TA – Capítulo 165

Apoio para Lucien

Quando Harrison Brown se acalmou, ele achou graça de sua própria sensibilidade, como se fosse um pássaro extremamente assustado.

O patrulheiro noturno que fingia ser um aventureiro aproximou-se um pouco de Harrison e disse em voz baixa:

— Apenas um acidente. Continue direto para o museu.

— Tudo bem. Alguém tem que consertar essa ponte. — Brown assentiu, caminhando com o aventureiro no mesmo ritmo, mas mantendo-se a uma curta distância dele.

No outro extremo da ponte, havia o Distrito das Artes. Brown já podia ver alguns prédios elegantes do outro lado.

— Vou me reportar à Igreja, para se por acaso alguém tiver danificado a ponte de propósito. — Os olhos do patrulheiro noturno olhavam para a direita, mas ele disse a Brown do lado esquerdo. — Cuidado nunca é demais.

Embora o patrulheiro noturno não tenha detectado nenhuma onda mágica, ele ainda estava muito cauteloso.

De fato, o poder da Mão Oscilante do Professor veio de uma frequência consistente de vibração, de modo que nada relacionado à magia poderia ser encontrado, mesmo que o patrulheiro noturno mandasse alguém para verificar a ponte.

A única maneira pela qual a Igreja poderia encontrar algo suspeito ali seria se dirigir ao registro de verificação anual da ponte para possivelmente perceber que esse dano foi causado subitamente. No entanto, na verdade, esta cidade não tinha verificações anuais regulares.

— Você certamente é muito cauteloso. — Brown assentiu com satisfação, — Eu me sinto seguro com vocês por perto.

Depois de sair da ponte e andar por cerca de sete ou oito minutos, Brown e seus guardas chegaram em frente ao museu. O museu era um prédio preto de dois andares projetado no estilo antigo, parecendo grandioso.

— Prazer em vê-lo, Visconde Wright. É um prazer revê-lo, Barão Cape… — Apressadamente, Brown curvou-se para os nobres importantes e os cumprimentou. Embora ele fosse se mudar para Lance logo, ainda desejava ter um bom relacionamento com eles, já que controlavam a economia do oeste e da costa leste, assim como o sul e o norte do país.

O Visconde Wright era um homem de meia-idade. Seu cabelo era verde escuro, o que era bastante raro de se ver. Ele assentiu com uma leve sensação de orgulho próprio:

— Bem-vindo, nosso heroico cavaleiro.

Brown rapidamente se curvou novamente e respondeu:

— Eu não chego nem a seus pés, meu senhor.

Havia sempre uma lacuna entre alguém que dependia de uma poção mágica para despertar sua Bênção e um cavaleiro bem treinado que ganhava o poder por conta própria. O Visconde Wright era um verdadeiro grão-cavaleiro de quarto nível.

O visconde não disse mais nada, mas se virou para falar com Granneuve, que também estava presente e era um dos parceiros de negócios dele. Brown também começou a conversar com seus conhecidos.

Às dez horas da manhã, o dono do museu, Saugus, que estava em pé com os nobres e os empresários importantes, anunciou a abertura do museu de cera a todos os convidados presentes.

A banda começou a tocar uma melodia alegre.

No entanto, neste momento, houve uma agitação na multidão, parecendo que algo estranho aconteceu a uma distância do museu. Os patrulheiros noturnos rapidamente trocaram olhares, parecendo sérios. Então, vários deles saíram para verificar o que estava acontecendo lá, do outro lado.

Lucien, que já tinha mudado de roupa, agora usava um chapéu preto alto e um monóculo no olho esquerdo, e estava andando entre as pessoas. Ele não usou o feitiço Disfarce, uma vez que sua magia seria facilmente percebida pelos grão-cavaleiros presentes, e ele só precisava ter certeza de que Brown não seria capaz de reconhecê-lo imediatamente como o jovem do barco. Ele viu os patrulheiros da noite fingindo ser um casal e aquele que parecia um homem de negócios deixando a multidão, e apenas o aventureiro e o barqueiro ainda estavam por perto.

Aquela comoção foi o apoio do Barqueiro. Eles estavam distraindo os patrulheiros noturnos.

Parece que o Barqueiro e seu pessoal também conhecem bem esses patrulheiros noturnos até certo ponto… — Lucien pensou consigo mesmo.

Na noite anterior, Lucien analisou cuidadosamente se Barqueiro era digno de sua confiança, e percebeu a relação secreta entre Barqueiro e Granneuve. Com base no fato de que era quase impossível que Felipe tivesse mentido na frente do Professor, havia apenas uma explicação razoável, de acordo com o entendimento de Lucien.

Lucien acreditava que Granneuve era de fato o contato do Congresso em Sturk, assim como o Barqueiro. No entanto, enquanto a identidade de Granneuve era conhecida pela maioria dos feiticeiros como o contato em Sturk, havia outro contato trabalhando com Granneuve, o Barqueiro. Toda vez que um feiticeiro ou um aprendiz pedia a ajuda de Granneuve, Barqueiro procurava testar a confiabilidade da pessoa. Nesse caso, mesmo que a pessoa que procurava ajuda fosse na verdade um patrulheiro noturno sorrateiro, Barqueiro poderia escapar com relativa facilidade, e também não haveria nenhuma evidência direta contra Granneuve.

