Ela só tinha mais 3 minutos e 20 segundos antes de sua Gargantilha perder o efeito. Vendo que todos em ambos os veículos já estavam acomodados, Sanji fechou a porta do caminhão, pegou a chave e ligou o motor. Pisou no acelerador e dirigiu para onde Dani estava. Ela não precisou desviar para evitar os obstáculos, pois tudo na frente deles fora transformado em armas e adicionado à camada prateada, abrindo um caminho para os dois veículos.

Com a gigantesca proteção que ela montou, Dani e Hai deveriam estar seguros por enquanto. Antes mesmo de passar meio minuto, o coelho que estava em seu ombro saltou repentinamente:

— Aquele é o Hai! Eu estou vendo o Hai!

Ela também podia ver Hai, com seu físico parecido com uma montanha, sentado. Ao lado dele, havia uma mulher deitada de lado. Sanji freou e parou o caminhão bruscamente. O coelho perdeu o equilíbrio e se estatelou no pára-brisa, quase quebrando o nariz. Ele se levantou com certo esforço e xingou alto. Porém, quando se virou e olhou para Sanji, percebeu o rosto pálido dela.

— O que foi, viu um fantasma? — O coelho sussurrou enquanto olhava para a frente.

Aquela mulher, a pessoa que mais tarde foi identificada como traidora pelo locutor — Dani, estava encostada no braço de Hai. Imóvel, com os olhos arregalados. Uma grande mancha de sangue se espalhava de seu estômago, e havia um cabo preto de uma faca saindo da ferida. Como tinha sido enfiada profundamente no corpo da mulher, Sanji demorou alguns segundos para reconhecer qual era a arma do crime. Suas mãos e pernas estremeceram quando abriu a porta e desceu do caminhão. Posteriormente, Marcie, Changzai e Xiaoyang também saíram.

Eles podiam ouvir os vagos sons de humanos gritando à beira da morte vindo de distantes cantos do Oásis. Eles também podiam sentir o fedor no ar enquanto os degenerados batiam suas asas. Podiam sentir a areia ao vento. Então, quase como se emergindo de um silêncio mortal, Sanji caminhou em direção ao corpo de Dani, atordoada.

— Não se aproxime! —  Hai de repente gritou com raiva. Ele parecia prestes a se levantar, mas não se mexeu.

Sanji sentiu um pouco de areia no rosto quando uma rajada de vento passou. Ao levar a mão até o rosto para limpar a areia, percebeu que estava chorando. Ela enxugou o rosto e olhou para Hai friamente:

— Você a matou?

A voz de Changzai também tremia quando ele disse:

— Executivo Hai… Por que você… Eu pensei que já havíamos discutido…

— Eu não a matei! — Hai bateu no chão com o punho, e ao mesmo tempo uma parede próxima tremeu devido ao impacto. — Irmão Changzai, rápido! Venha aqui! Você não sabe, mas a assassina é essa mulher!

Hai apontou para Sanji com seu dedo indicador grosso.

— Na hora, eu estava meio inconsciente, então não tinha como intervir. Dani viu alguém que ela conhecia. Depois disso, eu a ouvi chamando a pessoa de “Ji”. Ela continuou perguntando: “Por que Marcie e Changzai não estão com você?” Foi então que abri os olhos. — Hai inalou bruscamente. Ele lançou um olhar de fúria para Sanji: — Eu a vi! Ela era a pessoa que eu vi. Ela esfaqueou Dani antes mesmo que eu pudesse falar qualquer coisa, mas eu desmaiei naquele momento crítico…

Como se tivesse sido encharcada por um balde de água gelada, Sanji não conseguiu falar nada enquanto segurava os lados da sua calça, e seus ombros tremiam violentamente. Sabendo a verdade, Marcie também tinha uma expressão muito sombria em seu rosto. Eles sabiam que a pessoa que havia assassinado Dani era o 12°.

— Por que 12° a matou… Eles não tinham nada um contra o outro… — A voz de Sanji estava abafada. Pela segunda vez, sentiu um calor irradiando do bolso. Estava tão quente que sua pele começou a arder. Entorpecida, ela pegou o visto novamente.

