Soberania – Capítulo 126

Vontade do Aprimoramento (1)

Cheongdam-dong era um lugar com lojas de produtos de última geração, bem como edifícios com os nomes de estilistas coreanos de renome e diversas marcas estrangeiras com lojas montadas. Antigamente, ele passava ali de ônibus e olhava sem muito interesse. Claro, hoje ele dirigia o Venta, um carro importado, em vez do ônibus.

E, assim como uma cena de uma novel ou de um filme, Hayun provou várias roupas e mostrou todas elas a Lucan

— Que tal essa pretinha xadrez?

— Vamos ver… Não ficou muito bom não.

Lucan balançou a cabeça quando ela saiu usando um vestido sexy rosa.

— Esse não é um pouco… demais?

O coração de Lucan batia acelerado. Ele negou com a cabeça e respondeu:

— Não. Ficou perfeito. Acho que é ideal para você.

Os olhos de Hayun se estreitaram.

— Ficou bom mesmo?

— Mesmo. Você parece uma pessoa completamente diferente.

Suas palavras não estavam erradas. O vestido tinha um estilo simples, mas sensual. Um item raro que só poderia ser usado com maestria por um número muito pequeno de corpos, incluindo o de Hayun. Ela sorriu e disse:

— Então eu vou levar ele.

— OK. Vamos para o próximo.

— Sim.

Lucan comprou as roupas que Hayun escolheu sem se preocupar com o preço. Lucan também comprou algumas roupas para si próprio. Ele era um exorcista famoso, de modo que seu rosto era bem conhecido. No entanto, não haveria qualquer problema se ele usasse óculos escuros e um chapéu. Porém, a beleza de Hayun atraia a atenção em todos os lugares.

Depois de estacionar o carro, eles entraram de braços dados no cinema. O filme de fantasia que eles foram assistir era lançamento. Enquanto assistia o filme, Hayun encostou a cabeça no ombro de Lucan, com uma expressão de expectativa. Lucan evitou o olhar de Hayun de forma tímida.

Uma vez que ele olhou para ela novamente, uma corrente de pensamentos o atingiu. Ele se fez de sonso, mas estava bem ciente do que Hayun queria. Ele também sentia um desejo parecido. Era natural que houvesse romance na realidade. Porém, estaria tudo bem se a pessoa fosse Hayun?

Hayun era um membro de sua Família e uma existência que dependia dele. Porém, parecia algo natural, já que ela era uma amiga dele antes mesmo de se tornar sua subordinada.

Era esse o sentimento de se ter uma namorada?

Ele nunca expressou nada antes, mas talvez os sentimentos que um tinha pelo outro eram mais do que simples boas intenções. Agora, seria estranho se eles não levassem aquilo adiante. Embora ela não fosse uma pessoa, Lucan seria capaz de amá-la.

Porém, e se Hayun descobrisse que a regente espiritual da água se tornou amante dele? Ele não conseguiria esconder seu relacionamento com Aquana dela. Era um sonho, mas também era a realidade para ele. Lucan ficou pensando sobre isso e o filme terminou sem ele assistir muita coisa.

Ele imediatamente agarrou a mão de Hayun e, em seguida, eles saíram. Nesse meio tempo, foi escurecendo à medida que a noite se aproximava. Eles entraram em um barzinho que ficava na esquina, que tinha um ambiente requintado.

Depois de tomar um par de coquetéis, Lucan abriu a boca, mas Hayun parou ele colocando um dedo em sua boca.

— Não diga nada. Agora é minha vez de falar. — Hayun sorriu. — Eu não me importo com quem você se encontra nos seus sonhos. Mas, na realidade, só pense em mim. Você consegue?

— Sim.

Ela já tinha adivinhado. Ele se perguntou como ela tinha uma intuição tão apurada, mas decidiu não fazer a pergunta.

Depois de um tempo, Lucan saiu do bar e abraçou Hayun enquanto eles voavam para longe. Ele não usou a habilidade Transparência Negra, mas uma magia chamada Transparência em Massa. Hayun também ficou invisível.

Graças aos livros de habilidade que ele conseguiu matando Scolaris, ele poderia fazer um tipo de truque como aquele. Era até possível se deitar sobre as nuvens como se elas fossem camas.