Contanto que Lucien pudesse garantir que Barqueiro também era do Congresso, ele estava disposto a completar a tarefa para a organização para chegar a Allyn o mais rápido possível.

Lucien definitivamente percebeu que Barqueiro e seu pessoal eram bem treinados, já que metade dos patrulheiros noturnos se ausentaram naquela hora.

— Está tudo certo? — perguntou Brown nervosamente. O patrulheiro noturno que parecia um aventureiro apenas se aproximou secretamente dele, e pareceu ser seu guarda.

— Não se preocupe. Alguns dos nossos acabaram de sair para verificar, — respondeu o patrulheiro noturno calmamente. — Temos cerca de três ou quatro grão-cavaleiros aqui e mais de dez outros cavaleiros. — Como o patrulheiro noturno disse, embora alguns dos guardas de Brown tivessem ido embora, a segurança ainda era confiável.

Brown deu uma olhada no Visconde Wright e nos outros cavaleiros, sentindo-se um pouco aliviado. No entanto, neste momento, uma flecha coberta de luz azul voou diretamente para Brown ferozmente. Sem dúvida, o poder da flecha era pelo menos de um arqueiro de nível de cavaleiro! Em um piscar de olhos, a flecha já estava bem na frente de Brown.

O Visconde Wright moveu a mão esquerda e convocou uma forte rajada de vento. Embora o vento tenha desacelerado um pouco a flecha, isso não impediu o momento.

O arqueiro era pelo menos um grão-cavaleiro, ou talvez o arco que este arqueiro havia usado fosse uma arma de terceiro nível!

No entanto, com a ajuda do visconde, Brown teve tempo suficiente para ativar seu item divino novamente. As penas brancas o cobriram mais uma vez e, ao mesmo tempo, o patrulheiro noturno agarrou rapidamente o escudo de Brown e o segurou bem na frente dele.

A flecha com grande poder perfurou instantaneamente o escudo e apunhalou a barreira de penas.

Quando as penas caíram e se transformaram em poeira, mais cresceram rapidamente. Finalmente, a flecha caiu no chão. Brown escapou desse ataque elaboradamente planejado!

A pessoa que atirou a flecha da torre já havia recuado imediatamente, acompanhada pelo patrulheiro noturno que estava disfarçado de barqueiro, que era bom em rastrear.

O Visconde Wright parecia muito chateado. Erguendo levemente a mão direita, Wright enviou alguns cavaleiros para ajudar os patrulheiros noturnos.

Casualmente, Lucien ergueu um pouco o monóculo no meio da multidão. Lá foi outro patrulheiro noturno e mais alguns cavaleiros.

Lucien estava confiante de que, após esse ataque, Brown estaria menos alerta até certo ponto. Afinal, na mente de Brown, o ataque já havia terminado.

Quando Lucien se aproximou de Brown, ele pôde ver que o amuleto pendurado em seu pescoço agora parecia mais escuro. Brown supostamente só tinha mais uma chance de ativá-lo.

A tática foi apresentada por Lucien. Independentemente do método que as pessoas do Congresso usassem, Lucien pediu duas rodadas de distrações.

— O escudo está danificado e as Penas de Anjo só podem ser ativadas mais uma vez. Vamos sair agora? — perguntou Brown nervosamente.

— Acalme-se, Sr. Brown, — respondeu o patrulheiro noturno. — O ataque deles não pegou você, e nosso pessoal está em todo lugar agora. Ninguém ousaria vir até você. Além disso, se houvesse apenas eu protegendo você para voltar para casa, seria ainda mais perigoso. Talvez aqueles feiticeiros astutos sejam apenas esperando justamente você voltar para casa. Fique aqui e você terá muitos cavaleiros para lhe ajudar. É mais seguro.

Brown deu uma olhada no Visconde Wright. Se não fosse por causa de sua ajuda, ele já estaria morto. Então, ele assentiu:

— Tudo bem.

Embora muitos dos nobres tivessem se assustado com a flecha, o fato de muitos cavaleiros e até mesmo grão-cavaleiros estarem por perto hoje os deixou à vontade. Além disso, eles também não queriam ofender Saugus, o dono do museu.

Embora muitos entusiastas da arte de cera também estivessem se reunindo em frente ao museu, a maioria das pessoas comuns ali não podia pagar a taxa de entrada — de vinte Nars.

Carregando uma mala de couro preta, Lucien caminhou em direção ao portão de uma maneira digna.

Vendo o porte elegante de Lucien e seu belo terno, os dois guardas ali de pé disseram-lhe educadamente:

— Vinte Nars, por favor, senhor. E precisamos verificar sua mala.

— Claro, — respondeu Lucien em um sotaque de Djibouti. — Acabei de chegar aqui para participar da cerimônia de abertura. Esta é a minha bagagem.

Quando ele abriu a mala, algumas dúzias de moedas brilhantes misturadas com algumas roupas decentes imediatamente capturaram os olhos dos guardas.

Depois de receberem cinquenta Nars de Lucien, os dois guardas se curvaram para ele e o deixaram entrar muito educadamente.

Juntamente com sua mala preta, Lucien entrou no museu.

Era uma mala especial. No fundo, havia uma camada muito secreta por baixo.

Vermillion
Primeiro de seu nome, Nascido do Caos, o Que a Tudo Lê, Spymaster nas horas vagas, Father of Fakes, Professor de Inglês, Um dos Três, Editor do Qidian, Tradutor de TA, Soberania e DNG, Marido Raiz.
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!