Outra linha de palavras vermelhas apareceu na parte inferior do visto: “O cônsul do Inferno Hipertermal morreu, todos os vistos emitidos pela pessoa mencionada agora são inválidos.”

Sanji e Marcie olharam na direção de Hai. Ao mesmo tempo, Changzai estava de pé ao lado do executivo, explicando que Sanji estivera com eles todo esse tempo e assegurando que não havia maneira de Sanji se duplicar e matar Dani. Ele até pegou o coelho e Xiaoyang para serem testemunha. Hai ainda estava em dúvida, mas quando ele viu o papel na mão de Sanji, ele gritou novamente:

— Não, eu tenho certeza que é ela!

— Aquela mulher pediu um visto ou algo parecido para a Dani, que riu e disse: “Você realmente descobriu que eu tenho essa habilidade inútil.” Em seguida, Dani deu a essa mulher esse papel! Assim que ela pegou o papel, ela matou a Dani! — Hai continuou: — Quando a Dani morreu, essa mulher de repente xingou com força e disse: “Então vai se tornar inválido se ela morrer”, então a assassina foi naquela dire…

Hai finalmente percebeu a estranheza de toda a situação.

— Hã? Aquela mulher foi para a entrada principal do Oásis. No entanto, todos vocês vieram do outro lado… — ele franziu a testa, — …da direção oposta.

Depois de se recompor, Sanji falou:

— Eu tenho um inimigo. Ele sabe como mudar de aparência.

Quando ela falou, suas palavras pareciam agonizantes.

— Changzai, você pode pegar a Dani e colocá-la no caminhão? Não podemos deixá-la aqui, ela será consumida por aqueles degenerados. Nós não temos muito tempo. Vamos!

Antes disso, ela nunca havia colocado tanta ênfase nessa última palavra.

Ela ainda tinha 1 minuto e 56 segundos antes da Gargantilha perder o efeito. Marcie não se mexeu. Em vez disso, ela parou Changzai e passou-lhe a chave do ônibus.

— Marcie, o que você está fazendo? — Sanji se virou para o lado e perguntou, sentindo-se agoniada.

Depois que ela falar isso, eles ouviram um “Zzzt!” O corpo de Marcie de repente começou a desaparecer, como a imagem em uma televisão antiga quando o sinal estava ruim.

— Eu preciso ir primeiro… Não se preocupe, eu definitivamente vou fazer 12° pagar pelo que fez, — disse Marcie gentilmente enquanto sorria.

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.

7 Comentários

  1. Um dos pontos fortes desse autor, na minha opinião, são os clímax. Ele consegue colocar vários eventos inesperados e te deixar com aquela sensação de “que porra foi essa que aconteceu?” e te deixar doido pela continuação. Lembro quando li o primeiro capítulo, o que me chamou a atenção foi que na sinopse a história parece apenas um suspense absolutamente normal e no fim do primeiro capítulo a impressão ainda era a mesma, mas me deixou com uma pulga atrás da orelha para saber o que havia de errado com o namorado dela. E foi assim que me apaixonei, obrigado pela atenção u.u

      1. 😮 Nem me fala você…aliás fala sim, fala traduzindo…traduz mais ai e manda :D. Brincadeira…até pq ja está traduzido neh…mas vou amargar a angustia da espera até amanhã 🙁

  2. E uma pena que nem um dos aliados de Ji conheça algum personagem com habilidade de transporte ou algo do tipo. Obrigado pelo capítulo

  3. Se possível uma personalidade morrer na forma corpórea e n ser capaz de retornar nem pro corpo do Lut e nem reviver, se possível eu acho q as putras personalidades deviam matar o 12. Assim, só acho.

  4. O 12 é completamente suicida, o cara não pensa, só faz merda e não pensa nas consequências, nunca vi um pescopata tão burro. Ele coloca o próprio corpo em perigo, não forma aliados, ele é uma bomba instável de merda. No início achei que ele seria frio e calculista, mas nem isso ele é. Mesmo alguém totalmente pescopata consegue ser mais inteligente pqp.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!