Lucan e Hayun subiram até as nuvens em um piscar de olhos, e só desceram novamente quando já estava amanhecendo.

Havia sorrisos alegres nos rostos de Lucan e Hayun.

No dia seguinte, Lucan foi para uma lan house com Hayun. Eles jogaram um jogo chamado Turno Caro e tentaram também um MMORPG antigo que ele costumava jogar antigamente. No dia seguinte, ele leu alguns mangás e assistiu desenhos. Nesse ínterim, ele teve a ideia de comer jajangmyeon.

Ele não estava sozinho e até mesmo um jogo comum parecia interessante se ele jogasse com Hayun. No entanto, mesmo em tais situações, Lucan nunca deixou de meditar sobre a transcendência. Parecia que seu corpo e cabeça eram existências separadas, e enquanto o corpo continuava vivendo na realidade, a cabeça estava imersa em pensamentos.

Em outras palavras, Lucan descobriu um método de meditar mesmo enquanto estivesse fazendo outra coisa. O estado da transcendência! Parecia que ele iria alcançá-lo se ele resolvesse este problema.

No entanto, ele não conseguia compreendê-lo completamente. Ele conseguia se concentrar ao fazer coisas entre quatro paredes com Hayun. Contudo, se ele jogasse algum jogo ou lesse alguma história, seus olhos e mãos se moviam mecanicamente enquanto seus pensamentos estariam imersos em meditação.

Se ele estivesse distante de alcançar o estado da transcendência, ele talvez pudesse estar menos obcecado com isso. Porém, ele não conseguia não se sentir impaciente nos últimos tempos, ele sentia que estava cada vez mais perto.

Lucan sabia que este estado agoniante poderia levá-lo para além dos limites do coração. Ele poderia ir para o inferno em um instante. Era uma sorte ele ter Hayun ao seu lado neste momento.

A partir de então, ele passou muito tempo imerso nas habilidades de Hayun. Isso o fez se sentir muito melhor.

Ele ficou cheio de vitalidade e sua mente se acalmou.

[A porta para Hwanmong se abriu]

Eventualmente, era hora de voltar para Hwanmong. Lucan apareceu no saguão da 39ª Base de Shakan, no Continente Drobi.

Da última vez, a comandante Radius disse que haveria um banquete de boas-vindas para ele. Ele estava ansioso pelo banquete dos elfos, quando viu um comandante elfo se aproximar dele com uma expressão desesperada.

— Lucan, neste momento criaturas misteriosas estão caminhando para o Continente Drobi.

O que isso significaria?

— Não é o exército do Rei Demônio Keljark, mas sim criaturas não identificadas?

— Há organismos desconhecidos que vivem no sistema dimensional. Eles são gerados aleatoriamente e enviados para atacar de modo que não conhecemos suas identidades.

— Então é por isso que eu não vi ninguém na base.

— Sim. Agora todo mundo está lutando contra eles. Gostaria de pedir a sua cooperação também.

— Eu me juntei às forças de Shakan, então é claro que eu irei ajudar.

Lucan concordou facilmente. Ele voou através do mar de nuvens e caiu sobre o convés do Navio Rotas, onde os lordes demônios estavam esperando por ele.

— Senhor! É melhor evitar isso. Essas criaturas dimensionais são grandes e estranhas.

— Os lordes demônios estão pensando em fugir? — Lucan perguntou com uma expressão descontente e Cerato coçou a cabeça.

— Comerciantes e viajantes dimensionais têm mais medo dessas criaturas do que de piratas. Mesmo que eles sejam mortos, quase nada pode ser conseguido deles. Raramente, Partículas Dimensionais aparecem.

— Partículas Dimensionais?

— Sim. Porém, sua sorte tem que ser realmente boa. É melhor não esperar muito disso.

— Hmm.

Se houvessem chances de conseguir Partículas Dimensionais ao derrotar as criaturas dimensionais, então valeria a pena lutar. Os lordes demônios também os temiam, o que atiçou a curiosidade e determinação de Lucan. Isso porque ele precisava de adversários fortes. Ele meditou, mas não conseguiu chegar aonde queria.

Ele não podia meditar em Hwanmong, então ele tinha que encontrar adversários fortes.

Os inimigos que apareceram na base de Shakan causavam medo até mesmo nos lordes demônios, então Lucan tinha que ir enfrentá-los.

— Vá em direção às criaturas dimensionais. Velocidade total. Preparem-se para a batalha.

— Sim, senhor!

Os lordes demônios imediatamente obedeceram aos comandos de Lucan. Eles estavam relutantes porque não haviam muito a ser obtido ao se derrotar aqueles inimigos fortes. Era problemático demais.

No entanto, Lucan tinha dado uma ordem, então a hesitação dos lordes demônios desapareceu imediatamente. Eles poderiam exercer plenamente a sua natureza maligna em uma batalha.

— Kuhuhu! Preparem-se para lutar!

— Háhahaha! Eliminem todos eles.

Seus olhos radiavam expectativa enquanto eles prepararam suas próprias Famílias para a batalha. Enquanto isso, Rotas avançou rapidamente pelo mar dimensional e saiu da área do Continente Drobi.

No mar de nuvens, uma batalha feroz estava ocorrendo entre as forças de defesa da Base de Shakan e as criaturas dimensionais.

Haviam monstros horríveis que pareciam lagartas gigantes, porém eram mais como objetos em formato de lagarta. Lucan sentiu poder dimensional vindo deles, não magia. Isso significava que estas criaturas incomuns foram criadas pelo poder dimensional. Assim, Lucan só decidiu chamá-las de objetos dimensionais.

Havia milhares daqueles objetos em formato de lagarta, e havia também milhares de outros insetos sobre eles.

*Chuaaah*

*Crash!*

Um objeto em forma de lagarta abriu a boca e disparou um cone de poder! Era semelhante ao sopro de um dragão de gelo. Os navios dos defensores atingidas pelo poder foram congelados e foram estraçalhados.

A coisa ainda mais estranha era que os poderes que as lagartas soltavam tinham um alcance supostamente infinito. Porém, assim que ele alcançava o limite do mar dimensional, não infligia dano aos mundos sub-dimensionais além deles.

Foi uma sorte. No entanto, Lucan só ficou assistindo por alguns instantes e cinco navios pertencentes às forças de Shakan já estavam em pedaços. Havia centenas de navios, mas ele se perguntou quanto tempo eles poderiam aguentar.

A chave para resolver a situação está em matar as lagartas o mais rápido possível.

O problema eram os insetos monstruosos em cima das lagartas. Havia escorpiões, aranhas, louva-deuses, etc. Os elfos que conseguiram chegar sobre as lagartas literalmente derreteram.

Radius, que viajava ao redor do campo de batalha sobre uma anomaloria, era a único capaz de derrotar os objetos em forma de lagarta. Ela estava usando um arco élfico.

Cada vez que uma explosão azulada acontecia do diamante imbuído no arco, uma tempestade de energia se lançava e o enorme corpo das lagartas soltava pedaços pelo mar dimensional com o impacto.

Isso ocorria algumas vezes e então o corpo da lagarta rachava e explodia. Os insetos em cima dela também explodiam.

No entanto, dezenas de lagartas começaram a visar Radius.

*Chwaaaaak!*

*Kuaaah!*

Dezenas de raios de poder dimensional voaram em uma velocidade tremenda. Se fosse um navio, ele com certeza seria feito em pedaços. Felizmente, Radius estava conduzindo uma anomaloria. As anomalorias utilizavam movimentos instantâneos e conseguiam desviar da maioria daqueles poderes dimensionais.

Vermillion
Primeiro de seu nome, Nascido do Caos, o Que a Tudo Lê, Spymaster nas horas vagas, Father of Fakes, Professor de Inglês, Um dos Três, Editor do Qidian, Tradutor de TA, Soberania e DNG, Marido Raiz.

5 Comentários

  1. “Um objeto em forma de lagarta abriu a boca e disparou um cone de poder! Era semelhante ao sopro de um dragão de gelo.”
    O autor usa essa comparação como se todo mundo já tiver visto um dragão de gelo. Obrigado pelo capítulo

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!